Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ... Com quem? (PARTE 4)


Animadores da Iniciação
As orientações sobre os agentes responsáveis pela iniciação estão nos nos. 41 a 48 do RICA e precisam ser conhecidas e devidamente adaptadas. Destacaremos alguns dos envolvidos:

1- Os introdutores – são aqueles que acompanham o processo do pré-catecumenato. Sua tarefa é anunciar Jesus, ajudando o iniciante a viver a experiência do encontro com Cristo e com a comunidade. Para tal, precisam ser criteriosamente escolhidos pelo pároco e o Conselho Paroquial e devidamente preparados por um processo formativo que siga a dinâmica da fé e da vivência.

2- Os padrinhos/ madrinhas – sua escolha deve ser baseada preenchendo condições para o exercício desta importante missão. Eles devem acompanhar o catecúmeno, ajudá-lo em suas dúvidas, velar pelo seu crescimento na fé e na participação na vida comunitária.

3- A família – Não bastam apenas reuniões com os pais das crianças, adolescentes e jovens. A família agora precisa passar a integrar o processo em forma de uma catequese com adultos que aprofunde seu verdadeiro compromisso cristão. Há que se considerar as particularidades de cada família, buscando comunhão com a Pastoral Familiar.

4- O catequista – Ele fala em nome da Igreja. É o mediador que ajuda os catecúmenos a acolherem a gradual revelação de Deus e o seu projeto salvífico, sua inserção na comunidade e sua contribuição para o Reino de Deus. Do catequista se requer alta competência no conhecimento dos conteúdos centrais da fé, intensa vida espiritual, participação ativa na comunidade, preparo básico em psicologia, comunicação e pedagogia, ampla cultura geral e compromisso com a transformação evangélica. São critérios para ser catequista:
- já ter recebido os sacramentos da Iniciação Cristã
- Não ter impedimentos canônicos
- Testemunhar a vida e a fé cristãs
- Ter boa formação humana (equilíbrio psicológico, criatividade, bom relacionamento em grupo, etc.)

5- A equipe de coordenação – A Pastoral Orgânica deve contemplar uma Comissão da Iniciação à Vida Cristã que se preocupe com o processo de iniciação à vida cristã e não simplesmente com a recepção de sacramentos. Seus membros precisam de formação adequada para poderem ajudar na formação dos demais envolvidos no processo: devem conhecer bem o RICA e os conteúdos da fé cristã, promoverem e estimularem a vivência da fé, assumirem o espírito evangelizador e se aprimorarem na arte coordenar.

6- A comunidade – O iniciante precisa descobrir na comunidade o exemplo concreto do tipo de vida com o qual quer se comprometer. Para tal, é preciso que toda a comunidade também passe por um processo iniciático que dinamize a sua fé e lhe dê forças para assumir seu dom e missão de formar e alimentar discípulos.

7- Os ministros ordenados – A Conferência Episcopal tem a função de definir, regular e normatizar. O bispo tem a função de colocar como prioridade a catequese. E os presbíteros e diáconos têm a função de acompanhar e zelar.