Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Novos membros integram o Setor Juventude



No dia 17 de dezembro foram escolhidos novos membros para integrar a coordenação do Setor Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Realizada no Edifício João Paulo II, na Glória, a reunião foi dirigida pelo assessor eclesiástico de setor, padre Renato Martins. São Eles: Márcio dos Anjos, da Congregação Mariana, Diogo Rocha, da Comunidade Shalom, e Juliana Fernandes, da Pastoral da Juventude.

De acordo com o padre Renato, a escolha objetiva fortalecer a coordenação do setor, que tem a função de reunir todos os segmentos juvenis atuantes na arquidiocese.

“A função do Setor Juventude na arquidiocese é congregar todas as expressões jovens, independente do movimento de que participam, respeitando a espiritualidade e identidade de cada um”, afirmou padre Renato.

Ele disse ainda que o trabalho com os jovens precisa ser cada vez mais articulado, em vista da Jornada Mundial da Juventude. Para 2012 já estão programados alguns eventos em âmbito arquidiocesano. Entre eles, o Folia com Cristo, no dia 5 de fevereiro, que vai acontecer na Avenida Presidente Vargas, no Centro. O outro é a Jornada Arquidiocesana da Juventude, no Domingo de Ramos.

“Fico feliz por seu escolhida como representante da juventude de nossa arquidiocese. Há uma gama imensa de carismas, que precisam ser integrados. O desafio é justamente proporcionar essa unidade. Temos muito que fazer. O ano de 2012 é dedicado à juventude e temos pela frente a organização de uma jornada e a visita do papa”, disse Juliana.

O trabalho dos jovens escolhidos será, entre as muitas atividades, organizar as vigílias da juventude, um pedido do arcebispo, que deve ser realizado mensalmente na Igreja de Sant’Ana, na intenção da JMJ.

“Nosso objetivo é articular a juventude nas paróquias e nos vicariatos, para que todos estejam animados para a JMJ e a visita do Papa Bento XVI à nossa cidade. A visita do Papa é uma grande motivação para que os jovens estejam mais inseridos na vida da Igreja”, frisou Márcio.

Testemunho de Fé

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Curso para Introdutores



            A Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhaúma realizou, no último dia 11/12 um curso para Introdutores. O evento foi ministrado por membros de Comissão Arquidiocesana, à convite do Pároco Márcio Sérgio Oliveira de Queiroz.

            As palestras proferidas por Irmã Lucia Imaculada, Maria Helena Sette Câmara e Joice Coopper trataram dos seguintes temas:

a) Iniciação Cristã e Pastoral de Conjunto
b) O Tempo do Pré-Catecumenato
c) O Papel do Introdutor

            Estiveram neste dia de formação cerca de 30 agentes de várias pastorais que refletiram a participaram de trabalhos em grupo sobre a importância da figura do introdutor no Processo Catecumenal, que vem sendo assumido gradativamente pela Iniciação Cristã de jovens e adultos desta paróquia.

Abaixo, algumas fotos deste dia:



quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

O Introdutor


Modelo em Lc 24,13-35



Jesus fez/faz...
v.15 Se aproxima e caminha junto
Introdutor faz...
- Procura usar linguagem acessível;
- Se interessa pela vida do outro, mas com respeito à sua privacidade;
- Procura não colocar barreiras se mostrando o mais sábio ou o mais santo;
- Procura perceber o nível de fé e de  conhecimento da pessoa, para não apresentar um anúncio evangelizador nem tão além ou tão aquém do que ela precisa receber.


Jesus fez/faz...
v.17-21 Ouve as suas expectativas e o que pensam a seu respeito
Introdutor faz...
- Usa o diálogo e não o discurso; evangeliza conversando e não, com palestra;
- Procura perceber qual a idéia de Deus que a pessoa possui; o que pensa ou já sabe sobre Jesus.
- Procura perceber os motivos que a levaram a se aproximar ou, a querer os Sacramentos.
- Procura perceber tudo isto conversando sobre os fatos da vida e não fazendo um interrogatório formal.


Jesus fez/faz...
v.24 Cada um precisa de sua experiência pessoal
Introdutor faz...
- Intercede para que o Espírito Santo dê à pessoa uma experiência pessoal da presença de Jesus em sua vida;
- Ensina a orar; incentiva a oração espontânea, convida para a oração comunitária, sobretudo para a Missa.
- Tem consciência de que esta experiência pessoal do encontro com Cristo que vive no meio de nós é fundamental para que ela continue firme na fé e queira seguir o Caminho.


Jesus fez/faz...
v.27 Usa as passagens da Escritura que se referem a Ele mesmo (anuncia Jesus)
Introdutor faz...
- Anuncia Jesus usando as passagens da Bíblia que se referem a Ele como o Caminho, a Verdade e a Vida; como o Senhor e Salvador; como o Deus Conosco...


Jesus fez/faz...
v. 32 São as Escrituras que fazem arder  o coração
Introdutor faz...
- Sabe que suas palavras passam e que só a Palavra de Deus não passará, por isso sempre usa, pelo menos, uma passagem da Escritura;
- Medita e convida à meditação de um versículo bíblico, procurando perceber se há compreensão sobre o mesmo ou se requer explicação.
- Faz e ensina a fazer a leitura orante da Palavra de Deus.


Jesus fez/faz...
v.28 Dá liberdade de escolha, faz que vai adiante.
Introdutor faz...
- Não coage; intimida ou induz a pessoa a tomar uma decisão;
- Não promete o “Céu”(não haverá mais problemas), nem o inferno para forçá-la a uma decisão.
- Respeita suas opções; sua religiosidade e não impõe, mas propõe a fé cristã.


Jesus fez/faz...
v.29 Eles tomam sua decisão livre e pedem:"Fica conosco"
Introdutor faz...
- Procura perceber e avalia, junto com o simpatizante, sobre suas disposições em querer seguir e passar para a próxima etapa.
- Esta decisão de livre adesão é fundamental no processo e esta adesão deve ser refletida não só pelas palavras, mas pelo propósito de conversão.


Jesus fez/faz...
v.31 O reconhecem no pão (Eucaristia) depois de terem ouvido as Escrituras
Introdutor faz...
- Evangeliza, procurando mostrar que a Missa é nossa principal oração, pois nela, Jesus vem ao nosso encontro na Palavra , na Eucaristia, na assembleia reunida.


Jesus fez/faz...
v.33 Saem em missão. Sua primeira missão é retornar à própria comunidade.
Introdutor faz...
- Sabe que ninguém deve sair a evangelizar por conta própria, mas sempre vinculado à comunidade dos Apóstolos, à Igreja.
-Procura e respeita a orientação do pároco; do Bispo; dos documentos da Igreja...


Jesus fez/faz...
v.48 Jesus os convida a serem testemunhas.
Introdutor faz...
- Evangeliza não só com as palavras, mas partilhando a sua própria vida; sua caminhada de fé.


Jesus fez/faz...
v. 49 Jesus promete a força do alto.
Introdutor faz...
- Reconhece e invoca o Espírito Santo como o principal agente da evangelização. Invoca para si e para o simpatizante, pois sabe que este precisará contar com a Sua força para aderir de fato à vida cristã.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Bem-Aventuranças dos Jovens

João Paulo II


Bem aventurados os jovens sábios,
porque serão também ouros e coração e simples de espírito:
eles anunciarão a Paz!

Bem-aventurados os jovens humildes,
porque eles saberão acolher a verdade
escondida no coração de todas as pessoas
que encontrarem ao longo do caminho!

Bem-aventurados os jovens pobres,
porque terão o olhar sempre voltado para Deus
e vencerão com esperança suas lutas neste mundo!

Bem-aventurados os jovens que fazem da caridade
uma lei do seu coração, porque, amando sem reservas,
encontrarão a coragem de obedecer a profetas e santos!

Bem-aventurados os jovens que temem o Senhor,
porque não temerão inimigo algum na terra,
seja pequeno ou grande!

Bem-aventurados os jovens pacíficos,
porque serão vistos como herdeiros da terra de Deus!
Porque a eles todos, será dada por herança
A terna bem-aventurança!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

JMJ no Rio será de 23 a 28 de julho de 2013



A data da próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) foi confirmada na manhã desta terça-feira, 13 de dezembro, pelo Pontifício Conselho para os Leigos (PCL), em Roma: será de 23 a 28 de julho de 2013. O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, divulgou a novidade por meio de seu twitter.

De acordo com a postagem no twitter de Dom Orani, outro assunto tratado com o Pontifício Conselho foi a escolha da logomarca da JMJ Rio2013, que já havia passado por uma análise não conclusiva, mas que agora foi escolhida e será divulgada oportunamente.

Segundo informações do Arcebispo da Cidade Maravilhosa, no final de fevereiro de 2012 uma comissão do PCL virá ao Rio e de 28 de março a 1º de abril do mesmo ano haverá uma reunião geral em Roma, na qual os organizadores da última JMJ, em Madri, também estarão presentes.

Uma comissão do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ — composta pelo presidente da comissão e Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, por dois Bispos Auxiliares do Rio Dom Antonio Augusto Dias Duarte e Dom Paulo Cezar Costa, pelo Monsenhor Joel Portella Amado, da coordenação geral, e pelos Padres Márcio Queiroz, responsável pela Comunicação, e Renato Martins, responsável pelos Atos Centrais — está em Roma desde a última segunda-feira, 12, para este encontro com o Pontifício Conselho para os Leigos. Até a data da Jornada, as duas equipes — o Comitê Central, que é o Pontifício Conselho para os Leigos, em Roma, e o Comitê Organizador Local, no Rio de Janeiro — estarão trabalhando em unidade para garantirem que a Jornada seja bem sucedida.

Portal

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Texto para Reflexão



Meu Bambu amado!
Narrador: Conta uma lenda chinesa que existia um lindo e maravilhoso jardim, situado no oeste da aldeia, no meio de um grande reino. O Senhor deste jardim costumava passear por lá diariamente, quando o calor do dia era mais forte. Havia neste jardim um bambu de aspecto nobre. Era o mais bonito entre todas as árvores e o Senhor tinha uma admiração especial por este bambu. Ano após ano, esse bambu crescia e tornava-se cada vez mais lindo e grandioso. Mas o bambu não era feliz. Sentia no seu íntimo que estava lhe faltando algo importante. Certo dia, o Senhor muito preocupado, aproximou-se da sua árvore querida e o bambu, com grande veneração, abaixou a cabeça. O Senhor disse-lhe:

Senhor: Meu querido bambu, estou precisando de ti.
Narrador: Ao bambu pareceu ter chegado o dia especial, o dia para o qual havia nascido. Com grande alegria, mas baixinho, o bambu respondeu:
Bambu: Senhor, estou pronto. Feze de mim o que quiseres.
Senhor: Bambu, para servir-me de ti, é necessário abater-te.
Narrador: A voz do Senhor era séria. O bambu ficou assustado, muito assustado.
Bambu: Abater-me, Senhor, depois que me tornaste a árvore mais linda de seu jardim? Não, por favor, não! Usa-me para sua alegria, mas, por favor não me abatas.
Senhor: Meu querido bambu, se eu não Puder abater-te, não poderei usar-te.
Narrador: A voz do Senhor tornou-se ainda mais séria. No jardim então, fez-se um grande silêncio. O vento não soprava mais, os passarinhos não cantavam mais. Vagarosamente, o bambu abaixou mais sua cabeça maravilhosa. Depois suspirou:
Bambu: Senhor, se não podes usar-me sem que me abatas, então faze de mim o que quiseres.
Senhor: Meu querido bambu, não devo somente abater-te, mas também cortar suas folhas e ramos.
Bambu: Senhor, não faças isto comigo. Deixa-me pelo menos as folhas e os ramos!
Senhor: Se não queres que te corte, também não poderei usar-te.
Narrador: Então o sol se escondeu e os passarinhos, ansiosos, voaram para longe. O bambu tremeu e já sem voz disse:
Bambu: Senhor, então corta-me as folhas e os ramos!
Senhor: Meu querido bambu, tenho que fazer mais, ainda. Devo racha-te em duas partes e arrancar teu coração. Se não conseguir fazer isto, também não poderei usar-te.

Narrador: O bambu não conseguiu mais falar. Abaixou sua linda cabeleira até o chão. Assim o Senhor do jardim abateu o bambu, cortou os ramos, tirou as folhas, rachou-o em duas partes e arrancou dele o coração. Em seguida, levou-o à fonte de água fresca, próximo dos campos secos. Ali, delicadamente, o Senhor dispôs o querido bambu no chão. Uma extremidade do tronco foi ligada à fonte de água, outra foi virada para o campo seco. A fonte jorrava água, a água passava através do bambu oco e chegava alegre para o campo que havia esperado bastante tempo. Em seguida, foi plantado o arroz. Os dias passaram, a semente cresceu e o tempo da colheita chegou. Assim, o maravilhoso bambu tornou-se realmente uma grande bênção de vida e doação. E a sua alegria dói imensa...

Narrador: Moral da história:
Todos: Que todos nós possamos ser em nossos grupos, comunidade, paróquias, Dioceses e, quem sabe no mundo, este bambu que se esvaziou de si para o bem comum..., para animar missionária e catequeticamente nossa Igreja, assumindo de verdade o processo de Iniciação á Vida Cristã!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Contagem regressiva para o anúncio da logo da JMJ RIO2013



Aumenta a cada dia a expectativa para conhecer a logomarca oficial da Jornada Mundial da Juventude (JMJ). O concurso para a escolha está em fase de seleção.
O prazo para as inscrições e envio da logo terminou no dia 31 de outubro e o anúncio da ganhadora deverá acontecer em dezembro.

Os concorrentes das mais diversas partes do Brasil e do mundo demonstraram muita criatividade e técnica. Mais de 150 logos chegaram ao Comitê Organizador Local (COL) e deixam evidente a força da fé e da alegria da juventude católica.

O Rio de Janeiro é a cidade com o maior número de participantes no concurso, seguida por São Paulo. Estão concorrendo, também, logomarcas provenientes de vários países: Itália, Estados Unidos, Portugal, Croácia, Zimbábue, Holanda, Argentina, México, Austrália, Bolívia, Peru e China.
Jovens, tanto de idade como de coração, enviaram seus trabalhos. O concorrente mais jovem tem 14 anos e o jovem “há mais tempo” tem 93.

Uma das grandes curiosidades é o processo de seleção. Entre as etapas previstas está a avaliação por um grupo de designers, por uma comissão do Setor Juventude e também pelos setores pastoral e presidência do COL. A primeira seleção escolherá quinze logos e dentre as selecionadas, cinco serão enviadas para o Pontifício Conselho para os Leigos, em Roma.

É diretamente do Vaticano que virá o nome do ganhador do concurso.
Continuem na torcida e acompanhem as novidades no site: www.rio2013.com
Site Oficial JMJ Rio 2013

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Youcat – O Catecismo para os jovens lançado na Jornada Mundial da Juventude 2011/Madri


Prefácio de Bento XVI ao catecismo para jovens Youcat

Queridos jovens amigos!
Hoje, aconselho-vos a leitura de um livro extraordinário.

É extraordinário pelo seu conteúdo, mas também pelo modo pelo qual é formado, que eu desejo explicar-vos brevemente, para que se possa compreender sua particularidade. Youcat originou-se, por assim dizer, de uma outra obra, que surgiu em meados dos anos 80. Era um período difícil para a Igreja, assim como para a sociedade mundial, durante o qual se sugeriu a necessidade de novas orientações para encontrar uma estrada rumo ao futuro. Após o Concílio Vaticano II (1962-1965) e no mutante clima cultural, muitas pessoas não sabiam mais corretamente em que os cristãos deveriam propriamente acreditar, o que a Igreja poderia ensinar, se ela poderia ensinar algo a todas as pessoas, e como tudo isso poderia adaptar-se ao novo clima cultural. O Cristianismo enquanto tal não está superado? Pode-se, ainda hoje, racionalmente, ser crentes? Essas são perguntas que ainda hoje muitos cristãos se colocam. O Papa João Paulo II resolveu tomar uma decisão audaciosa: decidiu que os bispos de todo o mundo escreveriam um livro, através do qual responder a essas perguntas.

Ele confiou-me a missão de coordenar o trabalho dos bispos e assegurar que, das contribuições dos bispos, nascerie um livro – digo um verdadeiro livro, não uma simples justaposição de uma multiplicidade de textos. Este livro devia levar o título tradicional de Catecismo da Igreja Católica (CIC) e, todavia, ser algo de absolutamente estimulante e novo; devia mostrar em que crê a Igreja Católica e de que modo se pode crer de maneira racional. Fiquei assustado com essa tarefa, e devo confessar que duvidei que algo de similar pudesse surgir. Como podia acontecer que autores espalhados por todo o mundo pudessem produzir um livro legível?

terça-feira, 1 de novembro de 2011

CF 2013 - CNBB já trabalha no Texto Base




A Secretaria Executiva da Campanha da Fraternidade, juntamente com a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude e o Setor Universidades, todos pertencentes à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e representantes de universidades católicas e convidados se reuniram no Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília (DF), nos dias 18 e 19, para debater sobre o texto base da CF de 2013, que terá como tema "Fraternidade e Juventude".

Mais de 20 pessoas, vindas de todo o país, participaram desta primeira reunião, que teve como meta debater assuntos ligados à juventude e aprovar o objetivo geral da Campanha da Fraternidade de 2013.

Segundo o secretário executivo da Campanha da Fraternidade, padre Luiz Carlos Dias, uma das preocupações do encontro foi buscar compreender um pouco mais o mundo em que vive os jovens de hoje. “Abordamos, na reunião, panoramas da juventude, no contexto atual de mudanças profundas e procuramos perceber elementos do impacto das novas redes sociais entre os jovens.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Professor de Ensino Religioso


DIÁRIO OFICIAL de 20 de outubro de 2011
LEI N.º 5.303 DE 19 DE OUTUBRO 2011.
Cria no Quadro Permanente do Poder Executivo do Município do Rio de Janeiro a categoria funcional de Professor de Ensino Religioso e dá outras providências.

Autor: Poder Executivo
O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º Fica criada no Quadro Permanente de Pessoal do Poder Executivo do Rio de Janeiro a categoria funcional de Professor de Ensino Religioso, para atuação exclusiva no âmbito da Secretaria Municipal de Educação – SME.
Parágrafo único. A composição numérica de cargos da categoria funcional criada por esta Lei corresponde a seiscentas vagas para Professor de Ensino Religioso.
Art. 2º O ingresso no cargo de Professor de Ensino Religioso dar-se-á mediante aprovação prévia em concurso público de provas e títulos, para atuação na rede Municipal de Ensino.
Parágrafo único. Constará do edital do concurso público que os professores admitidos para ministrar a disciplina de Ensino Religioso deverão ser aproveitados para outras disciplinas compatíveis com a formação, quando não houver, justificadamente, turmas específicas para esta disciplina.
Art. 3º As atribuições e especificações essenciais correspondentes à categoria funcional de Professor de Ensino Religioso encontram-se relacionadas no Anexo I desta Lei.
Art. 4º Os professores de ensino religioso deverão ser credenciados pela Autoridade Religiosa competente, que exigirá deles formação religiosa obtida em instituição por ela mantida ou reconhecida.
Art. 5º A implantação do ensino religioso, de caráter plural e de matrícula facultativa, priorizará inicialmente as escolas de ensino de turno integral.
Art. 6º A categoria funcional de Professor de Ensino Religioso estruturar-se-á nos padrões de escalonamento e de vencimento-base constantes do Anexo II desta Lei.
Parágrafo único. Os valores de vencimento-base constantes do Anexo II desta Lei referem-se ao mês de março de 2011 e estarão sujeitos aos reajustes gerais aplicáveis aos servidores municipais após aquela data.
Art. 7º Fica obrigada a Secretaria Municipal de Educação-SME afixar, nas escolas municipais onde será implantado o ensino religioso, em locais de fácil e clara visualização, cartazes de tamanho mínimo no padrão A3 contendo a seguinte informação: Aos Senhores Pais ou Responsáveis, a Disciplina Ensino Religioso é de matrícula facultativa, conforme o §1º do art. 210 da Constituição Federal.
Art. 8º Fica o Poder Executivo autorizado a regulamentar os procedimentos que se façam necessários em complemento à matéria de que trata esta Lei.
Art. 9º As despesas decorrentes da presente Lei serão atendidas pelas dotações orçamentárias próprias do Poder Executivo, conforme previsão na Lei Orçamentária Anual, ficando o Poder Executivo autorizado a proceder aos remanejamentos orçamentários, permitidos pela legislação aplicável, que sejam necessários ao cumprimento desta Lei.
Art. 10. Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Eduardo Paes

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Painel: "Questionamentos e Esperanças da Juventude: Desafios para a Igreja"




O Instituto Superior de Ciências Religiosas da Arquidiocese do Rio de Janeiro, filiado à Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio) realizou na última sexta-feira, dia 21 de outubro, no Auditório do Edifício João Paulo II, o painel “Questionamentos e Esperanças da Juventude: Desafios para a Igreja”.

O Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, acolheu a todos os presentes e deu a sua benção, juntamente com o Diretor do Instituto, Dom Karl Josef Romer, o Bispo Auxiliar do Rio e Animador da Pastoral da Juventude, Dom Antonio Augusto, e o Coordenador Arquidiocesano de Pastoral, Monsenhor Joel Portella, que ministraram a palestra.

Para Dom Orani, o trabalho que o Instituto Superior de Ciências Religiosas vem desenvolvendo na Arquidiocese do Rio contribui para uma formação integral do ser humano. O Arcebispo recordou ainda que todas as atividades promovidas pelo núcleo vão ao encontro do pedido que o Papa Bento XVI fez ao anunciar que a Igreja celebrará o "Ano da Fé" – que terá início em 11 de outubro de 2012, no 50º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II e se concluirá em 24 de novembro de 2013, Solenidade de Cristo Rei do Universo – que é "levar uma experiência de comunhão e fraternidade às pessoas que encontramos, comunicando-lhes a nossa experiência com Cristo e com sua Igreja".

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Dia Nacional da Juventude 2011


No próximo dia 30 de outubro será celebrado o Dia Nacional da Juventude 2011, DNJ, na Cidade do Samba, localizada na Zona Portuária do Rio de Janeiro.

Com início às 9h, o evento contará com diversas atividades. Missa, presidida pelo arcebispo da Arquidiocese do Rio, Dom Orani João Tempesta, e concelebrada pelo bispo auxiliar Dom Antonio Augusto Dias Duarte, animador do Setor Juventude. Logo após, haverá um stand up comedy, apresentado por Fábio Borges.

Ao meio-dia terão início as oficinas. Cada uma será realizada por uma pastoral ou um movimento. Os temas das oficinas serão "Sexualidade e afetividade", ministrada pelo setor pré-matrimonial da Pastoral Familiar; "Ditadura da moda e da beleza", organizada pela Comunidade Shalom; e "Direitos humanos", realizada pela Pastoral da Juventude, entre outras.

Às 14h20 haverá a pregação de Maria Emmir Nogueira, co-fundadora da Comunidade Shalom. Em seguida, acontecerá a adoração ao Santíssimo Sacramento, presidida pelo padre Renato Martins. Às 16h, será realizado o duelo de DJs católicos entre ElectroCristo e CristotecaRJ. O evento será encerrado às 17h.

O evento, organizado pelo Setor Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro, possui 700 jovens voluntários inscritos. Para Juliana Fernandes, uma das representantes do setor, o DNJ será uma oportunidade para um maior engajamento dos jovens.

Testemunho de Fé, nº 714

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O desafio missionário hoje


30/09/2011
Dom Orani João Tempesta - Arcebispo Metropolitano

O mês de outubro, como mês temático, tem duas vertentes. De um lado as Missões, que marcam as reflexões em nossas comunidades. É também o mês do Rosário, de antiga tradição, convidando-nos a uma vida de oração contemplativa. Esses dois temas se completam, pois necessitamos de uma densa vida espiritual e de orações para vivermos testemunhando Jesus Ressuscitado e o anunciando às pessoas do nosso tempo. Somos essencialmente missionários. Fixemo-nos hoje no tema das missões.

A caminhada da Santa Igreja perpassa por várias correntes referenciais para levar aos fiéis a plena compreensão do Reino de Deus. Dentre as correntes que se adotam no percurso da caminhada evangelizadora está a dimensão missionária.

Na caminhada histórica do Filho de Deus, a Igreja Católica apresenta o mês de outubro como o mês das Missões. Neste ano apresenta-se com o tema “Missão na Ecologia”, que as Pontifícias Obras Missionárias (POM) realizam como a Campanha Missionária 2011. A temática, como nos anos precedentes, está diretamente ligada ao tema da Campanha da Fraternidade, iniciativa da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que este ano é “Fraternidade e a Vida no Planeta”. Sempre foi consenso que os vários temas durante o ano poderiam ser ligados ou inspirados no tema da Campanha da Fraternidade. Nesse sentido, a Semana Nacional da Vida, começando no início de outubro e culminando com o Dia do Nascituro(08/10), nos recorda que toda a nossa reflexão ecológica não teria sentido sem a preservação e o respeito à vida humana.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

II Encontro Vocacional do Vicariato Jacarepaguá




No último dia 25 de Setembro, jovens de 11 paróquias do Vicariato Jacarepaguá reuniram-se na Igreja de São Bartolomeu no Itanhangá a fim de continuarem sua preparação para receberem o Sacramento do Crisma. Mas, achamos que encontraram mais... O pároco da igreja, Pe. Sérgio, logo percebeu o clima do ambiente e pronunciou: "Eu sinto que há alegria nessa igreja", de fato todos sentimos isso. Jovens alegres por estar ali, juntos, louvando o Senhor. Foram seis horas de encontro, que passaram muito rápido.


Os pedidos de mais um, mais um, sempre que os músicos paravam de tocar. Os gritinhos e assovios quando ouviam de um palestrante algo que chamava mais a atenção, os aplausos para cada um dos representantes do Clero que falaram, encheram a todos, jovens, formadores, padres, religiosos e religiosas presentes, de alegria contagiante.

O evento começou às 15h com as boas-vindas dadas pelo Vigário Episcopal, Monsenhor Jan Kaleta que os convidou a oração inicial e os abençoou para o que haveria de vir. Juntamente com o Monsenhor, o seminarista Arnaldo conversou com os jovens sobre o papel deles no mundo de hoje e na Jornada que se aproxima.

Depois de muito louvor, danças, trenzinhos, foi a vez de Irmã Lúcia Imaculada, CNSB conversar com os jovens sobre a unidade, tema do evento: "Em Cristo somos um". Durante o bate-papo com a Irmã, recebemos a visita de Padre Renato Martins, assessor vicarial da iniciação cristã que deixou como mensagem: "Sejam jovens católicos em todos os ambientes".

Veio o intervalo... E com ele, um momento para confraternização entre os jovens.

Após o intervalo a equipe vicarial apresentou alguns vídeos e conversou com eles sobre as Jornadas Mundiais, convocando-os: "Existem jovens na Igreja? Onde estão?". Convocação atendida aos gritos de “Sim, estamos aqui!”.

Com muita alegria eles receberam o último palestrante do dia, o seminarista Júlio César, que tratou das diversas vocações, salientando duas: a felicidade e a santidade. Uma das mensagens deixadas por Julinho (como os jovens o chamavam) foi: "Sejam apaixonados por Cristo, pois quando amamos, só pensamos naquele por quem estamos apaixonados".

Antes da Missa, a Pastoral Vocacional apresentou uma esquete teatral em que Moisés exortava o povo de Deus, a Igreja, a vida em santidade e a missão. Às 19h30, Padre Sérgio iniciou a Missa, e ao final, agradeceu a todos e pediu: "Voltem no próximo ano".

Se Deus quiser, voltaremos padre.





terça-feira, 20 de setembro de 2011

JMJ-2013: a juventude do Brasil abraça a Cruz



Sob o sol forte do domingo, dia 18 de setembro, mais de 100 mil jovens sustentaram em seus ombros, mesmo sem chegar a tocá-la, a Cruz peregrina da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), durante o Bote Fé, que aconteceu no Campo de Marte, em São Paulo.

Foi um dia que marcou os corações de todos os presentes e daqueles que puderam acompanhar, através dos meios de comunicação, a chegada dos símbolos da JMJ.

O ápice dessa grande festa, que começou às 9h, foi a Celebração Eucarística. Além da Cruz, os jovens acolheram o Ícone de Nossa Senhora na missa, presidida pelo Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, e concelebrada pelo núncio apostólico no Brasil, Dom Lorenzo Baldisseri, pelo presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno e pelo arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, juntamente com os demais bispos e sacerdotes presentes.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Homilia do Papa Bento XVI




Homilia do Papa Bento XVI no encerramento da Jornada Mundial da Juventude em Madri (21/08/11)

Queridos jovens,

Com a celebração da Eucaristia, chegamos ao momento culminante desta Jornada Mundial da Juventude. Ao ver-vos aqui, vindos em grande número de todas as partes, o meu coração enche-se de alegria, pensando no afeto especial com que Jesus vos olha. Sim, o Senhor vos quer bem e vos chama seus amigos (cf. Jo.15,15). Ele vem ter convosco e deseja acompanhar-vos no vosso caminho, para vos abrir as portas duma vida plena e tornar-vos participantes da sua relação íntima com o Pai. Pela nossa parte, conscientes da grandeza do seu amor, desejamos corresponder, com toda a generosidade, a esta manifestação de predileção com o propósito de partilhar também com os demais a alegria que recebemos. Na atualidade, são certamente muitos os que se sentem atraídos pela figura de Cristo e desejam conhecê-Lo melhor. Pressentem que Ele é a resposta a muitas das suas inquietações pessoais. Mas quem é Ele realmente? Como é possível que alguém que viveu na terra há tantos anos tenha algo a ver comigo hoje?

No evangelho que ouvimos (cf. Mt.16,13-20), vemos representadas, de certo modo, duas formas diferentes de conhecer Cristo. O primeiro consistiria num conhecimento externo, caracterizado pela opinião corrente. À pergunta de Jesus: “Quem dizem os homens que é o Filho do Homem?”, os discípulos respondem: “Uns dizem que é João Batista; outros, que é Elias; e outros, que é Jeremias ou algum dos profetas”. Isto é, considera-se Cristo como mais um personagem religioso junto aos que já são conhecidos. Depois, dirigindo-se pessoalmente aos discípulos, Jesus pergunta-lhes: “E vós, quem dizeis que Eu sou?”. Pedro responde formulando a primeira confissão de fé: “Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo”. A fé vai mais longe que os simples dados empíricos ou históricos, e é capaz de apreender o mistério da pessoa de Cristo na sua profundidade.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Encontro de Namorados com Cristo



Queridos(as) Irmãos(ãs),

A PAZ !

A Pastoral Familiar da Paróquia Santo Afonso convida NAMORADOS(AS) para participarem do ENCONTRO DE NAMORADOS COM CRISTO que acontecerá no dia 25/09 (Domingo).

Informações e inscrições podem ser obtidas na Secretaria da Paróquia Santo Afonso ou com a Pastoral Familiar.

Pastoral Familiar
Paróquia Santo Afonso
Te. (21) 2264-6162

domingo, 28 de agosto de 2011

FEIRA VOCACIONAL



A paróquia Nossa Senhora da Luz, no Rocha (Vicariato Norte), realizou no domingo, dia 28 de agosto, sua primeira FEIRA VOCACIONAL, coordenada pelo pároco, Padre Alexandre Moro.

Encerrando as comemorações do mês vocacional, o evento reuniu estandes de diversas congregações religiosas, do seminário arquidiocesano São José, da Pastoral Familiar para propagar a vocação ao matrimônio.

Além das exposições e "bate-papo vocacional" com a juventude, houve, ainda momentos de palestra, lanche, Adoração ao Santíssimo Sacramento e a Santa Missa.

Esperamos que eventos como esses se multipliquem em nossa Arquidiocese!! Parabéns pela iniciativa!





segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Comemoração pelo dia do catequista da iniciação cristã de jovens e adultos do vicariato norte


Dia 03/09 a partir das 13h.


Ao final, a Santa Missa presidida por Dom Roberto, onde todos os catequistas receberão suas carteirinhas e renovarão seus compromissos.
Local: Paróquia SS. Corações (Rua Conde de Bonfim, 474 – Tijuca)

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

17º Seminário de Jovens e Adultos



“Enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé.” Cl 2, 7
Local: Centro de Convivência Padre Miguel (R. Francisco Real, 365 – Padre Miguel)
Dia: 28/08/2011
Horário: 12h às 18h
Santa Missa às 16h
Ação sócio-cristão: doação de alimentos não perecíveis na entrada
Apresentação de dança: Ministério Magnífica (Paróquia N. Sra. das Graças)
OBS: Precisamos de voluntários para doar seu serviço no encontro vocacional em diversas atividades: apoio, acolhida, recepção, cantina, liturgia, limpeza, decoração, etc. As pessoas que puderem servir no evento, entrar em contato com Aparecida (3364-1627) ou ligue p/ Paróquia Santa Rita de Cássia (3403-6372). Contamos que permaneçam para a arrumação após o evento, pois tudo é preparado no dia.
PROGRAMAÇÃO DO DIA
07h30 – chegada das equipes de trabalho
12h00 – início (acolhida)
12h30 – início do evento com animação
12h50 – breve apresentação do evento
13h00 – apresentação de dança
13h10 – benção do evento
13h15 – animação
13h35 – preparação para o testemunho
13h40 – 1º testemunho
13h55 – momento de oração
14h10 – intervalo
14h30 – retorno do intervalo (animação)
14h45 – preparação para o testemunho
14h50 – 2º testemunho
15h00 – momento de oração
15h15 – animação
15h30 – intervalo
16h00 – Santa Missa
17h30 – encerramento / arrumação do espaço
19h00 – entrega do espaço

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Canto Litúrgico, catequese e comunicação

Por Dom Orani João Tempesta, O.Cist.
Arcebispo da Arquidiocese do Rio

Entre as alegrias dos encontros de comunicação que tivemos a oportunidade de hospedar nas últimas duas semanas, acrescentamos o 50º Curso de Canto Pastoral. Cantar a Liturgia é também comunicação! Este ano ele foi dedicado ao Mons. Amaro Cavalcante de Albuquerque Filho, que o iniciou aqui no Rio de Janeiro. Foram muitos encontros nesse mesmo estilo espalhados pelo Brasil na década de 60. Esses cursos, frutos do "movimento litúrgico", antecedeu, preparou e concretizou, posteriormente, o Concílio Vaticano II. Ele conta com uma parte teórica e formativa e outra de ensaio das novas melodias que a cada ano enriquecem o repertório musical de nossa Igreja. Mas o Canto Litúrgico é também catequético. Ele supõe e educa a fé.
O desafio da Igreja é a evangelização do mundo de hoje, mesmo em territórios onde a Igreja já se encontra implantada há mais tempo. Nossa realidade pede uma nova evangelização. A catequese coloca-se dentro desta perspectiva evangelizadora, mostrando uma grande paixão pelo anúncio do evangelho. Entrar no Mistério Pascal supõe uma catequese aprofundada. Talvez a grande dificuldade hoje seja justamente essa! Não bastam apenas as adaptações exteriores; é importante um aprofundamento da fé no Mistério Eucarístico.
Por isso seria importante que, como consequência dos encontros de Comunicação (Seminários dos Bispos e Mutirão Brasileiro de Comunicação) e do Jubileu de Ouro dos Encontros de Canto Pastoral, que pudéssemos estar nos comprometendo ainda mais com a Iniciação Cristã para uma catequese que aprofunde a fé de nosso povo.
Sendo o anúncio de Jesus Cristo um momento da evangelização (querigma), a catequese é um modo, dando-lhe continuidade. Sua finalidade é aprofundar e amadurecer a fé, educando o convertido para que se incorpore à comunidade cristã. A catequese sempre supõe a evangelização. Por sua vez, à catequese segue-se o terceiro momento: a ação pastoral para os fiéis já iniciados à fé, no seio da comunidade cristã através da formação continuada. Catequese e ação pastoral se impregnam do ardor missionário, visando à adesão mais plena a Jesus Cristo.
A atividade da Igreja, de modo especial a catequese, traduz sempre a mística missionária que animava os primeiros cristãos. A catequese exige conversão interior e contínuo retorno ao núcleo do Evangelho (querigma), ou seja, ao mistério de Jesus Cristo em sua Páscoa libertadora, vivida e celebrada continuamente na Liturgia. Sem isso, ela deixa de produzir os frutos desejados. Toda ação da Igreja leva ao seguimento mais intenso de Jesus e ao compromisso com seu projeto missionário.
A Liturgia é comunicação, mas é também catequese. Por isso, junto com o primeiro anúncio, sempre temos que nos preocupar com o aprofundamento da fé.
O fruto da evangelização e da catequese é o fazer discípulos: acolher a Palavra, aceitar Deus na própria vida, como dom da fé. Há certas condições da nossa parte, que se resumem em duas palavras evangélicas: conversão e seguimento. A fé é uma caminhada, conduzida pelo Espírito Santo, a partir de uma opção de vida e uma adesão pessoal a Deus, através de Jesus Cristo, e ao seu projeto para o mundo. isso supõe também uma aceitação intelectual, um conhecimento da mensagem de Jesus. O seguimento de Jesus Cristo realiza-se, porém, na comunidade fraterna. O discipulado, que é o aprofundamento do seguimento, implica renúncia a tudo o que se opõe ao projeto de Deus e que diminui a pessoa. Leva à proximidade e intimidade com Jesus Cristo e ao compromisso com a comunidade e a missão.
A catequese é, em primeiro lugar, uma ação eclesial: a Igreja transmite a fé que ela mesma vive, e o catequista é um porta-voz da comunidade e não de uma doutrina pessoal. A catequese faz parte do ministério da Palavra e do profetismo eclesial. O catequista é um autêntico profeta, pois pronuncia a Palavra de Deus, na força do Espírito Santo. Fiel à pedagogia divina. a catequese se ilumina e revela o sentido da vida.
A catequese comunica uma experiência de vida, um compromisso de fé, um caminho de seguimento. "O que existia desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, o que nossas mãos tocaram acerca da palavra de vida..., isto vo-lo anunciamos, a fim de que estejais unidos a nós" (cf 1Jo 1,1-3).
A catequese, mais do que transmitir verdades, comunica uma mensagem de vida, de fé, de compromisso com Deus, consigo mesmo, com o irmão e com a comunidade.
A catequese acontece através da intercomunicação pessoal e através da comunicação grupal como exercício de vida comunitária e partilhada.
A catequese agora necessita avançar para o uso dos equipamentos modernos de comunicação. As novas gerações nascem dentro da tecnologia.
A catequese na sua missão de fazer ecoar a mensagem da Boa Nova de Cristo deve criar instrumentos que garantam um processo de comunicação participativo e circular; valorizar a presença na comunidade local dos catequistas com uma formação especial no campo da comunicação. A Igreja deve estar atenta às perspectivas que se abrem no campo da educação à distância.
O educador na fé procura continuar a missão iniciada por Jesus guiado pelo Espírito Santo. Este serviço na Igreja é de fundamental importância. A Igreja valorizando o ministério dos catequistas atesta que serviço mais belo que do o catequista que anuncia a Palavra divina, que se une com amor, confiança e respeito ao próprio irmão, para ajudá-lo a descobrir a realizar os desígnios providenciais de Deus sobre ele. Eis que a missão do catequista consiste também em fomentar que as nossas comunidades sejam mais acolhedoras e catequizadoras.
O catequista é um anunciador da Palavra, alguém que procura de fato vivenciá-la no dia a dia. Seu testemunho é fundamental, pois não se pode separar a fé da vida quotidiana. O educador na fé tem uma tarefa extremamente árdua e delicada, porque a catequese não é um simples ensino, mas a transmissão de uma mensagem de vida, como jamais será possível encontrar em outras expressões do pensamento humano. Quem diz: 'mensagem', diz algo mais do que doutrina. Quantas doutrinas jamais chegam a ser mensagem! A mensagem não se limita a expor ideias; ela exige uma resposta, pois é interpelação entre pessoas, entre aquele que propõe e aquele que responde. A mensagem é vida. Cristo anunciou a Boa Nova, a salvação e a felicidade. Por ser uma mensagem de vida, é que a Igreja catequiza o povo.
A catequese nos últimos anos deu passos significativos. Em toda parte percebe-se um fervilhar de novas experiências e métodos mais adequados que nos orientem na caminhada. Este processo de renovação depara-se com alguns desafios: a catequese não pode ser uma simples iniciativa baseada na boa vontade, na improvisação. Disso decorre a necessidade de pensar, organizar e atualizar a catequese, buscar novos areópagos, animar os catequistas, criar um clima humano-afetivo. Surge, assim, a missão da Igreja do qual depende, em grande parte, a dinâmica e a renovação da catequese numa comunidade. Não tenha medo e avance nas águas mais profundas, atendendo ao apelo de Cristo e da Igreja, de anunciar o Evangelho e catequizar os homens e mulheres de boa vontade.
Testemunho de Fé (nº 702)

quarta-feira, 6 de julho de 2011

ENCONTRO DE CATEQUETAS

Aconteceu entre os dias 10 e 12 de junho, na Casa Provincial La Salle, em São Paulo, o Encontro de catequetas e professores de teologia pastoral. Trata-se de um projeto da Comissão da Animação Bíblica Catequética com a finalidade de articular os pesquisadores e professores para uma caminhada conjunta, em consonância com o movimento catequético brasileiro, além de proporcionar um espaço de partilha e de incentivo à pesquisa catequética.

O encontro deste ano refletiu os seguintes temas: Leitura Catequética da Verbum Domini e a Animação Bíblica da Pastoral e a Iniciação à Vida Cristã à luz das novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora. Os 19 participantes presentes nesta etapa também realizaram a partilha de suas produções e atividades pastorais. No final do encontro houve os encaminhamentos para a criação da Sociedade dos Catequetas do Brasil.

Irmã Lucia, Imaculada, coordenadora arquidiocesana da Iniciação Cristã apresentou, no sábado à tarde, a caminhada da Arquidiocese do Rio de Janeiro, na implantação do processo catecumenal.

Fonte: blog da Comissão Bíblico-Catequética da CNBB

quarta-feira, 15 de junho de 2011

6º Seminário de Jovens e Adultos




No dia 4 de junho, o Pe. Domingos Ormonde, doutor em Liturgia, que aplica o processo catecumenal em sua comunidade e tanto nos ajudou na elaboração do perfil do Introdutor, falou para 315 catequistas no 6º. Seminário da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos, realizado no auditório do Ed. João Paulo II.

Pe. Domingos quis escutar as experiências e dificuldades enfrentadas pelos catequistas de nossa Arquidiocese e teceu considerações importantes. Aqui estão algumas:

- estamos numa época promissora em que está aumentando o número de adultos que vêm buscar o Batismo, e não há divulgação deste fato;
- é importante que sejam também evangelizados os que já têm uma vida ativa na Igreja;
- a leitura orante da Palavra ainda não é uma prática comum na Igreja, como deveria deveria ser;
- situação alguma impede a evangelização (ex: casais em segunda união), o que se pode trabalhar e o tempo de evangelização nestas situações. Essas pessoas têm que ser acolhidas e participar da vida da comunidade dentro de seus limites;
- a iniciação cristã implica em revisão de vida, e só tem efeito a partir de uma decisão pessoal , senão é como se estivéssemos retomando o modelo antigo de catequizar;
- quando se fala em participação sacramental, fala-se em tomar parte na morte e ressurreição de Jesus Cristo. É algo mais que um registro. É tomar parte no evento de 2 mil anos atrás;
- os apóstolos participaram do próprio mistério, não foram batizados. Quem foi batizado foram os que se converteram, os que seguiram Jesus Cristo;
- a nós é dado participar sacramentalmente na morte e ressurreição de Jesus Cristo;
- entrar para o catecumenato é estar ingressando na morte e ressurreição do Senhor.