Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

terça-feira, 24 de maio de 2016

A verdadeira arma que muda o mundo: o amor misericordioso de Deus

A Iniciação Cristã de jovens e adultos participou da Hora Santa no último sábado, dia 21 de maio, na Igreja de Sant’Ana, no Centro. O celebrante da tarde foi o Cardeal Orani João Tempesta, acompanhado do pároco, padre José Laudares.
Na homilia, Dom Orani lembrou da preparação para a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, quando os jovens estavam reunidos em vigílias no Santuário de Adoração Perpétua, para rezar pelos desejos de cada peregrino que iria participar do encontro. O Cardeal também explicou o Evangelho do dia – o filho pródigo –, pelo olhar da misericórdia, tema da Semana Eucarística deste ano.
“Nessa hora especial de oração, vocês são chamados a experimentar a misericórdia de Deus e anunciar essa experiência de amor e misericórdia aos irmãos e irmãs”, convidou ele.
Pela primeira vez na Hora Santa, o jovem Rafael Monteiro, da Paróquia Santos Anjos, no Leblon, disse que a celebração o fez acreditar que Deus é essencial na sua vida e acolheu as palavras de Dom Orani no coração.
“Na homilia, o que me tocou foi quando o Cardeal disse que é necessário confiar em Deus e ter um coração aberto, porque somos jovens e ainda estamos começando a vida,” declarou o rapaz.
A celebração foi finalizada com a benção do Santíssimo, dada pelo Arcebispo do Rio.
“Foi muito lindo! A presença de Deus é muito forte nesse lugar e a adoração foi muito tocante. O que mais me emocionou foi quando cantaram o cântico da bênção do Santíssimo”, contou a jovem Fernanda Sampaio, da Paróquia Nossa Senhora de Loreto, em Jacarepaguá. 

Fotos: Marcos Arzamendia

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/4418/a-verdadeira-arma-que-muda-o-mundo-o-amor-misericordioso-de-deus

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Esporte e Paz

            A Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, em parceria com instituições alemães, está promovendo a campanha “Rio se Move”, com o objetivo de trabalhar a cultura de paz por meio da atividade esportiva e complementares para crianças e jovens dos projetos sociais da arquidiocese.
            Foi realizado um encontro inter-religioso denominado “Esporte pela Paz – Circuito Olímpico” na Paróquia São José, na Lagoa, neste dia 22 de maio, às 8h, na Avenida Borges de Medeiros, 2735. O encontro contou com a presença de diversos líderes religiosos, com o intuito de suscitar o diálogo entre o esporte e a paz entre as nações, além do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e do Comitê Organizador Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman. Após o encontro, foi realizado o “Circuito Olímpico”, também no espaço da igreja, com a prática de diversos esportes olímpicos. O encerramento estava previsto para 14h.
            Segundo o responsável pelo Departamento de Eventos Esportivos da Pastoral do Esporte da Arquidiocese do Rio, padre Leandro Lenin, “o projeto procura promover diversas atividades saudáveis que demonstrem como o esporte pode contribuir para o bom entendimento entre as pessoas, difundindo assim os valores olímpicos e cristãos. Estas atividades aproveitaram um espaço representativo e simbólico da cidade, a Lagoa Rodrigo de Freitas, para expressar o anseio da prática do esporte como meio de promoção da paz no contexto do ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016”, disse.
            A abertura do evento “Esporte pela Paz – Circuito Olímpico” teve início com missa realizada na Paróquia São José, na Lagoa, presidida pelo Cardeal do Rio Orani João Tempesta na manhã do dia 21 de maio. Estavam presentes padres e representantes das pastorais do Esporte do Rio de Janeiro.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/4411/esporte-e-paz-promove-atividades-esportivas-entre-jovens-no-rio-de-janeiro

terça-feira, 10 de maio de 2016

Papa encoraja jovens a dar a vida pelo Evangelho

Francisco pediu que no lugar da insatisfação que atinge os jovens  cresça a voz do Espírito que os leve a gastar a vida por causas nobres

O Papa Francisco iniciou suas atividades nesta terça-feira, 10, celebrando a missa na capela de sua residência, a Casa Santa Marta.
A homilia de Francisco foi inspirada no trecho dos Atos dos Apóstolos que narra a despedida de Paulo da comunidade de Mileto. Trata-se de uma cena emocionante: Paulo sabe, e o diz, que não verá mais aquela comunidade, os presbíteros de Éfeso que mandou chamar e agora estão ao seu redor. Chegou a hora de partir para Jerusalém, é ali que o Espírito o conduz, o mesmo Espírito do qual reconhece o absoluto senhorio sobre sua vida, que sempre o impulsionou ao anúncio do Evangelho, enfrentando problemas e penas.
Francisco destacou que este trecho evoca a vida do missionários de todas as épocas.
“Partiam obrigados pelo Espírito Santo: uma vocação! E quando, nesses lugares, vamos ao cemitério e vemos suas lápides: muitos morreram jovens, com menos de 40 anos. Porque não estavam preparados para suportar as doenças locais. Deram a vida jovens: ‘gastaram’ a vida. Eu penso que eles, naquele último momento, longe de sua pátria, de sua família, de seus caros, tenham dito: ‘O que eu fiz valeu a pena!'”.

Missionários, glória da Igreja
O Papa explicou que o missionário parte sem saber o que lhe espera e citou a despedida da vida de São Francisco Xavier narrado por José María Pemàn, escritor e poeta espanhol de 1900. Uma página que evoca aquela de São Paulo, que disse em seu discurso de despedida: “Sei apenas que, de cidade em cidade, o Espírito Santo me adverte, dizendo que me aguardam cadeias e tribulações”. Francisco disse que o missionário sabe que a vida não será fácil, mas prossegue.
Ao falar sobre os apóstolos de hoje o Papa se emocionou.
“Os nossos missionários, esses heróis da evangelização dos nossos tempos. A Europa que encheu de missionários outros continentes… E esses partiam sem voltar… Creio que seja justo agradecer ao Senhor por seu testemunho. É justo que nós nos alegremos por ter esses missionários, que são testemunhas verdadeiras. Eu penso em como foi o último momento deles: como pode ter sido a despedida? Como Xavier: ‘Deixei tudo, mas valeu a pena!’. Anônimos, foram embora. Outros mártires, isto é, oferecendo a vida pelo Evangelho. Esses missionários são a nossa glória! A glória da nossa Igreja!”.

Jovens, “gastem” a vida por causas nobres
Ao concluir, Francisco pediu que no lugar da insatisfação que atinge os jovens de hoje, cresça a voz do Espírito que os leve a gastar a vida por causas nobres.
“Gostaria de dizer aos jovens de hoje que não se sentem à vontade, que dizem ‘não estou muito feliz com esta cultura do consumismo, do narcisismo…’, olhem o horizonte! Olhem para lá, olhem para esses nossos missionários! Pedir ao Espírito que os obrigue a ir para longe, a ‘gastar’ a vida. É uma palavra um pouco dura, mas a vida vale a pena ser vivida. Mas para vivê-la bem, ‘gastá-la’ no serviço, no anúncio, e ir avante. Esta é a alegria do anúncio do Evangelho”.

Fonte: http://papa.cancaonova.com/papa-encoraja-jovens-dar-vida-pelo-evangelho/

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Arquidiocese lança campanha Rio se Move

No ano dos Jogos Olímpicos, a Arquidiocese do Rio de Janeiro realizou o lançamento da campanha “Rio se Move”, uma parceria com diversas instituições alemãs, no dia 26 de abril, na sede do projeto “Se Essa Rua Fosse Minha”, em Laranjeiras. A iniciativa tem como objetivo dar maior visibilidade a alguns programas existentes na arquidiocese que atuam em benefício daqueles que sofrem exclusão social, presente na dinâmica dos grandes eventos.
Durante o lançamento, o secretário-geral da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Ulrich Steine, destacou que a parceria é uma oportunidade de fazer com que os grandes eventos possam alcançar as pessoas que estão à margem da sociedade, de forma que, ao renovar as esperanças, esse possa ser um tempo novo para o povo carioca.
“O projeto ‘Rio se Move’ é a parte brasileira de uma iniciativa que nasceu na Alemanha chamada ‘Rio nos Move’. Junto a várias instituições de caridade, esse projeto percebeu as necessidades de nosso povo e colocou jovens e adultos à disposição para nos ajudar. Ao encontrar eco em nossa cidade, nós também fazemos parcerias. Chama-se ‘Rio se Move’ porque é a cidade se movimentando em prol dos seus. A CNBB, a Conferência dos Religiosos do Brasil e a ArqRio estão unidas a essas instituições alemãs para falar, pincipalmente, de um legado mais humanizado, de forma que os grandes eventos, como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, realmente possam chegar ao coração da nossa gente, incluindo, educando, dando mais expectativas e esperanças de que este evento que vai passar vai deixar um tempo novo na cidade”, destacou.

Evangelização e os Jogos Olímpicos
De acordo com o Cardeal Orani João Tempesta, por conta dos Jogos a cidade se tornou uma vitrine para o mundo e não pode deixar passar a oportunidade de evangelizar. O arcebispo ressaltou que a Igreja está atenta e busca estabelecer diálogos e pontes com os grupos envolvidos.
“Sabemos que o mundo dos esportes é um campo, ao mesmo tempo, fértil e aberto para a evangelização. O Rio de Janeiro vai receber esses grandes eventos esportivos, e a arquidiocese não pode se omitir diante da responsabilidade de fazer com que o Evangelho seja anunciado e os legados humanos e sociais se destaquem. Ao longo do século passado e também deste, pontífices e clérigos expressaram essa ligação por entenderem o esporte como uma importante ferramenta de promoção de bons valores à sociedade. É a primeira vez que uma cidade da América do Sul recebe tal evento. Isso fez de nossa cidade uma vitrine para o mundo, com seus elogios e críticas. A Igreja do Rio está atenta e procurando estabelecer diálogo e ponte com todos os grupos envolvidos, às vezes com sucesso, outras nem tanto”, ressaltou.
O cardeal ainda contou que na Vila Olímpica, local onde os atletas ficarão alojados, será feita uma ‘capelania’ inter-religiosa, na qual todas as religiões terão espaço. As pessoas também serão acolhidas nas paróquias próximas à região, e haverá celebração de missa em diferentes idiomas. Ele ainda lembrou que, durante a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, o Papa Francisco abençoou, pela primeira vez na história as bandeiras Olímpica e Paralímpica no Santuário do Cristo Redentor, fortalecendo ainda mais os laços entre a evangelização e o mundo dos esportes.
Em 2012, ao final dos Jogos de Londres, a arquidiocese recebeu dois símbolos: a cruz Olímpica e o ícone da paz. Tais sinais vão marcar a presença da Igreja nos grandes eventos esportivos mundiais.