Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

segunda-feira, 25 de abril de 2016

“Todo o batizado é um discípulo missionário”

O Ano da Esperança, vivenciado por toda a Arquidiocese do Rio de Janeiro em 2015, teve como gesto concreto a missão popular. Porém, a missionariedade, que jamais se encerra, terá continuidade durante o Ano da Misericórdia. Por isso, o Conselho Missionário Arquidiocesano (Comidi) realizará, no dia 7 de maio, na Catedral, uma formação para os Conselhos Missionários Paroquiais (Comipas), das 8h às 12h.
De acordo com o coordenador arquidiocesano da dimensão missionária, padre Licinho Cohen Couto, houve um crescimento na consciência missionária, mas também existe a necessidade de criar e dar estrutura às Comipas.
“Retornamos às atividades com muita alegria. O ano de 2015 foi muito efetivo, houve um envolvimento das paróquias de maneira que nos deixou muito contentes e sentimos, assim, o crescimento da consciência missionária. Agora, o grande passo que daremos será aproveitar toda essa motivação e o trabalho que foi feito para continuar através da criação e formação de Comipas. Desde a primeira reunião de 2016, estamos preparando esse encontro de formação porque é algo fundamental”, afirmou o padre.
O conselho missionário tem várias instâncias, a primeira delas é o Conselho Missionário Nacional (Comina), cuja função é animar as pessoas para o trabalho missionário, dar formação e estruturas. A nível regional, a Arquidiocese do Rio compõe o Conselho Missionário Regional Leste 1 (Comire Leste 1), tendo o bispo auxiliar Dom Paulo Cezar Costa como animador. Em seguida, o Conselho Missionário Diocesano (Comidi) e depois os conselhos missionários Vicarial e Paroquial, no qual o pároco é o responsável pela comissão.
Padre Licinho destacou que se faz necessário o envolvimento de todos os movimentos e pastorais. Ele ainda ressaltou que é preciso ultrapassar as pastorais mais conservadoras para dar continuidade à missão e que é fundamental que os leigos assumam o compromisso missionário.
“Queremos mostrar que os conselhos não são pastorais, mas querem envolver todas as forças na esfera em que trabalham. Queremos ter um representante das pastorais, justamente porque a missão é para todos. Desejamos que os movimentos se envolvam com o nosso trabalho e que nós também estejamos comprometidos com os deles, no sentido de que tudo deve ser missionário. Quando o Papa Francisco declarou que desejava uma Igreja em saída, ele quer mostrar que a Igreja somos todos nós. Temos as dificuldades, também por conta das pastorais de conservação, mas percebemos que o mundo atual clama com sede de Deus, e não podemos ficar com os olhos e ouvidos fechados para essa realidade. Queremos que cada vez mais o leigo assuma esse protagonismo da missão”, sublinhou.
Padre Licinho ainda acrescentou que, geralmente, os padres e os bispos recebem as funções de animadores, como aqueles que vão incentivar e deixar com que os leigos possam assumir também os trabalhos. O pároco pode ser o presidente, como aquele que está à frente, mas também delegar funções.
“A Conferência de Aparecida foi muito clara, enfática e muito feliz quando alertou que todo o batizado é um discípulo missionário. Então, as funções, os encargos, os ministérios, eles variam, mas nenhum tem a mesma importância dentro do aspecto missionário. Então, quando o documento nos deu a clareza dessa responsabilidade, vimos frutos maravilhosos”, acrescentou o padre.
De acordo com o padre, muitos missionários também se preparam para viver uma nova missão durante a Jornada Mundial da Juventude, que vai acontecer na cidade polonesa de Cracóvia, em julho deste ano.
“Estamos nos preparando com todo entusiasmo para a missão em Cracóvia, durante a Jornada Mundial da Juventude. Vários missionários estão se organizando e a gente quer entrar nesse espírito eclesial, nessa festa com a juventude. Estamos bem empolgados e com o espírito de que nós já recebemos o missionário maior, o Papa Francisco, aqui no Rio. Agora a gente quer de novo fazer essa experiência, mas de uma maneira nova, vamos levar esse espírito que o brasileiro tem de confraternização e alegria”, concluiu.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/4304/todo-o-batizado-e-um-discipulo-missionario 

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Jovens de todo o Brasil participam de Romaria em Aparecida

O Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (SP) recebe, neste final de semana, dias 9 e 10, centenas de jovens para a primeira Romaria da Juventude. Com o tema “Juventude com Cristo na casa de Maria”, o evento organizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude reúne as diversas expressões juvenis da Igreja no Brasil em sintonia com a 54ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). 
O bispo de Caxias (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, dom Vilsom Basso, manifestou sua gratidão pela participação expressiva da juventude de vários lugares do Brasil. 
            “Nós agradecemos a Deus e a Nossa Senhora Aparecida porque jovens de todos os recantos do Brasil vieram a Aparecida nesta primeira Romaria Nacional. Que Deus abençoe a Juventude e a Igreja possa continuar abraçando sempre essa causa, porque a Juventude é o presente, é o futuro de nossa Igreja”, desejou.

Tendas
Os bispos referenciais para a Juventude nos regionais da CNBB se dividiram, neste sábado, 9, pelas cinco tendas das expressões juvenis para conduzir catequeses.
Na tenda Rota 300, houve catequeses sobre “Espiritualidade da jovem Maria”, “Maria: Mãe das Vocações”, “Ecologia e vida”, “Obras de misericórdia” e “Maria, mãe da esperança”. O bispo de Barretos (SP), dom Milton Kenan Júnior, falou sobre as obras de misericórdia.
A tenda Movimentos teve as catequeses sobre os temas “Maria, a Rainha de toda a Criação”, inspirada no parágrafo 241 da encíclica Laudato Si, do papa Francisco, e “Mãe da Misericórdia ensina-nos a contemplar esse mundo com sabedoria”, com base na bula de proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia Misericordiae Vultus. Esta pregação foi proferida pelo bispo de São Luiz de Cáceres (MT), dom Antonio Emídio Vilar. 
“Um tema, justamente, na casa da mãe, neste ano da Misericórdia, para que ela nos ensine a olhar esse mundo com o mesmo coração de mãe, com a sabedoria que ela recebeu, como dom do Espírito para também olhar essa humanidade tão necessitada da misericórdia”, explicou dom Vilar.
O bispo de Três Lagoas (MS), dom Luiz Gonçalves Knupp, conduziu a reflexão na tenda da Pastoral da Juventude, com o tema Missão. No espaço, também houve catequese sobre “Ecologia” e foi abordada a temática da Semana da Cidadania, que está em sintonia com a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016 e com o eixo ecologia da Rota 300. As atividades da tenda foram encerradas com uma ciranda pela vida da Juventude.
A primeira catequese da tenda Congregações foi sobre “Espiritualidade da jovem Maria”. O módulo contou com uma feira do carisma e encerrou com a pregação sobre “Maria, mãe da esperança”, com o bispo de Jaboticabal (SP), dom Eduardo Pinheiro da Silva.
A tenda Novas comunidades teve catequese sobre o tema “Juventude em missão com a mãe Aparecida”. Os jovens puderam participar de uma roda de experiência missionária e de momentos de reflexão a respeito da missão, da assessoria e do projeto rota 300. “Maria e a nova evangelização” foi o tema da catequese com o bispo de Sobral (CE), dom José Luiz Gomes de Vasconcelos.
O bispo iniciou sua reflexão contextualizando os jovens na experiência da peregrinação, do tempo pascal, rumo a Pentecostes. “Então nós estamos no cenáculo com Maria, estamos para receber o Espírito Santo, para sermos essa Igreja missionária que nasceu a partir de Pentecostes, por isso é importante se situar dentro desse contexto. Maria foi a estrela da primeira evangelização. Foi Maria que congregou em torno dos apóstolos, que saíram cheios do Espírito Santo e anunciaram o evangelho a toda criatura”, explicou. 
“Hoje, Maria nos congrega novamente, congrega essa juventude maravilhosa, que sai em peregrinação”, disse dom Vasconcelos, que alertou aos participantes que a Romaria não é uma ocasião de turismo ou passeio. “Peregrinar significa sair, desinstalar-se, sair de si mesmo. É isso que nós queremos, sair para um encontro pessoal com o Divino Espírito Santo, com Jesus, o Divino Pai Eterno, com a Santíssima Trindade e com Maria e, a partir daí, sairmos em missão para uma nova evangelização”, disse.
Para o bispo de Sobral, uma nova evangelização precisa ser nova em seus métodos, na sua maneira de expressar-se, com o protagonismo jovem.
Na programação das tendas houve ainda oficinas, talk show, dinâmicas, momentos de partilha, animação, louvor e oração, rodas de conversa e intervenções artísticas.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Pessoas com deficiências múltiplas recebem visita de universitários em Curitiba

Na tarde da última sexta-feira, 1º, considerado como Dia da Mentira, os alunos que fazem parte da Pastoral Universitária do Centro Acadêmico da Faculdade Católica de Administração e Economia (FAE) realizaram uma atividade pra lá de verdadeira: com o coração cheio de alegria e disponível para fazer o bem, os jovens visitaram a Casa de Acolhimento Pequeno Cotolengo, em Curitiba (PR), local de referência no acolhimento, saúde, educação e qualidade de vida para pessoas com deficiências múltiplas, abandonadas pelas famílias ou em situação de risco. A missão já acontece há 50 anos e hoje atende 200 pessoas que moram no abrigo e mais de 40 mil que precisam de atendimentos anuais em 13 especialidades na saúde.
Durante a visita, os jovens puderam trabalhar com aqueles que são atendidos pela casa de acolhimento na confecção de peças artesanais para venda. De acordo com os participantes, foi uma rica partilha de vida, por meio da qual puderam desfrutar de entusiasmadas conversas sobre passeios que os atendidos fizeram e souberam um pouco mais de seus sonhos e alegrias.
Numa outra dinâmica, os jovens foram convidados a entrar nos espaços da casa e visitar aqueles que possuem mais dificuldades para se movimentar, muitas vezes fazendo uso das cadeiras de roda. Mas isso não foi impedimento para um bom passeio pelos jardins do local, regado de muita alegria e um clima fantástico para tal atividade, raro na capital paranaense. Jovens e atendidos também usufruíram de momentos de descontração com músicas e danças.

Por Frei Augusto Luiz Gabriel, ofm e Frei Gabriel Dellandrea, ofm

Fonte: http://jovensconectados.org.br/pessoas-com-deficiencias-multiplas-recebem-visita-de-universitarios-em-curitiba.html