sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Igreja no Brasil vive um kairós da juventude

            Protagonismo juvenil, formação de assessores, maior integração das expressões, falta de recursos humanos e materiais e eventos que marcaram a juventude brasileira nos últimos dois anos. Estes foram alguns dos avanços e desafios apontados pelos jovens que comporam a mesa de debates na tarde do dia 12 de dezembro, segundo dia do Encontro de Revitalização.
            Cada um trouxe, de acordo com a visão de sua expressão, os pontos positivos e as problemáticas enfrentadas pelos jovens e pela Igreja no processo de evangelização da juventude. Contudo, a mesa também deu lugar a quem não participa ativamente da Igreja: a jornalista Suzi Amanda de Souza, de Brasília (DF), foi convidada a responder como ela enxerga a Igreja Católica em sua relação com os jovens.
            Em sua fala, Suzi contou um pouco da sua trajetória e os motivos pelos quais ela se afastou da comunidade paroquial. Muito jovem, ela assumiu responsabilidades, como a catequese e a equipe de liturgia. Contudo, se viu em conflito devido a estas responsabilidades e ao ver que os jovens as recebem, buscam conquistar quem está fora da Igreja, mas eles mesmos podem não ter se deixado conquistar por Cristo.
            “É fácil entrar na Igreja quando adolescente, mas o desafio é mantê-lo”, apontou a jornalista ao ressaltar que os responsáveis por juventude precisam instruir mais as crianças, adolescentes e jovens sobre a importância da religião, além de enfatizar sobre a necessidade de acolhimento e boas homilias nas missa para o público juvenil. 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Cadastro nacional de grupo de jovens

Após a Jornada Mundial da Juventude Rio2013, muitos grupos de jovens ganharam um novo vigor. Agora a Equipe de Comunicação da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB deseja estreitar relações e lança o desafio: quantos grupos de jovens existem hoje no Brasil? Mais do que responder esta pergunta, o Cadastro Nacional de Grupos de Jovens vai criar uma linha direta entre grupos e a Comissão, facilitando a comunicação e possibilitando conhecer melhor a realidade e o trabalho da base das diversas expressões juvenis da Igreja.
“Queremos saber onde os grupos estão, quem são eles, como se comunicam e como agem diante os desafios e particularidades de cada região. O cadastro também vai ajudar a própria Comissão e a Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional a identificar e acompanhar esses grupos para gerar mais unidade no processo de evangelização da juventude”, explica o padre Carlos Sávio da Costa Ribeiro, assessor nacional da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude
Segundo o coordenador da Equipe de Comunicação, o jornalista Fernando Geronazzo, em muitas paróquias e comunidades existem grupos de jovens que não estão diretamente ligados a um carisma ou expressão juvenil em âmbito nacional ou até diocesano. “A própria JMJ estimulou muitos jovens para se reunirem a partir de afinidades e realidades em comum. É importante que esses grupos caminhem em sintonia com as organizações eclesiais já estruturadas enquanto Pastoral Juvenil na Igreja”.
Com o desenvolvimento das mídias digitais, os jovens encontraram novos espaços de organização que ultrapassam as estruturas eclesiais já conhecidas. “Esse é um novo desafio para a evangelização da juventude, que a Equipe de Comunicação deseja conhecer melhor, para que esses jovens sejam acolhidos”, acrescenta o jornalista.

Faça o seu cadastro AQUI

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Internet não basta para evangelizar; é preciso relações diretas, diz Papa

“Para anunciar Cristo, Internet não basta. Anúncio requer relações humanas diretas", disse Papa Francisco. Ele recebeu os participantes da Plenária do Pontifício Conselho para os Leigos, que se reuniram por três dias para debater o tema “Anunciar Cristo na era digital”.
Para Francisco, entre as possibilidades oferecidas pela comunicação digital, a mais importante diz respeito ao anúncio do Evangelho. Não se trata somente de adquirir competências tecnológicas, mas antes de tudo encontrar mulheres e homens reais, muitas vezes feridos ou perdidos, para oferecer a eles verdadeiras razões de esperança.
“A internet não basta, a tecnologia não é suficiente”, afirmou, recordando que o anúncio requer relações humanas autênticas e diretas.
Todavia, a presença da Igreja na rede não é inútil, pelo contrário, é indispensável estar presente, sempre com estilo evangélico, para indicar o caminho que leva Àquele que é a resposta. “A Igreja está sempre em caminho, em busca de novas vias para o anúncio do Evangelho. A contribuição e o testemunho dos leigos se demonstram sempre mais indispensáveis.”
Entre as oportunidades que a rede oferece, afirmou o Pontífice, devemos fazer como pede São Paulo: “Discerni tudo e ficai com o que é bom”, cientes de que, certamente, “encontraremos moedas falsas, ilusões perigosas e ciladas e evitar. Mas, guiados pelo Espírito Santo, descobriremos também preciosas oportunidades para conduzir os homens à face luminosa do Senhor”.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Jovens animados pela fé

Passados cinco meses da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, muitas paróquias e inúmeras famílias continuam colhendo os frutos do maior encontro dos jovens católicos com o Santo Padre. Neste espírito de unidade, a equipe da JMJ da Paróquia Imaculado Coração de Maria, no Méier, organizou um encontro de confraternização, no dia 7 de dezembro, com os voluntários que atuaram nas catequeses e Atos Centrais da jornada. Cerca de 125 voluntários recepcionaram peregrinos de 21 países diferentes, mais os brasileiros. 
O primeiro momento foi uma celebração eucarística em Ação de Graças pelos trabalhos realizados, às 17h, na comunidade. O presidente da celebração foi o vigário paroquial local, padre Alcimar Lima e Silva, que durante a JMJ liderou os trabalhos e ações realizadas pelo grupo de voluntários da paróquia.
Ao final da missa, os jovens participaram de uma parte social no play dos irmãos voluntários Gabriel Lopes e Fernanda Lopes, que junto com a família colaboraram com as atividades da comunidade na jornada.

Juventude missionária
Segundo padre Alcimar, a ideia do encontro nasceu com a vontade de reanimar nos jovens voluntários a vontade de servir a Igreja e de ser uma juventude de Cristo. E ainda afirmou que o encontro foi à oportunidade de “celebrar juntos a alegria de ser Igreja”.
“Este encontro nos permitiu voltar ao nosso primeiro amor, o desejo ardente de se tornar missionário, como os apóstolos. Foi um momento de muita descontração e alegria”, contou.
A juventude da paróquia já esta desenvolvendo diversas ações para angariar fundos que possam custear a ida de alguns jovens para a Jornada Mundial da Juventude 2016, em Cracóvia, na Polônia.

Lembranças
A jovem voluntária Talita Vieira Souza, estudante de engenharia de produção da UERJ, afirma que a JMJ foi uma experiência única para todos os voluntários. E ressaltou, que o reencontro foi a oportunidade de dar continuidade ao espírito da jornada.
“Tenho muitas saudades de tudo que pude viver, de todos os amigos que fiz e das amizades que fortaleci durante a JMJ. No reencontro de voluntários, lembranças e emoções marcaram presença. Foi muito bom rever aqueles que compartilharam comigo a alegria de ser jovem Cristo, ser a juventude do Papa”, disse.

Fonte: arqrio.org

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Jovens brasileiros entregam ícone de Nossa Senhora aos franceses

O ícone de Maria Sedes Sapientiae,que durante um ano esteve em peregrinação pelo Brasil passou, no último sábado, 30 de novembro, às mãos dos universitários franceses. A passagem simbólica do Ícone - que não é a reprodução de Nossa Senhora Salus Populi Romani, que acompanhou a Cruz Peregrina no Brasil – aconteceu ao final da celebração das Primeiras Vésperas celebradas por Papa Francisco na Basílica Vaticana. Rafael Belincanta acompanhou.
Após a celebração, milhares de jovens continuaram reunidos em festa na Praça São Pedro. Entre eles, jovens universitários brasileiros que estão estudando em Roma. Rodrigo Zanetti, de Carlos Barbosa (RS), carregava o ícone de Maria no momento em que este foi entregue aos jovens franceses e estava emocionado por ter cumprimentado Papa Francisco.
“Eu esperava estar perto do Papa, mas não tão próximo, por estar carregando o ícone de Nossa Senhora. No final, quando o Papa veio nos cumprimentar, foi o auge da celebração”, disse à Rádio Vaticano.
Durante a homilia, Papa Francisco voltou a usar a expressão que ficou conhecida durante seu encontro com os argentinos no Rio de Janeiro, só que desta vez em italiano.
“Não vejam a vida passar do balcão, desçam, misturem-se lá onde existem os desafios”.
Denis Uchôa, do Piauí, está há três meses em Roma e diz já ter percebido antes esse chamado de Papa Francisco.
“De um tempo pra cá já tenho visto essas ações do Papa no sentido de incentivar à caridade para com as pessoas que é, de fato, vivenciar o Evangelho”, relatou.
Por outro lado, Denis afirma que Papa Francisco também enfrenta desafios aqui na Europa onde, muitas vezes, seu pensamento não é bem compreendido.
“Porém, penso que Papa Francisco, com auxílio do Espírito Santo, esteja conseguindo transformar até mesmo os corações mais endurecidos”, finalizou.

Os Ícones de Maria
O conhecido ícone de Maria da Jornada Mundial da Juventude é uma reprodução da Salus Populi Romani (Salvação do Povo Romano) muito venerada pelos habitantes da Cidade Eterna e que se encontra na Basílica Papal de Santa Maria Maior. Todavia, Nossa Senhora acompanha os universitários do mundo em uma peregrinação similar - mas não sempre em coincidência.

Fonte: arqrio.org

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Jovens: destinatários privilegiados da ação evangelizadora da Igreja

A evangelização da juventude foi o tema refletido, na tarde do dia 22 de novembro, na Assembleia do Regional Leste 1 da CNBB.
A exposição do tema foi aberta pelo bispo auxiliar do Rio Dom Nelson Francelino Ferreira, referencial para a Pastoral Juvenil no Regional. Junto com a equipe de coordenação dessa pastoral, ele falou aos participantes da assembleia sobre o documento 85 da CNBB – “Evangelização da Juventude: desafios e perspectivas pastorais”.
O bispo chamou a atenção sobre o fato de que não se pode falar e considerar no processo evangelizador que exista apenas uma juventude. Na verdade, afirmou, existem “juventudes”. Segundo ele, a juventude é, por própria definição, plural. E não reconhecer essa pluralidade dificulta a ação evangelizadora.
“Hoje é muito importante isso, a ponto do Documento da CNBB 85 dizer que cabe as dioceses organizarem um Setor Juventude, no qual todas as expressões de evangelização da juventude construam um projeto diocesano e cada um saia para trabalhar com seu carisma, com sua metodologia, a partir desse projeto diocesano”, disse. 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Feliz natal e ano novo!

Por D. Eduardo Pinheiro da Silva
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB


Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil.

“Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria.”
(Francisco, Evangelii Gaudium)

FELIZ NATAL E ANO NOVO!
Estamos imersos na espiritualidade do Advento, entre a festa do Rei do Universo (24/11) e a comemoração pela vinda do Messias (25/12). Neste contexto, no final do “Ano da Fé”, Papa Francisco nos brinda com a bonita Exortação Evangelli Gaudium. Na vida e na missão do cristão não pode faltar o ingrediente principal da alegria. É uma questão de fé e, não, simplesmente um elemento psicológico da existência humana! Ao viver inundado da certeza da encarnação de Deus em nosso meio e do seu amor poderoso que nos acompanha, nos sentimos impulsionados a enfrentar as barreiras, viver intensamente o cotidiano, renovar os laços fraternos, assumir os desafios que contribuem com a vida plena de todos, principalmente dos mais necessitados.
O nosso testemunho de alegres amigos e servidores do Senhor nos garante impacto social e admiração dos jovens. A alegria é uma realidade capaz de nos sustentar em todos os períodos da vida, mas é na fase da adolescência e da juventude que ela aparece com mais força e pureza. Os jovens precisam perceber em nós a revolução existencial e transformadora que a adesão a Cristo nos provoca.
Para realizar o pedido que a Exortação Evangelli Gaudium nos faz de um “anúncio renovado” que proporcione, hoje, “uma nova alegria na fé e uma fecundidade evangelizadora” (n. 11) é necessário, mais do que nunca, contar com os jovens, acreditar na sua presença e ação. A experiência nos mostra que o “novo” trazido por Jesus Cristo é acolhido com mais rapidez, intensidade e compromisso pelos jovens, quando o anúncio lhes é feito de maneira criativa e empolgante, em clima de confiança.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

"Rio de Fé" estimula a cultura do encontro

Exaltando a cultura do encontro e a vitória da fé, o documentário “Rio de Fé – um encontro com Papa Francisco” apresenta a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013) com uma proposta interativa e jovem. A película de 85 minutos de duração tem a direção de Cacá Diegues, da produtora Luz Mágica, e distribuição da H2O Films. O DVD do filme, produto oficial da Jornada, será lançado no dia 5 de dezembro, com vendas em todas as lojas do país.
A película cumpre sua proposta de provocar o diálogo ao trazer as várias vozes da sociedade acerca da experiência de fé. “Filmamos o que vimos acontecer, ouvimos as pessoas que fizeram acontecer. Nossa grande adesão e entusiasmo foi pela vitória da fé, do amor e da delicadeza durante a Jornada. E pelas palavras do Papa Francisco”, destacou o diretor.
Durante o filme, mostra-se a cultura do encontro pregada pelo Papa Francisco, através de cinco olhares: a da Igreja, do peregrino, da cidade, da favela e da tolerância religiosa. Entre os depoimentos, há um amplo ‘leque’ de pontos de vista, incluindo um membro da Opus Dei, um ateu e o teólogo Leonardo Boff. Há também testemunhos de jovens participantes, como o de Priscila, moradora da Maré, voluntária da JMJ, que esteve perto do Papa durante os dias da Jornada. Pode-se acompanhar ainda a história de dois peregrinos que vieram a pé para o evento: o argentino Albert e o cearense Fábio Mateus. O testemunho do jogador de vôlei Riad Ribeiro é outro destaque do documentário. Ele reformou a sua casa para acomodar peregrinos de diferentes lugares, e conta sua experiência.
O documentário mostra também a experiência que peregrinos tiveram de conhecer outras religiões e visitar um centro de umbanda e candomblé durante a Jornada. O objetivo é mostrar que a crença é uma opção individual, mas que o encontro e o diálogo entre as pessoas que professam diversos credos são necessários para o mundo viver em paz. Outro momento registrado: o encontro de muçulmanos, católicos e judeus em um evento realizado na PUC-Rio. Juntos levantaram temas a respeito da fé do ser humano.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

19º Encontro Vocacional do Vicariato Oeste

Convidamos a todos para o 19º Encontro Vocacional da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos do Vicariato Oeste com o tema: “Senhor, que queres que eu faça?”
Domingo, dia 24/11, às 12h, no Centro de Convivência Padre Miguel (Rua Francisco Real, 365).
Pedimos que os participantes compareçam com qualquer camisa da JMJ.
Evento gratuito e aberto, voltado para catecúmenos, catequizandos e catequistas dos segmentos da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos, mas é aberto pra quem quiser participar.
Terá também oração, louvor, pregação, bazar, stand's vocacionais e a Santa Missa às 16h.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Jovens protagonistas da evangelização

Uma juventude que reza, participa e cultiva o desejo de evangelizar. Assim são os jovens católicos que estudam no Colégio Estadual José Leite Lopes, conhecido como Nave (Núcleo avançado em Educação), na Tijuca. Quatro meses antes da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, eles passaram a se reunir semanalmente, às quintas-feiras, para um momento de oração e partilha no auditório da escola. O grupo, constituído em média por 25 participantes, é formado por jovens de diferentes idades, bairros e turmas, variando entre os três anos do ensino médio. É, segundo eles mesmos gostam de definir, uma oportunidade de o jovem protagonizar uma missão própria no anúncio do Evangelho. Os jovens Alan Gripp e Tâmara Carvalho, que estão cursando o 3º ano do ensino médio, são os fundadores do grupo. Em entrevista ao Jornal “Testemunho de Fé”, contam as experiências, os desafios e os planos de evangelização do grupo.

Testemunho de Fé (TF) – Como surgiu a ideia de formar um grupo de oração com os estudantes?
Alan Gripp – Diariamente, nos deparamos com uma juventude plural, formada por várias ideologias e conceitos distorcidos de Deus e da Igreja. Precisávamos levar nossa experiência de amor a Deus a todos os outros jovens. Sabíamos que seria difícil, mas sentimos um grande apelo e chamado de Deus. O grupo é fruto de uma experiência de amor com o Ressuscitado que passou pela Cruz. O desejo de formar um grupo de oração na escola sempre existiu em nossos corações. Não só devido a nossa vontade de evangelizar nos ambientes em que estamos, mas principalmente pela necessidade extrema de levar Deus aqueles jovens que nunca tiveram a oportunidade de conhecê-Lo ou que ignoram sua existência.

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A importância de um Plano Pastoral

Brasília, 1º novembro de 2013.
CJ – C – Nº 081/13

Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil

“Os jovens são um motor potente para a Igreja e para a sociedade.”
(Francisco, julho 2013)

A vida nos ensina que uma meta não se atinge se não vier acompanhada de uma adequada organização que congregue esforços em sua direção. Como Igreja, que assume a responsabilidade de ser semente do Reino, acreditamos na necessidade e força de um bom Plano Pastoral.
            Neste tempo favorável à juventude, à luz do convite do Papa Francisco para construirmos a cultura do encontro e da acolhida, é imprescindível a existência de um processo que nos ajude na evangelização da juventude. Toda Paróquia, para seu crescimento e dinamismo pastoral, merece algo elaborado e escrito que sustente suas grandes e importantes opções. Caso contrário, conseguiremos muito pouco, perderemos preciosas oportunidades, alimentaremos apatias e omissões.
Provavelmente, há Paróquias que já possuem um Plano que as oriente, mas outras não têm este hábito tão salutar, capaz de garantir serenidade e clareza no caminhar. Sugiro a estas que, como gesto significativo deste “Ano da Juventude”, se empenhem na elaboração de um pequeno “Plano Paroquial da Evangelização da Juventude”. Não precisa ser complexo nem muito técnico ou milimetricamente organizado, mas uma redação que, sendo fruto de um planejamento participativo, contemple a realidade, sustente os sonhos, aponte caminhos concretos.
Há vários modelos de Plano; é importante escolher um que seja factível, tenha poder de envolvimento das novas gerações e incremente o protagonismo juvenil. Apresento-lhes, a seguir, alguns esclarecimentos e, depois, sugestões para a sua realização.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Arquidiocese do Rio celebra 28º DNJ

Os jovens da Arquidiocese do Rio de Janeiro reuniram-se, no domingo, dia 3 de novembro, na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro, para celebrar o 28º Dia Nacional da Juventude (DNJ). O encontro teve início às 9h e a Santa Missa foi celebrada às 10h, pelo arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta. Dom Luiz Henrique da Silva Brito e Dom Roque Costa, bispos auxiliares, concelebraram. O encontro teve como tema “Juventude e missão” e lema "Jovem, levante-se, seja fermento".
O Coral Carioca, que cantou para o Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude, animou a Santa Missa. Na homilia, Dom Orani ressaltou a importância dos jovens continuarem em missão, evangelizando, como foi proposto durante a JMJ Rio2013, acontecida em julho.
“Aquele que se encontra e é discípulo de Jesus, não tem como viver, se não como missionário. Esse foi o tema da Jornada, ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações’, é o tema que recebemos no mês de outubro e tema do DNJ, ‘Juventude e missão’. E sabemos que ser missionários não é apenas colocar e tirar algo, como se fosse uma roupa: é o próprio sangue, que circula em nossas veias, e nos faz sermos missionários sempre, a cada instante, em cada momento. E é isso que hoje a Igreja aqui do Rio de Janeiro confia a vocês, caríssimos jovens”, incentivou o arcebispo.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Jovens em missão

            De diversas formas os batizados podem exercer sua vocação missionária. Nesta edição, o Testemunho de Fé entrevistou dois jovens que vivem de forma diferente a sua missionariedade: um deixou a sua cultura para viver em terras distantes e lá fazer o anúncio do Evangelho, outro se tornou um evangelizador em seu cotidiano, na sua própria paróquia. Vivenciando diferentes histórias, Cosme Fernandes de Aguiar e Raphael de Oliveira colaboram, a cada dia, para que mais pessoas conheçam a alegria de viver em Cristo.

Tudo deixar por Cristo
            Cosme Fernandes Aguiar, membro da Comunidade de Aliança da Comunidade Católica Shalom há dez anos, esteve em missão na Tunísia de 2009 a 2012. De acordo com ele, foi difícil deixar tudo – família, trabalho e estudos – para seguir esse convite missionário.
            “Você tem uma estabilidade de vida e de repente Deus, através da Igreja, te pede para deixar tudo o que conquistou e partir para evangelizar em outra cultura. No primeiro momento parecia algo impossível, mas Deus tranqüilizou meu coração pela forma como as coisas foram acontecendo durante o processo de envio”, explicou Cosme, que aprendeu a viver o cristianismo num país de maioria muçulmana.
            Cosme teve de deixar o cargo de gerente de qualidade numa empresa, a faculdade de engenharia e sua mãe, que sofreu um problema de saúde antes de sua partida para a missão junto aos jovens tunisianos.
            “Deus me fez entender que, mesmo aqui eu não era a segurança da minha mãe, mas que Ele, sim, é. Essa experiência me deu a segurança de que Deus proveria tudo na minha ausência”, contou.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Doe de coração

            Para o grande sucesso da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, o Comitê Organizador Local (COL) contou com a participação de milhares de voluntários e benfeitores. E agora, lança uma nova campanha de arrecadações. Mais uma vez é feito um apelo para que os últimos investimentos que foram feitos sejam quitados.
            Essa campanha oficial conta com o apoio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Vários artistas participam e apoiam a ação que está sendo desenvolvida. E todos eles, gentilmente, cederam o direito de imagem e autoral.
            As doações podem ser feitas pelo site www.doarjmj.com.br ou pela conta corrente 20130-5, agência 0204, do Banco Itaú.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Programação do DNJ 2013

No domingo 3 de novembro, um grande evento movimentará a juventude carioca. A partir das 9 horas da manhã será realizado na Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro, localizada na Av. República do Chile – Centro, o Dia Nacional da Juventude (DNJ) 2013 que está em sua 28ª edição na cidade do Rio de Janeiro.
Na cidade maravilhosa o dia contará com momentos de oração, celebração eucarística presidida por Dom Orani Tempesta, muita música, Adoração Eucarística, pregação e testemunhos de jovens missionários. Este ano uma Feira Missionária será montada durante o evento, movimentos, novas comunidades e pastorais divulgarão seus trabalhos missionários para a juventude, para que cada jovem possa conhecer as distintas realidades. A juventude também encontrará espaços para aconselhamento e confissões.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Animação Missionária

            A 1ª Manhã de Animação Missionária da Arquidiocese do Rio acontecerá no dia 19 de outubro, a partir das 8h, na Catedral de São Sebastião, no Centro do Rio. O arcebispo Dom Orani João Tempesta presidirá, às 9h, a missa, que será transmitida pela Rádio Catedral FM 106,7 e RedeVida de Televisão.
            No encontro, animado pela Comunidade do Caos à Glória, haverá partilhas e testemunhos. Estão previstas as presenças dos padres Francisco Dinelly, vigário geral da Diocese de Parintins (AM), e Geraldo Dondici, da Arquidiocese de Juiz de Fora (MG).
            “Esperamos que seja um momento significativo para a caminhada missionária de toda a diocese, e para que cada vez mais pessoas possam viver a vocação de discípulos e missionários de Jesus Cristo”, afirmou o coordenador da Comissão Missionária Diocesana (Comidi), padre Ludendorff Cohen Couto (Licinho).

Fonte: Jornal Testemunho de Fé

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

CNBB promoverá Encontro Nacional de Revitalização da Pastoral Juvenil

Com a finalidade de planejar as atividades de evangelização dos jovens no Brasil, a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB promoverá, de 11 a 15 de dezembro, em Brasília, o Encontro Nacional de Revitalização da Pastoral Juvenil. As inscrições estarão abertas de 10 de outubro a 10 de novembro, por meio do site:www.jovensconectados.org.br 
O objetivo do encontro é contribuir para que a Igreja no Brasil e as expressões juvenis possam colher, de forma concreta, os frutos dos acontecimentos relacionados à juventude. Durante os últimos anos, foram diversas as atividades no país como a peregrinação dos símbolos da JMJ, os Botes Fés, os Seminários Nacionais de Jovens, a Campanha da Fraternidade, a Jornada Mundial da Juventude, entre outros eventos diocesanos e de diversas expressões que trabalham com juventude. O encontro é destinado ao adulto responsável da evangelização da juventude diocesana; jovem líder representante de cada diocese que represente o conjunto de expressões juvenis na diocese; assessores nacionais adultos de cada expressão juvenil (Movimentos, Pastorais da Juventude, Novas Comunidades); assessor adulto de cada congregação religiosa que trabalha com juventude e a coordenação nacional de cada expressão juvenil.
Acompanharão o encontro os bispos referenciais da juventude nos Regionais da CNBB; bispos referenciais regionais para as questões da JMJ; o coordenador nacional dos Centros e Institutos de Juventude e da Pastoral Presbiteral do Regional; os coordenadores nacionais de algumas pastorais afins; além das equipes Jovem de Comunicação e de Subsídios e a Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional, todas da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ) da CNBB.


segunda-feira, 7 de outubro de 2013

"Juventude e Missão" é tema do DNJ 2013

O Dia Nacional da Juventude (DNJ) será celebrado na Arquidiocese do Rio no dia 3 de novembro, domingo, na Catedral de São Sebastião. A concentração será às 9h. O tema deste ano é "Juventude e Missão" e o lema: "Jovem levante-se, seja fermento".
Segundo Juliana Fernandes,coordenadora arquidiocesana da Pastoral da Juventude, haverá testemunhos, adoração, pregação com o Diogo Rocha, da Comunidade Shalom, shows de Olívia Ferreira, Coro Carioca e Bruno Camurati Frutos de Mejugorje, e apresentação teatral a cargo do Circo da Comunidade Aliança da Misericórdia. A missa será presidida pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, às 10h. Haverá, ainda, uma feira missionária.
O DNJ deste ano é uma oportunidade para fortalecer os processos de acompanhamento dos jovens e não deixar as coisas desanimarem com o encerramento da Jornada Mundial da Juventude, desafiando toda a Igreja Jovem do Brasil a assumir o compromisso missionário celebrado na JMJ.

História do DNJ
No ano de 1985, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) escolheu o quarto domingo do mês de outubro para celebrar o Dia Nacional da Juventude. As pastorais da juventude eram as únicas expressões de juventude organizadas nacionalmente. Dessa forma, a CNBB confiou-lhes o protagonismo dessa celebração.
Nas últimas décadas cresceu visivelmente o número e pluralidade de grupos, movimentos e novas comunidades que organizam-se nacionalmente em prol da evangelização dos jovens. Assim, a partir do ano de 2011, com a criação de uma Coordenação Nacional de Jovens, o DNJ passa a ser organizado por elas. 

Colaboração: Marcylene Capper (Jornalismo Rádio Catedral)
Fonte: arqrio.org

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Rio se despede dos símbolos da JMJ e da relíquia do Beato João Paulo II

A Relíquia de João Paulo II e os Símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) Rio2013 estarão presentes no dia 13 de outubro, às 8h, no Santuário Nossa Senhora de Fátima para uma missa de despedida presidida pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta.
A relíquia, parte do sangue de João Paulo II, foi a mesma utilizada no processo de beatificação do Pontífice. Ela passou por diversas Paróquias e Mosteiros cariocas entre os meses de agosto e setembro.
“Estimo que a relíquia foi tocada por mais de 50 mil pessoas. O acolhimento foi muito grande”, comenta o responsável pela visita da relíquia, Eduardo Monteiro.
Nos dias 7 e 8 de outubro, a relíquia estará na Paróquia São Judas Tadeu, em Bangu, e entre os dias 9 e 10 ela será levada para o Colégio Instituto Pio XI de onde seguirá direto para o local da cerimônia.

 Caminho dos Símbolos
            Durante 22 meses, a Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora percorreram mais de 250 dioceses no Brasil. De acordo com o responsável pelos símbolos no Rio de Janeiro, Padre Jefferson Merighetti, cerca de 50 milhões de jovens e pessoas de todas as idades participaram da peregrinação.
“Os símbolos tiveram uma importância muito grande na realidade de fé dos brasileiros, pois moveram muitos corações para Deus. Quando eles estiverem em terras distantes, com certeza vamos lembrar as diversas emoções e momentos que passamos. São experiências de fé que vão ficar cravadas em nossas vidas para sempre” disse ele.
Padre Jefferson ressalta ainda que a cerimônia de despedida será um momento de coração apertado, uma vez que a passagem dos símbolos despertou um desejo de viver intensamente o protagonismo cristão, para levar milhares de jovens a perceberem a importância de viver a missão de ser discípulo de Jesus Cristo.
“Nessa cerimônia, vamos nos despedir com alegria dos símbolos da JMJ e da relíquia de João Paulo II e vamos sonhar daqui a um tempo, revê-los na Polônia” finaliza.
A cruz peregrina e o Ícone de Nossa Senhora serão entregues no próximo ano, na missa do Domingo de Ramos, pelo Papa Francisco a uma comissão da Polônia, país sede da Jornada Mundial da Juventude em 2016.
O Santuário Nossa Senhora de Fátima fica na Av. Alfredo Baltazar da Silveira, 900 no Recreio.

Fonte: arqrio.org

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Curso de Formação Missionária

            No dia 05/10, de 9h às 14h, acontecerá um Encontro de Formação Missionária no Edifício João Paulo II (Rua Benjamin Constant, 23 - Glória), no auditório do 2º andar.
            Serão palestras sobre juventude missionária, campanha missionária e IAM (Infância e Adolescência Missionária).

Participe!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Nenhum cristão pode abrir mão de ser missionário

Brasília, 01 de Outubro de 2013.

Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil.

 Educá-los na missão, a sair, a pôr-se em marcha, a estar sempre nas ruas pela fé. Assim fez Jesus com seus discípulos: não os manteve apegados a Ele como a galinha aos pintinhos; os enviou. [...] Empurremos os jovens para que saiam.” (Francisco, 27/07/2013)

Chegou, mais uma vez, o “Mês Missionário”. Já é tradição dedicarmos este mês à reflexão sobre esta dimensão que faz parte de nossa vida cristã. Nenhum cristão pode abrir mão de ser missionário, uma vez que esta realidade é intrínseca ao Batismo. Podemos atuar missionariamente de maneiras diferentes, mas todos acolhem o mesmo mandato de Jesus Cristo: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19).
Há tempo estou percebendo – e me alegrando! – que os conceitos “missão” e “missionário” vêm sendo acolhidos normalmente pelas novas gerações. “Ser missionário” ou “fazer missão” ou algo deste gênero, já não remete mais à ideia exclusiva dos louváveis missionários e missionárias, quase sempre sacerdotes e consagrados, que se deslocavam de terras estrangeiras para conviver e servir à evangelização em nosso país, principalmente nos lugares mais desafiadores. Hoje, com muita naturalidade, os jovens estão se apropriando destes termos e buscando formas novas de fazerem valer esta sua vocação batismal. Isto é maravilhoso! Saibamos valorizar esta realidade para que eles possam, ali onde vivem, testemunhar mais fortemente ao mundo a gratuidade do serviço em prol dos mais desfavorecidos, sofredores e esquecidos de nossa realidade.
Na JMJ Rio 2013 nossos jovens foram, de maneira intensa e celebrativa, provocados a entenderem e vivenciarem este chamado. Certamente voltaram para suas casas, comunidades, grupos, paróquias, escolas, animados em fazer valer o que o Papa Francisco soube tão bem motivar. E agora nos vem uma dúvida: o que eles estão encontrando em nossos ambientes? Não basta Jesus Cristo enviar estes seus jovens discípulos, nem o Papa motivá-los à missão se eles não forem colocados em situação de desenvolvimento deste mandato. Há muita energia de amor e serviço concentrada no coração e nos sonhos dos jovens, aguardando ocasiões propícias para sua propagação. A fala do Papa na Catedral do Rio foi muito direta aos adultos, evangelizadores e educadores da juventude: cabe a nós a responsabilidade de educar os jovens para a missão,empurrando-os às ruas para que sejam protagonistas de uma nova história, a partir da fé em Jesus Cristo e de sua vivência eclesial.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A universidade é campo de missão

Depois de participar do Encontro Brasileiro de Universitários Cristãos (EBRUC) que foi realizado em outubro de 2012, em Curitiba no Paraná, um grupo de amigos e estudantes da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), sentiu no coração o desejo de partilhar uma vivência cristã mais profunda dentro do ambiente acadêmico. Impulsionados com a proximidade da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013) que aconteceu em julho deste ano, eles criaram o Grupo de Oração Universitário, mais conhecido como GOU.
O grupo é um espaço de partilha cristã e faz parte do Ministério Universidades Renovadas (MUR) que atua em instituições de ensino superior em todo o país. O objetivo do MUR é levar a experiência de pentecostes a cada professor, estudante e funcionário que transportará para sua prática profissional os ideais vividos dentro da doutrina da Igreja Católica.
Os encontros, que duram aproximadamente 1h, acontecem todas as quartas-feiras, às 11h e às 16h, no meio do Bosque da Universidade, local que além de agradável, atrai olhares dos que passam e entusiasma a participação de pessoas de outras denominações cristãs ou não cristãs que queiram viver um momento de reflexão do Evangelho em meio à correria da rotina universitária.
Para uma das motivadoras do grupo, a estudante de Jornalismo Natassha Cotts, o GOU é mais que um grupo de oração que se reúne semanalmente.
“O GOU é importantíssimo na formação da vida de cada um, pois cria laços na área religiosa, afetiva e humana. A Universidade é um local de troca onde temas como fé e razão são constantemente discutidos. Juntos, nós dialogamos com a mesma linguagem expondo questionamentos e dúvidas acerca de como vivenciar Jesus. Aqui todos têm voz e espaço para dar seu testemunho”, disse.

Espalhando o amor dentro do Campus
No início, os encontros tinham menos de dez pessoas, agora, depois da JMJ Rio2013, o círculo aumentou e conta com a presença de cerca de 30 participantes. O número cresceu com a evangelização de alunos nos corredores do campus da Universidade.
 “Quando nós víamos as pessoas com camisas da JMJ, crucifixos, terços ou qualquer coisa que a identificasse como cristã católica, nós fazíamos a abordagem convidando-a para o GOU. A JMJ trouxe um novo ardor missionário e uma vontade de fazer algo para multiplicar as palavras de Jesus dentro do campo universitário”, ressaltou Eli Geovane Sant’Anna, estudante de Serviço Social e um dos idealizadores do Grupo.
Os encontros são coordenados pelos próprios membros ou por pessoas convidadas por eles.
“Começamos com uma oração inicial e um canto de louvor. Logo depois da leitura de uma passagem bíblica, que muda semanalmente, temos um momento de silêncio para meditação da palavra e uma partilha. A oração final é seguida de um canto atrelado ao tema”, conclui a estudante Natassha. 

Fonte: Jornal Testemunho de Fé

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Milagroso resgate de uma jovem nos EUA

            A jovem Katie Lentz sofreu um terrível acidente em uma rodovia de Missouri (USA). Quando a equipe de socorro já estava perdendo a esperança de poder retirá-la com vida do meio das ferragens retorcidas de seu automóvel, a jovem pediu: “rezem em voz alta”. Um sacerdote apareceu para ajudá-la a orar e logo desapareceu sem deixar rastro.
            O pessoal de resgate assegurou que, com suas orações, o sacerdote os ajudou a recuperar a força que necessitavam para salvar Katie e agora junto com os familiares e amigos da jovem o procuram para agradecer.
            O curioso episódio ocupou várias páginas de importantes meios de comunicação nos Estados Unidos e alguns inclusive questionam se se tratou de uma pessoa real ou de um ser celestial.
            Os fatos ocorreram em 4 de agosto, dia em que  Igreja celebra a festa de São João Maria Vianney, padroeiro dos sacerdotes.
            Nesta manhã, a estudante de Odontologia se dirigia da casa de seus pais em Quincy, para uma igreja cristã onde se reuniria com amigos para desenvolver um trabalho da universidade. Seu carro bateu com outro veículo, ficando totalmente destruído.
            A equipe de resgate liderada por Raymond Reed, chefe dos bombeiros de New London, tentou por 45 minutos libertar a jovem. Katie perdia seus sinais vitais, mas permanecia tranqüila e se mantinha falando.
            Ao lado do automóvel sinistrado, um helicóptero esperava para transladá-la ao centro de emergência mais próximo. Os bombeiros sabiam que estavam sem tempo e não acreditavam que Lentz sobreviveria. Foi então que a jovem perguntou se alguém podia rezar com ela “em voz alta”, e se escutou uma voz que disse “eu o farei”.
            O pessoal de resgate assegurou que quem respondeu ao pedido da jovem foi um sacerdote católico de compleição média e cabelo grisalho, de 50 ou 60 anos de idade, que vestia calças e camisas negras.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Jovens que testemunham a fé

A leitura e a reflexão da Sagrada Escritura também são uma realidade na vida da juventude. Como mostra o testemunho de um grupo de jovens cristãos da Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhaúma, em Bonsucesso, que semanalmente se reúnem para participar dos encontros dos Círculos Bíblicos.
O perfil dos participantes do grupo varia entre 17 a 25 anos de idade, em sua maioria são universitários e moradores de comunidades de Bonsucesso e do Complexo de Manguinhos.
Nos encontros, os temas desenvolvidos abordam as seguintes perspectivas: Encontro pessoal com Jesus e a aceitação de um projeto de vida baseado no Evangelho (DOC. 85 Evangelização da Juventude, Nº 3, página 10, CNBB).

 Para que outros enxerguem a Cristo
As reuniões acontecem todos os sábados, às 16h30, no salão da paróquia, com a coordenação da estudante de psicologia Priscila Marinho, de 21 anos.
Segundo Priscila, o desejo de aprofundar seus conhecimentos sobre a Bíblia veio ao perceber que para os jovens conhecerem a Cristo, era preciso de fato estudar, pesquisar e acima de tudo viver a palavra de Deus.
“Para mim, pregar os ensinamentos da Sagrada Escritura é uma honra, é a minha própria vida e percebo que a minha alegria e anseio em anunciar tem tocado àqueles que, também, estão buscando o caminho, a verdade e a vida, ou seja, buscando o próprio Cristo e uma vida íntima e autêntica com Ele”, afirmou.
E ainda contou:
“O nosso grupo tem se fortalecido, e aos poucos novas pessoas estão se aproximando de nós com a alma sedenta de Deus. Escolhemos a melhor parte e lá, aos sábados, que para muitos é dia de relaxar e se divertir, encontramos a razão da nossa existência, o sentido de nossas vidas e a fonte inesgotável de graça. Encontramos o Cristo”.

Primeiros Passos
            No começo do projeto, os encontros eram na Paróquia Santa Bernadete, em Higienópolis, sendo os pioneiros do grupo os jovens Jardel Leles Cruz, Daniel Gonçalves, Leonardo Alta e Luiz Alberto da Silva.
            Para Luiz Alberto, os jovens que participam dos encontros sempre buscam levar as experiências que vivem para todos os lugares em que freqüentam e participam, sendo isso “fruto do trabalho”.
            “A ideia de começar um círculo bíblico jovem nasceu exatamente da sede que os jovens tinham em querer compreender mais sobre a Bíblia. Foi quando tivemos a iniciativa de reuni-los em torno da palavra para que pudéssemos escutar e partilhar sobre os evangelhos”, afirmou.

Momentos de convivência
            Mas os encontros dos jovens não se restringem às partilhas da palavra aos sábados. Para aprofundar os laços de amizade são realizados diversos momentos de convivência. “Marcamos sempre na casa de algum membro do grupo, vamos ao teatro, ao cinema, fazemos trilhas juntos, estamos sempre idealizando encontros”.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Otimismo cristão

Encontrar em Cristo as respostas para as mais altas e comuns aspirações humanas e poder saciar a fome de verdade e de amor autêntico foi a tônica das palavras e dos gestos do Papa Francisco nos dias da JMJ Rio 2013 e agora no Pós-Jornada, é o momento especial para tornar realidade essas respostas divinas.
Ao exortar a todos os jovens e adultos, a todos os padres e bispos, na promoção da cultura do encontro e do diálogo com o outro, o Santo Padre abriu um horizonte inimaginável para as gerações que vivem nesse mundo da pós-modernidade.
A geração passada, a de nossos pais e avós, a geração atual, a dos adolescentes e jovens, a geração futura, a das crianças e bebês, têm diante de si um mundo em contínuas e rápidas transformações que lhes questiona de forma bem enigmática.
Esse questionamento misterioso pode ser respondido com certeza, como nos apontou o Papa no Rio de Janeiro, por uma só pessoa, Cristo Redentor. Não há enigmas na vida para quem cultiva dentro de si o encontro freqüente com esse Homem – “Eis o homem”, disse Pilatos diante de uma multidão –, que sem deixar de ser Deus, ficou entre os homens e as mulheres de todas as gerações para dar as respostas certas para as questões mais enigmáticas feitas pela inteligência e pelo coração humano.
Tudo o que foi na vida e tudo o que será ainda necessitam ser confrontados com Jesus Cristo, que é o mesmo ontem, hoje e sempre!
Não cultivar a fé em Cristo, não crer bastante n’Ele, é gerar no encontro com as pessoas e com as instituições uma dúvida cruel. Vale a pena viver nesse mundo tão individualista, tão violento e tão corrupto? Vale a pena ser bom nesse mundo onde os “promotores do mal” levam vantagem e raramente são punidos? Vale a pena ainda evangelizar, anunciar a Boa Nova da Verdade, da Beleza e do Bem, para um mundo manipulado por meios visuais e impressos que invadem lares e consciências, levando confusão às mentes sobre o que realmente é valioso na vida?
Uma multidão entusiasmada próxima de 3,5 milhões de pessoas, que estava na Praia de Copacabana ouviu o Papa Francisco dizer: “Ide, sem medo, para servir. Ide, sem medo, para servir. Seguindo estas três palavras, experimentarão que, quem evangeliza, é evangelizado, quem transmitir a alegria da fé, recebe mais alegria.
Queridos jovens, quando retornarem para suas casas, não tenham medo de ser generosos com Cristo”.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

JMJ: Uma marca na história dos cariocas

            Na história do turismo internacional, a JMJ Rio2013 garantiu o melhor mês de julho, movimentando aeroportos espalhados pelas grandes cidades do Brasil e de todos os setores da economia.

Avaliação dos peregrinos
            A Embratur, autarquia do Ministério do Turismo, desenvolveu inúmeras pesquisas de avaliação sobre serviços oferecidos por parte do Comitê Organizador Local (COL) e pelos órgãos públicos.
            Segundo os resultados, os itens mais bem avaliados (ótimo e bom) pelos estrangeiros que estiveram no Rio de Janeiro foram a sinalização da cidade (79,4%) e aeroportos (76,5%), seguidos de segurança pública (73,2%).
            As atividades desenvolvidas pelos peregrinos na JMJ não ficaram restritas apenas aos Atos Centrais. As pesquisas sinalizaram que os jovens procuraram conhecer igrejas (74%), monumentos (37%), museus (30%), praias (27%) e exposições (20%).
            Na avaliação do presidente da Embratur, Flávio Dino, a JMJ marcou a história dos brasileiros, proporcionando uma significativa projeção da imagem do Rio de Janeiro e de todo o país em todo o mundo.
            “A JMJ foi o principal megaevento que o país já recebeu, tendo sido extremamente exitosa, tanto pela quantidade de pessoas que movimentou, com sucesso, na cidade do Rio de Janeiro, quanto pelo impacto econômico trazido para o país de cerca de R$ 1,4 bilhão”, afirmou o presidente.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

JMJ 2016: reunião na Polônia começa a definir calendário do evento

Os preparativos para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2016 na Cracóvia, Polônia, seguem com reuniões e divisão de tarefas. Nesta semana, em Varsóvia, os representantes das dioceses da Polônia se reuniram para dar início ao calendário do evento. Segundo informou o site oficial da JMJ2016, uma Comissão mista será criada e serão definidos também os setores específicos de organização.
Durante reunião presidida pelo Cardeal Primaz de Cracóvia, Stanisław Dziwisz, foi apresentado um  relatório sobre a JMJ2013,  no Rio de Janeiro. O documento servirá de apoio para o evento na Polônia.  Participaram também da reunião o prefeito da cidade, Jacek Majchrowski, o presidente do Comitê organizador, Dom. Damian Muskus, sacerdotes da diocese e voluntários.
— Aguardam-nos três anos de muito trabalho pela Igreja que tem o rosto jovem, destacou Dom Damian. 
Os símbolos da JMJ, a Cruz e o Ícone de Nossa Senhora, chegarão ao país em abril do próximo ano. Cerca de 100 jovens poloneses receberão os símbolos do  Papa Francisco na Praça São Pedro, no domingo de Ramos, 14 de abril. No dia seguinte, começará a peregrinação na cidade de  Poznan. A cruz e o Ícone permanecerão  cerca de 20 dias em cada uma das 44 dioceses do país.
— Queremos, durante a peregrinação, evangelizar pelas ruas, chegar aos lugares de sofrimento, nos orfanatos, centros para menores e locais de detenção, afirma  integrante da comissão organizadora, Anna Milewska. 

Fonte: arqrio.org 

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Simpósio Bíblico

            O Seminário São José realizará nos dias 17, 18 e 19 de setembro, às 19h30, um Simpósio Bíblico para discutir a necessidade de se acolher a Palavra de Deus como modo de educar a fé. O congresso abordará tópicos a partir do tema: “A Bíblia e a Fé” e acontecerá às 19h. Aberto ao público, o evento contará com as presenças do arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, do reitor do Seminário, padre Leandro Câmara e de diversos palestrantes.
            O endereço é Avenida Paulo de Frontin, 568, fundos, no Rio Comprido. Informações: www.seminariosaojose.org.br.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Como fazer o jejum e a oração na Jornada convocada pelo Papa?

O beato João Paulo II também convocou uma jornada semelhante depois do atentado das Torres Gêmeas

Diante dos momentos dolorosos que está sofrendo a nação Síria por causa da violência, o santo padre propôs um dia de jejum e oração no qual convida os cristãos, fieis de outras religiões e homens e mulheres de boa vontade a participarem desta jornada. Pedir pela paz no mundo e especialmente neste momento pela paz na Síria, unirá o coração e os desejos de muitas pessoas neste sábado dia 7 de Setembro.
O beato João Paulo II teve uma iniciativa semelhante em 2001, após os ataques às Torres Gêmeas em Nova York, quando convidou a viver o dia 14 de dezembro daquele ano como um dia de jejum e oração para que Deus concedesse ao mundo “uma paz estável, fundada na justiça” e convidou representantes das religiões do mundo a Assis no dia 24 de janeiro de 2002 para rezar pela superação das oposições e para promover a paz autêntica”.
Jejuar também significa ser solidário e entender a situação das milhares de pessoas que todos os dias passam fome no mundo. Este sábado também pode ser um tempo para explicar até mesmo para os menores da casa o sentido de fazer este sacrifício, que está longe de ser um ato desprovido de significado.
Em uma nota divulgada pelo Departamento de Celebrações Litúrgicas na época, ofereceram algumas reflexões sobre o significado do jejum e da oração.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

O ardor missionários dos jovens

Brasília, 01 de Setembro de 2013.

Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil.
“Eu vos escrevi, jovens: sois fortes, a Palavra de Deus 
permanece em vós, e vencestes o Maligno”. (1Jo 2,14)

Ainda sobre os efeitos, luzes e forças da JMJ, entramos no mês de setembro que nos recorda a necessidade de escutarmos a vontade de Deus registrada em sua Palavra, sempre nova e provocadora. Ela, que iluminou a caminhada da JMJ, continua convocando: “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28). É o profeta Isaías quem nos encoraja a responder com firmeza: “Eis-me aqui, envia-me” (CF 2013). Ajudar os jovens a escutarem esta Palavra para entendê-la em sua beleza e profundidade, vivê-la na alegria e na generosidade é responsabilidade urgente a nós confiada.
Mais do que nos perguntarmos se os jovens têm se entusiasmado com a Palavra de Deus, devemos nos avaliar se somos, realmente, Palavra de Deus para eles e se estamos propiciando-lhes condições para isto. A admiração e a obediência à Palavra dependem de sua boa escuta, capaz de entusiasmar, converter, edificar, promover, construir. Vejam o Papa Francisco! Ele tem nos alegrado o coração com a redescoberta da Palavra de Deus que se transforma em cultura da acolhida e da solidariedade. Sua mensagem está escrita em seus olhares, gestos, surpresas de quem se deixa inundar pela força do amor divino.
A Jornada no Rio já terminou, e nossos jovens ainda estão “voltando para casa”, na esperança do novo! Estão entusiasmados e desejosos de darem mais de si, fazendo a diferença nos espaços eclesiais e sociais. Mas suas experiências e sentimentos estão sendo ouvidos com atenção? Nossas Comunidades eclesiais e nossos ambientes educativos estão interessados, realmente, neste novo que eles carregam como verdadeiro tesouro a ser partilhado? Que abraços e olhares eles estão recebendo?
Fico imaginando, agora, os jovens como aquele fogaréu que quer se espalhar rapidamente pela mata ou o vento forte que insiste em gritar nas ruas ou a água das chuvas que deseja inundar todos os recantos por onde passa.