Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Projeto Catequese Jovem é um dos legados da JMJ

Após a Missa de Envio celebrada pelo Papa Francisco no último dia da Jornada Mundial da Juventude, cada peregrino levou consigo o desejo de lançar-se na missão em suas respectivas Dioceses. Por isso, um dos legados da JMJ Rio 2013 é o Projeto “Catequese Jovem”, que nasceu a partir da distribuição de mais de 1,5 milhão de exemplares do YOUCAT — Catecismo Jovem, que nasce no seio da Nova Evangelização —, por meio da Fundação AIS, às dioceses brasileiras, em preparação para a JMJ. 
O Projeto Catequese Jovem tem duas inspirações: as catequeses que acontecem durante a JMJ com os Bispos Catequistas e o próprio YOUCAT. A proposta é que, a partir desses dois grandes instrumentos, os jovens em suas dioceses sejam animados uma vez ao mês a terem um momento de Catequese com um Bispo, na medida que for possível.
O projeto “Catequese Jovem” pode ser também um momento de profunda comunhão eclesial naquela Diocese que o acolher, pois os jovens vindos de diferentes expressões, movimentos, grupos, pastorais, agremiações, se reunirão em uma manhã ou tarde para ouvir o seu Bispo, assim como acontece nas JMJ: Animação, catequese, perguntas, testemunhos e Santa Missa.
Os que tiverem interesse em conhecer e aplicar o projeto poderão acessar www.catecismojovem.com.br, para receber orientações mais práticas.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Estatuto da Juventude: “Uma política construída por muitas mãos”

Foi sancionado dia 5 de agosto, pela presidente Dilma Rousseff, e publicado nesta terça-feira, no Diário Oficial da União, a lei que cria o Estatuto da Juventude. O estatuto tem uma série de direitos para os jovens brasileiros que hoje somam 51 milhões de brasileiros com idade entre 15 e 29 anos, número de jovens nunca registrado na história do Brasil.
O projeto, que estabelece direitos para jovens entre 15 e 29 anos, garante a meia-entrada em eventos culturais e esportivos de todo o país para jovens de baixa renda e estudantes. A presidente, porém, vetou artigo que previa meia-passagem em transporte interestadual para alunos.
Para Thiesco Crisóstomo, secretário nacional da Pastoral da Juventude, a aprovação do estatuto é motivo de orgulho para os muitos jovens que levantaram essa bandeira. 
— Estatuto da Juventude é um marco para os direitos dos jovens no Brasil. Foram anos de lutas de muitas organizações juvenis, fazendo pressão,  articulando audiências, encontros e debates. É uma política construída por muitas mãos. A sociedade brasileira está de parabéns, mas, de modo especial, as organizações de juventudes que levantaram essa bandeira e colocaram a pauta em debate, afirmou Thiesco.
De acordo com o secretário da PJ, a pastoral teve comprometimento significativo com a causa da criação e sanção do Estatuto da Juventude. 
— Nós enquanto Pastoral da Juventude, sempre fizemos o possível para que os jovens católicos debatessem temas relevantes da sua realidade, inclusive sobre o estatuto. Ele foi e é pauta em muitos encontros comunitários, onde os jovens têm voz e vez, criando uma espécie de rede, lá na base, para fortalecer o documento e dar de fato um tom real daquilo que acreditamos ser necessário como política de juventude no Brasil, concluiu Thiesco.
Aprovado no Congresso Nacional, em 9 de julho, o estatuto define os princípios e diretrizes para o fortalecimento e a organização das políticas públicas voltadas à juventude nas esferas federal, estadual e municipal. Um entre os vários direitos exigidos pelo estatuto é a criação obrigatória de espaços para ouvir o que a juventude tem a dizer.
O texto prevê também a garantia de direitos básicos aos jovens, como acesso à educação, à profissionalização, ao trabalho e à renda. Estabelece ainda direitos novos na legislação, como à participação social, ao território, à livre orientação sexual e à sustentabilidade.
Fonte: arqrio.org

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

CNBB propõe continuidade pós-JMJ

                        Desde o anúncio de que a Jornada Mundial da Juventude seria realizada no Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) iniciou um trabalho visando aproveitar este clima de espiritualidade presente em todo o país para fortificar os processos de evangelização da juventude.
            O objetivo da CNBB é “realizar um caminho de evangelização da juventude, no Brasil, que garanta, antes, durante e depois da JMJ, um processo de formação de jovens apaixonados, discípulos missionários de Jesus Cristo, membros da Igreja e participantes da construção da Civilização do Amor em nossa sociedade”.
            Partindo desta proposta, a Comissão Episcopal para a Juventude, com seus bispos referenciais, teve a ideia de realizar um encontro pós-JMJ com as lideranças jovens e adultas de todas as expressões juvenis (movimentos eclesiais, pastorais da juventude, novas comunidades, congregações religiosas) e outras pastorais e serviços afins.
            De acordo com o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB e secretário da Comissão Especial da CNBB para a JMJ, Dom Eduardo Pinheiro da Silva, esta será uma nova oportunidade para as pessoas acolherem os frutos da JMJ no Brasil.
            “O encontro visa refletir sobre o momento eclesial juvenil atual e, à luz de todas estas oportunidades oferecidas, descobrir alguns caminhos comuns para realizarmos a vontade de Deus neste campo. O fortalecimento das lideranças e a experiência da unidade contribuirão com o trabalho junto aos jovens nas comunidades de origem”, comentou Dom Eduardo.
            Além da temática já estabelecida, Dom Eduardo destacou que alguns documentos da Igreja contribuirão com a dinâmica do encontro, como o Documento 85 da CNBB (Evangelização da Juventude: desafios e perspectivas pastorais); Estudos 103 da CNBB (Pastoral Juvenil no Brasil: identidades e horizontes); os pronunciamentos do Papa Francisco antes-durante-após a JMJ Rio2013; Documento Pastoral Juvenil da América Latina (Civilização do Amor: projeto e missão) e Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil.
            “Além deste material, a metodologia se apoiará em outros materiais, principalmente no resultado de pesquisa realizada nas dioceses sobre as oito linhas de ação mencionadas no Documento 85. As reflexões que acontecerão durante o encontro também são consideradas material importante para atingirmos os objetivos desejados”, frisou o bispo.
            O encontro pós-JMJ deverá ser realizado de 11 a 15 de dezembro de 2013 em Brasília. O período de inscrições, valor da taxa e forma de pagamento ainda serão divulgados.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

JMJ Cracóvia lança site em seis idiomas

A Arquidiocese de Cracóvia lançou o site oficial para a próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada em 2016, em Cracóvia, na Polônia. O endereço é www.krakow2016.com.
O site, que oferece informações sobre a cidade e a vida de João Paulo II, está disponível em seis idiomas: polonês, inglês, espanhol, francês, italiano e alemão. A expectativa é de que em breve também exista a versão em português, segundo mensagem no facebook oficial da JMJ Krakov2016.
"Caros usuários da língua portuguesa; Nós somos satisfeitos que existem tantos entre nós, infelizmente, não sei a sua língua. Nós estamos olhando para alguém que pode falar em Português, para que podemos contatá-los. Também estamos trabalhando em nosso site ficando na versão em Português. Por favor, seja paciente e saúdo calorosamente todos! Estamos satisfeitos que dentro de três anos todos estamos em Cracóvia!", diz a mensagem.
Há ainda dados históricos sobre a arquidiocese de Cracóvia, além de informações sobre dois santuários da cidade: um dedicado ao beato João Paulo II e o outro à Divina Misericórdia em Lagiewniki.
            Fonte: www.rio2013.com

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

“A Jornada é um grande grito de confirmação”

Em entrevista exclusiva ao Portal da Arquidiocese do Rio de Janeiro, o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, Dom Eduardo Pinheiro da Silva, afirmou que, principalmente agora, após a Jornada Mundial da Juventude no Brasil, a “CNBB quer potencializar as instâncias que têm uma missão direta com a juventude”, fornecendo “instrumentais para que elas realizem ainda mais a partir dessa animação e boa vontade que a juventude está apresentando”. De acordo com o Bispo, a Jornada confirmou que ninguém melhor do que os jovens para a evangelização de outros jovens.  
            — A gente está insistindo para que nas dioceses, e principalmente no contexto paroquial, as lideranças adultas, junto com os jovens, façam acontecer o novo, ali. Potencializem a catequese, os grupos de jovens, provocando novos projetos para a juventude, tendo mais grupos de jovens, colocando os jovens em cargos, funções e atividades que também sejam de responsabilidade maiores e de decisões. Inclusive porque a Jornada é um grande grito de confirmação de que a juventude é o melhor apóstolo para evangelizar o próprio jovem. O jovem é aquele que consegue, mais profundamente e mais diretamente, atingir o coração de outro jovem, de seus próprios colegas. Então, nós estamos acreditando muito que depois de tudo isso nós tenhamos pessoas mais animadas, paróquias mais abertas, adultos mais confiantes na juventude.
 Conforme sua avaliação, os frutos da Jornada já podiam ser percebidos antes mesmo do acontecimento do evento:
 — Nós sempre pensamos os projetos dentro de um contexto maior de evangelização; então, quanto aos frutos, podemos dizer que muitos já vieram antes da Jornada, com, por exemplo, a Semana Missionária, a Campanha da Fraternidade e, principalmente, a Peregrinação da Cruz e do Ícone (símbolos da Jornada). Porque se não fosse a Jornada, isso tudo não se teria. Então, tudo isso é fruto que já veio antes, explicou.
 Sobre os trabalhos futuros, Dom Eduardo pretende tomar decisões em unidade com os movimentos jovens, durante encontro a ser realizado em dezembro:
 — Nós teremos um grande encontro, com os adultos líderes, assessores da juventude nas várias expressões, de novas comunidades, de movimentos, de pastoral da juventude e de comunidades religiosas, em dezembro, para que a gente consiga ler em conjunto toda essa graça de Deus transbordante, neste Ano da Juventude. E vamos ver o que sai dali: o que nós queremos com tudo isso? O que nós podemos melhorar?
Fonte: arqrio.org

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Livro "Discipulus" foi uma das novidades da JMJ

Motivados pelo lema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações”, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013) lançou mais uma novidade: o livro “Discipulus”. A bibliografia faz parte do kit do peregrino e estará disponível em três idiomas (português, inglês e espanhol).
“O nome Discipulus remete diretamente ao chamado a sermos ‘discípulos missionários’, como lembra o Documento de Aparecida”, enfatiza a Irmã Lucia Imaculada, uma das organizadoras do livro. Já o fato do título estar em latim indica a universalidade da Igreja.
Evangelizar, portanto, é o fio condutor da obra dividida em duas seções, de acordo com irmã Lucia. A primeira delas apresenta os instrumentos de evangelização como a Palavra de Deus, a Igreja, o testemunho, as artes e os meios de comunicação. Já a segunda parte aponta os ambientes de evangelização. Amigos, namoro, cultura, ação política e social são alguns dos espaços destacados.
O objetivo é disponibilizar subsídios que motivem os jovens a serem evangelizadores no cotidiano, em meios aos seus grupos de relacionamento. Esse conteúdo soma-se as palestras, discursos e abordagens proporcionadas durante a JMJ Rio2013.
A proposta editorial teve a colaboração de bispos, sacerdotes, religiosos e leigos comprometidos em anunciar a Boa Nova a todos os povos. Ao todo 28 redatores cederam seus textos aos organizadores que conseguiram preparar tudo em um ano.
Repleto de ilustrações e cores, “Discipulus” se apresenta como um livro criativo, dinâmico e feito para os jovens. “Ele foi criado para ser levado com uma bagagem cheia de esperança e para ser usado em muitos momentos a serviço da evangelização”, conclui Irmã Lucia.
Fonte: www.rio2013.com 

Jovens enviam ao Papa seu compromisso de vida “pós-JMJ”

Durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013), o Papa Francisco pediu que todos os jovens sejam protagonistas de suas vidas e não fiquem parados na varanda da história. Milhões de jovens voltaram para casa com um compromisso para o seu futuro: envolver-se, doar-se inteiramente pelo Evangelho e por Jesus Cristo.
Para reunir o compromisso dos jovens, o Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais lança uma iniciativa através do site Pope2You (www.pope2you.net).  Além de textos, os jovens poderão enviar fotos e vídeos partilhando com o mundo e o Papa Francisco o seu próprio compromisso de vida depois da JMJ Rio2013.
Para participar, os jovens podem entrar no site e fazer o envio direto. Também é possível através das redes sociais, como o Facebook e o Twitter, utilizando uma hashtag especial. Para os jovens de língua portuguesa, a hashtag é #MinhaVidaSerá. Em espanhol, será # MiVidaSerà, os jovens de língua inglesa utilizarão # MyLifeWillBe e os franceses, # MaVieSera.
Fonte: arqrio.org