Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Igreja no Brasil vive um kairós da juventude

            Protagonismo juvenil, formação de assessores, maior integração das expressões, falta de recursos humanos e materiais e eventos que marcaram a juventude brasileira nos últimos dois anos. Estes foram alguns dos avanços e desafios apontados pelos jovens que comporam a mesa de debates na tarde do dia 12 de dezembro, segundo dia do Encontro de Revitalização.
            Cada um trouxe, de acordo com a visão de sua expressão, os pontos positivos e as problemáticas enfrentadas pelos jovens e pela Igreja no processo de evangelização da juventude. Contudo, a mesa também deu lugar a quem não participa ativamente da Igreja: a jornalista Suzi Amanda de Souza, de Brasília (DF), foi convidada a responder como ela enxerga a Igreja Católica em sua relação com os jovens.
            Em sua fala, Suzi contou um pouco da sua trajetória e os motivos pelos quais ela se afastou da comunidade paroquial. Muito jovem, ela assumiu responsabilidades, como a catequese e a equipe de liturgia. Contudo, se viu em conflito devido a estas responsabilidades e ao ver que os jovens as recebem, buscam conquistar quem está fora da Igreja, mas eles mesmos podem não ter se deixado conquistar por Cristo.
            “É fácil entrar na Igreja quando adolescente, mas o desafio é mantê-lo”, apontou a jornalista ao ressaltar que os responsáveis por juventude precisam instruir mais as crianças, adolescentes e jovens sobre a importância da religião, além de enfatizar sobre a necessidade de acolhimento e boas homilias nas missa para o público juvenil. 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Cadastro nacional de grupo de jovens

Após a Jornada Mundial da Juventude Rio2013, muitos grupos de jovens ganharam um novo vigor. Agora a Equipe de Comunicação da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB deseja estreitar relações e lança o desafio: quantos grupos de jovens existem hoje no Brasil? Mais do que responder esta pergunta, o Cadastro Nacional de Grupos de Jovens vai criar uma linha direta entre grupos e a Comissão, facilitando a comunicação e possibilitando conhecer melhor a realidade e o trabalho da base das diversas expressões juvenis da Igreja.
“Queremos saber onde os grupos estão, quem são eles, como se comunicam e como agem diante os desafios e particularidades de cada região. O cadastro também vai ajudar a própria Comissão e a Coordenação da Pastoral Juvenil Nacional a identificar e acompanhar esses grupos para gerar mais unidade no processo de evangelização da juventude”, explica o padre Carlos Sávio da Costa Ribeiro, assessor nacional da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude
Segundo o coordenador da Equipe de Comunicação, o jornalista Fernando Geronazzo, em muitas paróquias e comunidades existem grupos de jovens que não estão diretamente ligados a um carisma ou expressão juvenil em âmbito nacional ou até diocesano. “A própria JMJ estimulou muitos jovens para se reunirem a partir de afinidades e realidades em comum. É importante que esses grupos caminhem em sintonia com as organizações eclesiais já estruturadas enquanto Pastoral Juvenil na Igreja”.
Com o desenvolvimento das mídias digitais, os jovens encontraram novos espaços de organização que ultrapassam as estruturas eclesiais já conhecidas. “Esse é um novo desafio para a evangelização da juventude, que a Equipe de Comunicação deseja conhecer melhor, para que esses jovens sejam acolhidos”, acrescenta o jornalista.

Faça o seu cadastro AQUI

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Internet não basta para evangelizar; é preciso relações diretas, diz Papa

“Para anunciar Cristo, Internet não basta. Anúncio requer relações humanas diretas", disse Papa Francisco. Ele recebeu os participantes da Plenária do Pontifício Conselho para os Leigos, que se reuniram por três dias para debater o tema “Anunciar Cristo na era digital”.
Para Francisco, entre as possibilidades oferecidas pela comunicação digital, a mais importante diz respeito ao anúncio do Evangelho. Não se trata somente de adquirir competências tecnológicas, mas antes de tudo encontrar mulheres e homens reais, muitas vezes feridos ou perdidos, para oferecer a eles verdadeiras razões de esperança.
“A internet não basta, a tecnologia não é suficiente”, afirmou, recordando que o anúncio requer relações humanas autênticas e diretas.
Todavia, a presença da Igreja na rede não é inútil, pelo contrário, é indispensável estar presente, sempre com estilo evangélico, para indicar o caminho que leva Àquele que é a resposta. “A Igreja está sempre em caminho, em busca de novas vias para o anúncio do Evangelho. A contribuição e o testemunho dos leigos se demonstram sempre mais indispensáveis.”
Entre as oportunidades que a rede oferece, afirmou o Pontífice, devemos fazer como pede São Paulo: “Discerni tudo e ficai com o que é bom”, cientes de que, certamente, “encontraremos moedas falsas, ilusões perigosas e ciladas e evitar. Mas, guiados pelo Espírito Santo, descobriremos também preciosas oportunidades para conduzir os homens à face luminosa do Senhor”.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Jovens animados pela fé

Passados cinco meses da Jornada Mundial da Juventude Rio2013, muitas paróquias e inúmeras famílias continuam colhendo os frutos do maior encontro dos jovens católicos com o Santo Padre. Neste espírito de unidade, a equipe da JMJ da Paróquia Imaculado Coração de Maria, no Méier, organizou um encontro de confraternização, no dia 7 de dezembro, com os voluntários que atuaram nas catequeses e Atos Centrais da jornada. Cerca de 125 voluntários recepcionaram peregrinos de 21 países diferentes, mais os brasileiros. 
O primeiro momento foi uma celebração eucarística em Ação de Graças pelos trabalhos realizados, às 17h, na comunidade. O presidente da celebração foi o vigário paroquial local, padre Alcimar Lima e Silva, que durante a JMJ liderou os trabalhos e ações realizadas pelo grupo de voluntários da paróquia.
Ao final da missa, os jovens participaram de uma parte social no play dos irmãos voluntários Gabriel Lopes e Fernanda Lopes, que junto com a família colaboraram com as atividades da comunidade na jornada.

Juventude missionária
Segundo padre Alcimar, a ideia do encontro nasceu com a vontade de reanimar nos jovens voluntários a vontade de servir a Igreja e de ser uma juventude de Cristo. E ainda afirmou que o encontro foi à oportunidade de “celebrar juntos a alegria de ser Igreja”.
“Este encontro nos permitiu voltar ao nosso primeiro amor, o desejo ardente de se tornar missionário, como os apóstolos. Foi um momento de muita descontração e alegria”, contou.
A juventude da paróquia já esta desenvolvendo diversas ações para angariar fundos que possam custear a ida de alguns jovens para a Jornada Mundial da Juventude 2016, em Cracóvia, na Polônia.

Lembranças
A jovem voluntária Talita Vieira Souza, estudante de engenharia de produção da UERJ, afirma que a JMJ foi uma experiência única para todos os voluntários. E ressaltou, que o reencontro foi a oportunidade de dar continuidade ao espírito da jornada.
“Tenho muitas saudades de tudo que pude viver, de todos os amigos que fiz e das amizades que fortaleci durante a JMJ. No reencontro de voluntários, lembranças e emoções marcaram presença. Foi muito bom rever aqueles que compartilharam comigo a alegria de ser jovem Cristo, ser a juventude do Papa”, disse.

Fonte: arqrio.org

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Jovens brasileiros entregam ícone de Nossa Senhora aos franceses

O ícone de Maria Sedes Sapientiae,que durante um ano esteve em peregrinação pelo Brasil passou, no último sábado, 30 de novembro, às mãos dos universitários franceses. A passagem simbólica do Ícone - que não é a reprodução de Nossa Senhora Salus Populi Romani, que acompanhou a Cruz Peregrina no Brasil – aconteceu ao final da celebração das Primeiras Vésperas celebradas por Papa Francisco na Basílica Vaticana. Rafael Belincanta acompanhou.
Após a celebração, milhares de jovens continuaram reunidos em festa na Praça São Pedro. Entre eles, jovens universitários brasileiros que estão estudando em Roma. Rodrigo Zanetti, de Carlos Barbosa (RS), carregava o ícone de Maria no momento em que este foi entregue aos jovens franceses e estava emocionado por ter cumprimentado Papa Francisco.
“Eu esperava estar perto do Papa, mas não tão próximo, por estar carregando o ícone de Nossa Senhora. No final, quando o Papa veio nos cumprimentar, foi o auge da celebração”, disse à Rádio Vaticano.
Durante a homilia, Papa Francisco voltou a usar a expressão que ficou conhecida durante seu encontro com os argentinos no Rio de Janeiro, só que desta vez em italiano.
“Não vejam a vida passar do balcão, desçam, misturem-se lá onde existem os desafios”.
Denis Uchôa, do Piauí, está há três meses em Roma e diz já ter percebido antes esse chamado de Papa Francisco.
“De um tempo pra cá já tenho visto essas ações do Papa no sentido de incentivar à caridade para com as pessoas que é, de fato, vivenciar o Evangelho”, relatou.
Por outro lado, Denis afirma que Papa Francisco também enfrenta desafios aqui na Europa onde, muitas vezes, seu pensamento não é bem compreendido.
“Porém, penso que Papa Francisco, com auxílio do Espírito Santo, esteja conseguindo transformar até mesmo os corações mais endurecidos”, finalizou.

Os Ícones de Maria
O conhecido ícone de Maria da Jornada Mundial da Juventude é uma reprodução da Salus Populi Romani (Salvação do Povo Romano) muito venerada pelos habitantes da Cidade Eterna e que se encontra na Basílica Papal de Santa Maria Maior. Todavia, Nossa Senhora acompanha os universitários do mundo em uma peregrinação similar - mas não sempre em coincidência.

Fonte: arqrio.org

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Jovens: destinatários privilegiados da ação evangelizadora da Igreja

A evangelização da juventude foi o tema refletido, na tarde do dia 22 de novembro, na Assembleia do Regional Leste 1 da CNBB.
A exposição do tema foi aberta pelo bispo auxiliar do Rio Dom Nelson Francelino Ferreira, referencial para a Pastoral Juvenil no Regional. Junto com a equipe de coordenação dessa pastoral, ele falou aos participantes da assembleia sobre o documento 85 da CNBB – “Evangelização da Juventude: desafios e perspectivas pastorais”.
O bispo chamou a atenção sobre o fato de que não se pode falar e considerar no processo evangelizador que exista apenas uma juventude. Na verdade, afirmou, existem “juventudes”. Segundo ele, a juventude é, por própria definição, plural. E não reconhecer essa pluralidade dificulta a ação evangelizadora.
“Hoje é muito importante isso, a ponto do Documento da CNBB 85 dizer que cabe as dioceses organizarem um Setor Juventude, no qual todas as expressões de evangelização da juventude construam um projeto diocesano e cada um saia para trabalhar com seu carisma, com sua metodologia, a partir desse projeto diocesano”, disse. 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Feliz natal e ano novo!

Por D. Eduardo Pinheiro da Silva
Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB


Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil.

“Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria.”
(Francisco, Evangelii Gaudium)

FELIZ NATAL E ANO NOVO!
Estamos imersos na espiritualidade do Advento, entre a festa do Rei do Universo (24/11) e a comemoração pela vinda do Messias (25/12). Neste contexto, no final do “Ano da Fé”, Papa Francisco nos brinda com a bonita Exortação Evangelli Gaudium. Na vida e na missão do cristão não pode faltar o ingrediente principal da alegria. É uma questão de fé e, não, simplesmente um elemento psicológico da existência humana! Ao viver inundado da certeza da encarnação de Deus em nosso meio e do seu amor poderoso que nos acompanha, nos sentimos impulsionados a enfrentar as barreiras, viver intensamente o cotidiano, renovar os laços fraternos, assumir os desafios que contribuem com a vida plena de todos, principalmente dos mais necessitados.
O nosso testemunho de alegres amigos e servidores do Senhor nos garante impacto social e admiração dos jovens. A alegria é uma realidade capaz de nos sustentar em todos os períodos da vida, mas é na fase da adolescência e da juventude que ela aparece com mais força e pureza. Os jovens precisam perceber em nós a revolução existencial e transformadora que a adesão a Cristo nos provoca.
Para realizar o pedido que a Exortação Evangelli Gaudium nos faz de um “anúncio renovado” que proporcione, hoje, “uma nova alegria na fé e uma fecundidade evangelizadora” (n. 11) é necessário, mais do que nunca, contar com os jovens, acreditar na sua presença e ação. A experiência nos mostra que o “novo” trazido por Jesus Cristo é acolhido com mais rapidez, intensidade e compromisso pelos jovens, quando o anúncio lhes é feito de maneira criativa e empolgante, em clima de confiança.