quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Seminário de Ideologia de Gênero na PUC-Rio

Com o intuito de esclarecer os fiéis sobre as implicações da ideologia de gênero, à luz do Magistério da Igreja, o Programa de Liderança Católica (Move) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) realizará o Seminário de Ideologia de Gênero, no dia 19 de agosto, de 14h às 19h, no auditório Padre José de Anchieta, na PUC-Rio. O evento será conduzido pelo bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio Dom Antonio Augusto Dias Duarte, que abordará a ideologia de gênero e sua perspectiva histórica, através da análise da gênese do feminismo - da 1ª à 3ª geração - e da história das ideias do mundo moderno I e II. 
Segundo o reitor da Igreja Sagrado Coração de Jesus da PUC e responsável pelo Programa de Liderança Católica (Move), padre Alexandre Paciolli, o tema foi escolhido a partir de uma reunião com o arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, que junto ao grupo observou a necessidade de abordar o assunto dentro da universidade. 
“A reunião com Dom Orani concretizou o que Deus já havia plantado no meu coração e no coração dos jovens: a importância de promover eventos de formação abertos ao público. A PUC, enquanto referência de formação e liderança em vários campos, aglutina pessoas com um forte desejo de mudança e melhoria social, a partir do cristianismo. Desta forma, a ideia do seminário é trazer essas pessoas para perto, para que conheçam a fundo um tema importante para a nossa fé e amplamente discutido nos dias de hoje. E por ser um evento aberto, muitos fiéis irão se beneficiar com esse tesouro”, ressaltou.
O Move é um programa de liderança católica composto por jovens universitários, que têm o objetivo de aprofundar os conhecimentos na Sagrada Escritura e no Magistério da Igreja Católica. O grupo é responsável por organizar eventos de formação e missões de evangelização, além de trabalhar com iniciativas sociais. Planeja um segundo seminário na universidade com o tema: “Medicina e vida”. 

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/6022/seminario-de-ideologia-de-genero-na-puc-rio


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Padre Leandro Lenin: ‘O trabalho realizado em conjunto sempre dá mais frutos’

Por ocasião do Dia do Padre, na memória de São João Maria Vianney, 4 de agosto, apresentamos a vida e ministério do jovem padre Leandro Lenin Silva Tavares Cardoso.
Após cinco anos de intenso ministério na Arquidiocese do Rio de Janeiro, ele embarcou, no dia 14 de julho, para uma nova missão: cursar mestrado e doutorado na Universidade de Navarra, em Pamplona, na Espanha. A dedicação e o amor a Deus são características que sempre remeterão à lembrança do jovem sacerdote, que segue realizando as vontades de Cristo em sua vida.

O despertar vocacional
O amor pela vocação sacerdotal surgiu ainda na adolescência, quando a família frequentava a Paróquia São Benedito, em Pilares, onde a disponibilidade e o serviço realizado pelo então pároco, padre Luis Carlos Oliveira, despertavam no jovem o desejo de também servir a Deus cada dia mais e melhor.
O florescer da vocação veio durante a mudança da família para o bairro do Recreio. Na Paróquia Imaculada Conceição, o pároco, padre Edney Gouvêa, hoje bispo da Diocese de Nova Friburgo, foi essencial na caminhada do jovem.
Nesse período, uma pergunta se fazia presente: “‘Por que o padre nunca falta à missa e eu, por vezes, falto?’. Essa era uma grande questão para mim. É curioso como a disponibilidade dos sacerdotes me tocava de modo curioso”, argumentou.
A proximidade com a Igreja era vista com bons olhos pelos pais, Marisa e Jorge Tavares, que, apesar de não serem presentes na vida comunitária, sempre participavam das celebrações.
“Certa vez, ainda nos meus 14 anos, minha mãe perguntou se era isso mesmo o que eu queria. Neguei. Achava muito cedo para dizer alguma coisa tanto para ela quanto para mim mesmo. Sentia-me atraído pela ideia, mas ainda não sabia se era realmente isso”, contou.
Até que chegou o período de estudos, o tão sonhado vestibular. Estudar sempre fez parte da vida do jovem Leandro, o qual era muito incentivado pelos pais. Tal esforço resultou em recompensa: passou para o curso de engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nessa época, era um jovem comum, dando passos em direção ao futuro, namorando e vivendo.
A vocação ainda era uma realidade presente nas conversas familiares, mas não tão forte como antes. “Eu queria muito passar, porque a ideia do estudo estava mais na minha cabeça do que a de ser padre. Mas assim que passei, tive a sensação do dever cumprido. Estava satisfeito. Porém, foi aí que o tema da vocação voltou com muita força”, recordou.

“A primeira melhor noite de sono da minha vida”
Para isso, era preciso resolver algumas questões: a primeira era sobre quais seriam seus diretores espirituais, o que foi fácil de resolver, uma vez que os padres Luis Carlos e Edney marcaram a vida do jovem. A segunda era sobre a namorada, que resistiu por algum tempo, mas que logo foi vencida.
A terceira e mais difícil eram os pais. “Duas coisas me passavam na mente: a sensação da certeza de que era isso mesmo o que eu queria, mas também a de me passar por mentiroso, uma vez que neguei e escondi a minha vocação deles. Imaginei que eles fossem ficar avessos a essa ideia, o que realmente aconteceu, pois viram eu me lançar mais longe nos estudos”, ressaltou.
Sobre esse período, o sacerdote recordou que “não foi fácil, foi bem dolorido, embora fosse um tempo cheio de expectativas e alegrias. Tranquei a faculdade no quarto período, e entrei no seminário em 2004. Carregava a perspectiva espiritual de servir a Jesus com alegria, ao mesmo tempo em que tinha no coração o pesar da saída conturbada de casa. Entrar no seminário foi a primeira melhor noite de sono da minha vida, porque eu estava no lugar que eu sempre deveria estar”, lembrou.
Oito anos depois do ingresso no Seminário Arquidiocesano de São José, veio a ordenação sacerdotal, que aconteceu no dia 14 de abril de 2012, às vésperas da Oitava de Páscoa. Mas, Deus ainda havia reservado outra surpresa: “No meio de tudo isso, Deus me deu como presente a conversão dos meus pais. Então, eles retornaram a fé de maneira muito intensa, e tive o apoio do meu pai naquilo que ele dizia não entender. Não pude ter presente melhor do que esse. O tempo de seminário me mostrou o que é a Igreja: quanto mais a gente serve, mais a gente se encontra na vocação”, finalizou.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

JMJ Panamá 2019: lançado site oficial

            O site oficial da Jornada Mundial da Juventude no Panamá 2019 já pode ser acessado desde 31 de julho.
            Disponível em cinco línguas – espanhol, português, francês, inglês e italiano – o portal apresenta em sua homepage um cronômetro com a contagem regressiva em tempo real para o início do evento: dias, horas, minutos e segundos.
            A data escolhida para o lançamento do site não é mera casualidade, pois coincide – como observou o Arcebispo José  Domingo Ulloa – com o aniversário do anúncio por parte do Papa Francisco na Polônia da escolha do Panamá como sede da Jornada Mundial da Juventude.
            Uma imagem que sintetiza as várias realidades paisagísticas da nação – das montanhas à costa, das antigas igrejas aos modernos arranha-céus, das pontes ao famoso Canal do Panamá que une dois Oceanos – acompanha o tema mariano escolhido para o evento: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra." (Lc 1,38).
            A vídeo-mensagem do Papa Francisco divulgada no Domingo de Ramos deste ano e um convite para conhecer o país completam as seções principais do novo site, que na intenção dos organizadores serve para estabelecer contato e informar os jovens de todo o mundo até a Jornada que se realizará de 22 a 27 de janeiro de 2019.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5989/jmj-panama-2019-lancado-site-oficial


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Papa aos jovens brasileiros: não tenham medo de lutar contra a corrupção

O Papa Francisco enviou, uma carta aos jovens brasileiros no encerramento do projeto Rota 300, que se encerrou dia 29 de julho com uma grande festa no Santuário Nacional de Aparecida (SP). A iniciativa celebrou os 300 anos do encontro da imagem de Aparecida, no Rio Paraíba do Sul (SP).
No texto, Francisco afirma que Maria é um sinal de esperança e que conhece os desafios vividos pelos jovens. Além disso, o papa estimula a juventude a seguir com o espírito missionário.
“Caros amigos, em meio às incertezas e inseguranças de cada dia, em meio à precariedade que as situações de injustiça criam ao redor de vocês, tenham uma certeza, - escreve o Papa -, Maria é um sinal de esperança que lhes animará com um grande impulso missionário. Ela conhece os desafios em que vocês vivem. Com sua atenção e acompanhamento maternos, lhes fará perceber que não estão sozinhos”.
O Santo Padre recordou na sua mensagem a história dos pescadores pobres, que depois de uma pesca sem grandes resultados, no rio Paraíba do Sul, lançaram mais uma vez as suas redes e foram surpreendidos com uma imagem partida de Nossa Senhora, coberta de lama. Primeiro acharam o corpo, logo em seguida a cabeça. “Como comentei aos Bispos brasileiros em 2013, - escreve ainda Francisco -, o fato traz em si um simbolismo muito significativo: aquilo que estava dividido, volta à unidade, como o coração daqueles pescadores, como o próprio Brasil colonial, dividido pela escravidão, que encontra sua unidade na fé que aquela imagem negra de Nossa Senhora inspirava”.
Francisco convida então os jovens a deixarem que seus corações sejam transformados pelo encontro com Nossa Mãe Aparecida. “Que Ela transforme as “redes” da vida de vocês – redes de amigos, redes socias, redes materiais e virtuais -, realidades que tantas vezes se encontram dividas, em algo mais significativo: que se convertam numa comunidade! Comunidades missionárias “em saída”! Comunidades que são luz e fermento de uma sociedade mais justa e fraterna”.
Recordando ainda a sua mensagem à Assembleia do CELAM em 2017, o Pontífice pede aos jovens que “não tenham medo de arriscar-se e comprometer-se na construção de uma nova sociedade, permeando com a força do Evangelho os ambientes sociais, políticos, econômicos e universitários! Não tenham medo de lutar contra a corrupção e não se deixem seduzir por ela! Confiantes no Senhor, cuja presença é fonte de vida em abundância, e sob o manto de Maria, vocês podem redescobrir a criatividade e a força para serem protagonistas de una cultura de aliança e assim gerar novos paradigmas que venham a pautar a vida do Brasil”.
O Santo Padre finaliza a sua mensagem com uma invocação: “Que Nossa Senhora, que em sua juventude soube abraçar com coragem o chamado de Deus em sua vida e sair ao encontro dos mais necessitados, possa ir à frente de vocês, guiando-lhes em todos os seus caminhos!”

Leia a carta na íntegra:

Arquidiocese do Rio abre inscrições para comitiva oficial da JMJ Panamá 2019

“A Jornada Mundial da Juventude nos ajuda a experimentar, de modo intenso, a sabedoria de Salomão”, destacou o bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Joel Portella Amado, durante a celebração em ação de graças pelos quatro anos da JMJ Rio2013, e um ano da JMJ Cracóvia, que foi realizada no último domingo, dia 30 de julho, no Santuário São Judas Tadeu, no Cosme Velho.
A Santa Missa também marcou o início das inscrições para o grupo oficial da Arquidiocese do Rio, que participará da JMJ em janeiro de 2019, no Panamá. A comitiva da Cidade Maravilhosa contará com a presença do arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, bispos auxiliares, sacerdotes, religiosos e fiéis, e realizará a pré-jornada em Guadalupe, no México.
Em sua homilia, Dom Joel destacou que "ainda que vivenciadas em povos diferentes, as Jornadas nos ajudam a viver de um modo intenso a nossa fé".
“O que é experimentado nas JMJ's tem uma força tamanha que nos impulsiona a voltar para casa com uma vontade imensa de salvar o mundo. A Jornada Mundial da Juventude também nos dá algo que é destacado na primeira leitura de hoje, a sabedoria de Salomão, onde o Senhor se aproxima dele e diz: ‘pede o que você quiser, e eu dou?’. E para a alegria do Senhor, Salomão não pensou nele mesmo, mas nas outras pessoas e pediu sabedoria para conduzir o povo. E é isso que nós assistimos nas Jornadas, o exercício de pensar nos outros, assim como aconteceu na jornada do Rio de Janeiro, quando acolhemos os peregrinos em nosso Estado, em nossas casas”, destacou.

Do Rio de Janeiro ao Panamá
Há exatamente quatro anos a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, juntamente com o mundo inteiro, celebrava a 28ª JMJ. Precedida pela Semana Missionária nas Dioceses do Brasil, a JMJ Rio2013 foi realizada entre os dias 23 e 28 de julho de 2013, na Cidade Maravilhosa. Também há um ano, peregrinos de diversas nacionalidades, em especial, a comitiva do Rio, se reuniram para celebrar a JMJ, mas desta vez em Cracóvia, na Polônia, entre os dias 26 a 31 de julho de 2016.
Com vagas limitadas, as inscrições para o grupo oficial da Arquidiocese do Rio que participará da JMJ Panamá estão sendo realizadas pelo telefone (21) 2460-1581 (Fátima Nascimento) ou pelo e-mail grupos@milessisturismo.com.br.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5982/arquidiocese-do-rio-abre-inscricoes-para-comitiva-oficial-da-jmj-panama-2019

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos

No dia 6 de agosto, Festa da Solenidade da Transfiguração do Senhor, a Igreja motiva os fiéis a se unirem ao Dia Internacional de Oração pelos Cristãos Perseguidos.
Serão muitas as iniciativas das comunidades pelo Brasil. No Rio de Janeiro, o Cardeal Orani João Tempesta celebrará missa, às 17h, no Cristo Redentor, com a presença de representantes das Igrejas Orientais.
O presidente da Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) no Brasil, frei Hans Stapel, com o apoio da CNBB, escreveu uma carta aos párocos do país pedindo comunhão à causa. Os fiéis podem se unir à intenção de várias formas; às paróquias é sugerido colocar a intenção na oração dos fiéis; aos grupos, pastorais e famílias, a sugestão é rezar o Terço de Nossa Senhora, um momento de adoração ou mesmo a oração pessoal, nas intenções de toda pessoa que sofre por viver sua fé.
De acordo com estatísticas do Center for Study of Global Christianity, em 2016, um cristão foi morto a cada seis minutos, simplesmente por professar a sua fé. O Oriente Médio e o norte da África continuam como regiões onde a perseguição é mais cruel.
Para aprofundar essa realidade, a ACN publica a cada dois anos o Relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo. A 13ª edição do documento, com dados de junho de 2014 a junho de 2016, mostra a situação e a vivência do direito à expressão da fé particular em 196 países, inclusive o Brasil.
Em março deste ano, no vídeo com suas intenções de oração mensal, o Papa Francisco lembrou a realidade dos que são perseguidos por sua fé, e questionou: “quantos de vocês rezam pelos cristãos que são perseguidos?”
O pontífice motivou os fiéis: “Animem-se a fazer isso comigo, para que experimentem o apoio de todas as Igrejas e comunidades, por meio da oração e da ajuda material”.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5976/dia-de-oracao-pelos-cristaos-perseguidos


terça-feira, 25 de julho de 2017

A ‘controvérsia’ sobre os irmãos de Jesus

“Mais controverso é o episódio do Evangelho de Mateus que alude aos ‘irmãos de Jesus’. No fim do século IV, São Jerônimo, autor da “Vulgata” – a tradução latina das Escrituras que por séculos foi a única autorizada pela Igreja Católica – , cravou a ideia de que a palavra grega seria vaga e, assim, poderia designar ‘primos’. Não, esclarece Lourenço na introdução, adelphoi significa apenas ‘irmãos’. O tema é especialmente delicado para a devoção católica a Virgem Maria: se Jesus tinha irmãos, sua mãe obviamente não se manteve sempre virgem.” (texto da revista “Veja”)
De tempos em tempos, alguém fica intrigado com a afirmação contida nos evangelhos sobre “os irmãos e as irmãs” de Jesus. Estes são citados em dois episódios particulares: a família de Jesus em Mt 12,46-50, cujos paralelos se encontram em Mc 3,31-35; Lc 8,19-21 (Jo 7,3), e a visita de Jesus a Nazaré em Mt 13,53-58, cujos paralelos se encontram em Mc 6,1-6a; Lc 4,16-30.
Um olhar atento para o uso e o significado do termo “irmão”, em grego ἀδελφός, que ocorre 38 vezes só no Evangelho Segundo Mateus, permite tecer diferentes considerações quanto ao tipo de vínculo ou de parentesco carnal ou espiritual. Vejamos alguns exemplos:
Mt 1,2 é a primeira ocorrência, e menciona que Jacó gerou Judá e seus irmãos (Ἰούδανκαὶτοὺςἀδελφοὺςαὐτοῦ). Ora, basta ver Gn 29,15–30,25 para se descobrir que os irmãos de Judá não foram todos filhos da mesma mãe, pois Jacó gerou filhos, tanto através de Lia (Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar, Zabulon e Dina) como de sua escrava Zelfa (Gad e Aser), e através de Raquel (José e Benjamim) e de sua escrava Bala (Dã, Neftali). Não obstante isso, o evangelista usou o mesmo termo grego “irmãos” (ἀδελφοὺς). São todos filhos do mesmo pai Jacó (cf. Gn 42,13), todos são irmãos de Judá, mas não são todos filhos das mesmas mães.

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Papa Francisco envia mensagem ao Congresso Internacional Laudato Si e Grandes Cidades

O II Congresso Internacional Laudato Si e Grandes Cidades foi aberto oficialmente na manhã desta quinta-feira, 13 de julho, no auditório do Edifício João Paulo II, na Glória. O arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, juntamente com o arcebispo emérito de Barcelona e presidente da Fundação Antoni Gaudi para as grandes cidades, Cardeal Lluís Martínez Sistach, e o representante do Ministério do Meio Ambiente e diretor-presidente da Agência Nacional de Águas, Vicente Andreu Grillo, participaram da mesa de abertura.
O Papa Francisco enviou uma mensagem a todos os participantes do Congresso recordando que na carta encíclica Laudato Si faz referência a várias necessidades físicas que o homem de hoje tem nas grandes cidades e que necessitam ser afrontadas com respeito, responsabilidade e relação. De acordo com o Santo Padre, são três "R" que ajudam atuar de forma conjunta diante dos imperativos mais essenciais de nossa convivência.
Refletindo sobre a água, as conferências da manhã foram presididas pelo arcebispo emérito de São Paulo e presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Cláudio Hummes, e focaram a Laudato Si e Grandes Cidades; a qualidade e tratamento da água; e como obter água de alta qualidade em cidades em desenvolvimento.
Durante a tarde desta quinta, o Congresso apresentou a mesa redonda com líderes religiosos, que contou com a participação do Cardeal Orani João Tempesta, e do Rabino Abraham Skorka, sob a condução do professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Miguel Serpa Pereira.
O II Congresso Internacional Laudato Si e Grandes Cidades acontece no auditório do edifício João Paulo II, Rua Benjamin Constante, 23, na Glória. A entrada é franca.

Mensagem do Papa Francisco aos conferencistas e participantes do II Congresso Internacional Laudato Si e Grandes Cidades

A sua Eminência o Cardeal Lluis Martínez Sistach
Arcebispo emérito de Barcelona

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Mais de 60% da população da América Latina continua a se declarar fiel à Igreja

Paraguai e Equador são os países com maior número de católicos no continente

Mesmo que o número de católicos tenha caído nos últimos anos, a América Latina continua sendo profundamente crente, com mais de 60% da população que se declara fiel da Igreja católica, embora nem todos na mesma medida.
Embora o número de católicos tenha caído no continente de 80% para 67% – de acordo com um informe do Latinobarómetro que foi divulgado no ano passado –, a realidade é que hoje mais da metade da população do continente continua sendo seguidora da Igreja de Roma liderada pelo Papa Francisco.
Isso é especialmente visível no Paraguai, que conta com 88% de fiéis, ou no Equador, com 81%. Ambos são os países com maior número de fiéis católicos, seguidos de perto por México e Venezuela, com 79%, embora outros estudos (como o do Centro de Pesquisa Pew, dos Estados Unidos) coloquem também nessa categoria a Colômbia. O caso do México merece uma menção à parte, pois ali o número de católicos não só não caiu nos últimos anos, mas teve um ligeiro aumento.
Embora 13% seja um número a ser reconhecido, a opinião majoritária dos especialistas é de interesse menor na América, que segue sendo hoje um dos feudos mais notáveis da religião católica.
O caso mais curioso talvez seja que a grande maioria daqueles que abandonam a Igreja católica não o fazem para virarem ateus ou agnósticos (algo que parece acontecer exclusivamente em dois países: Uruguai e Chile), mas que se convertem a outras religiões, na maioria dos casos à Igreja evangélica.
De fato, os protestantes cresceram na mesma proporção que o número de católicos diminuiu, sendo estes, além disso, mais praticantes e mais confiantes em sua instituição. No Brasil, por exemplo, já são a religião majoritária.
Curiosamente, a religião que não consegue ter entrada entre os latino-americanos é a que cresce com maior rapidez no mundo: o Islã. Calcula-se que em 2050 o número de muçulmanos tenha aumentado 73% no mundo, transformando-se na religião mais numerosa; enquanto isso, na América Latina tenha conquistado apenas 13% da população.
É muito notável nestes números a figura do Papa Francisco, Jorge Mario Bergoglio, pois muitos são os especialistas que consideram que o trabalho do Santo Padre argentino freou muito a perda de fiéis (tema que o preocupa, como ele mesmo reconhecia para nós) em todo o mundo. Suas ideias a favor de uma postura mais flexível da Igreja em questões como o matrimônio, a homossexualidade, o sacerdócio das mulheres, o divórcio ou a anticoncepção, estão em sintonia com esse público alvo contrário, em boa medida, à rigidez dogmática estabelecida tradicionalmente a partir do Vaticano.

Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/569484-mais-de-60-da-populacao-da-america-latina-continua-a-se-declarar-fiel-a-igreja

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Jovens: testemunhem publicamente sua fé!

Cardeal Orani João Tempesta
Arcebispo do Rio de Janeiro

Estamos a caminho da XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos no Vaticano, Roma, que terá como tema: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”. Assunto importante para o momento atual. Os jovens são chamados ao encontro com Cristo e a viver com alegria sua vocação, seu chamado, principalmente sendo testemunha de Cristo Ressuscitado.
A humanidade, em sua essência, possui dificuldade, em certos aspectos, de ouvir algo e colocá-lo em atitudes cotidianas. Isso se demonstra através de toda história do povo de Deus retratada na Bíblia. No Antigo Testamento, o cenário mostra um povo que ouve a Palavra de Deus, através dos profetas, mas, passado certo tempo, esquece tudo aquilo que lhe fora apresentado e volta a cometer os mesmos erros de outrora. Isso se deu durante o Antigo Testamento, quase que por completo; entretanto, com a vinda de Jesus Cristo, o Verbo se fez carne (Jo 1,14), e tudo aquilo que haviam ouvido até então é realizado em fatos concretos. Isso facilitou o entendimento do povo, que passou a executar a Palavra de Deus, e assim continua até a atualidade, com a Sua graça.
“Exorto-vos a levardes uma vida digna da vocação que recebestes” (Ef 4,1). Paulo dirige tal mensagem aos Efésios, povo da Ásia menor (atual Turquia), para que criem coragem e anunciem a sua fé em meio aquela terra. Recebemos, a cada dia, uma exortação para sermos testemunhas dessa fé que recebemos dos apóstolos e a vocação para sermos discípulos missionários. Vocação, do latim vocare, quer dizer chamado. Chamado esse a uma vida de conversão, a uma vida de total entrega a serviço dos irmãos. Assim como Jesus disse aos apóstolos, diz também a cada um de nós hoje: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa-Nova a toda criatura!” (Mc 16,15). Somos todos missionários do Senhor, encarregados de pregar a todos os povos e nações.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Seminário jovem abordará a mulher como tema central

A quarta edição do Seminário da Juventude Inter-religiosa do Rio de Janeiro (JIRJ) será realizada na sede da Comunidade Emanuel, pertencente ao Mosteiro de São Bento, no Centro.
O grupo surgiu durante a Jornada Mundial da Juventude, e reúne jovens católicos, muçulmanos e judeus, pondo em prática o diálogo entre as religiões.
Com o tema: “A Mulher no judaísmo, cristianismo e islamismo”, o debate será feito em torno das três religiões monoteístas do mundo. “Nós vamos ter três abordagens, rodas de conversas entre os jovens para falar do que foi abordado e, logo após, um plenário”, disse o secretario da Comissão Arquidiocesana para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso, diácono Nelson Águia.
Segundo o diácono Nelson, é muito importante que as religiões interajam entre si e conversem sobre os mais diversos assuntos. “Creio que esta será mais uma oportunidade para aprofundarmos o diálogo, a compreensão e o respeito entre os credos, principalmente entre as três religiões abraâmicas, que têm a mesma origem: no pai Abraão. As questões do feminismo, do aborto e do corpo da mulher são temas que estão em alta e que vêm sendo debatidos em vários fóruns. Desta forma, a participação garantirá o conhecimento do que as três religiões pensam e pregam sobre os assuntos”, falou.

Palestras
Cada segmento religioso contará com uma representante para expor os assuntos. Todas serão mulheres, por determinação dos próprios jovens.
A representante católica será a teóloga Maria Clara Bingemer, professora da PUC-Rio, que abordará as questões da mulher sobre a ótica cristã.
Da comunidade judaica, estará presente a ex-presidente da Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (FIERJ), Sarita Schaffel. A comunidade muçulmana será representada por Jamila Hussein, do Departamento Feminino da Sociedade Beneficente Islâmica do Rio de Janeiro.

Como participar
A inscrição para o evento é totalmente gratuita. Basta preencher um cadastro online e comparecer.

A ficha está disponível no link https://goo.gl/2LLRxW.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5913/seminario-jovem-abordara-a-mulher-como-tema-central

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Igreja quer ouvir os jovens: saiba como colaborar com o Sínodo dos Bispos de 2018

Em 2018, será realizada a XV Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”. No processo de preparação, ocorre a fase de consulta, quando o povo de Deus pode enviar contribuições e respostas ao questionário disponibilizado pela Santa Sé. O bispo de Imperatriz (MA) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Vilsom Basso, explica como os jovens brasileiros podem participar.
A fase de consulta foi aberta após a publicação do documento preparatório, em janeiro deste ano. Este processo levará à redação do instrumento de trabalho para a assembleia sinodal. Às conferências episcopais, coube a responsabilidade de receber as contribuições e respostas, compilar o material e enviar à Secretária do Sínodo. Aqui no Brasil, a CNBB disponibilizou desde janeiro o texto preparatório com o questionário.
Para dom Vilsom Basso, “é um tempo de graça, um kairós para toda a juventude, para toda a Igreja, um Sínodo dos Bispos sobre juventude”. Ele explica que estão à disposição dos jovens três maneiras de participar. Primeiro, respondendo ao questionário que já foi encaminhado a todas as dioceses do Brasil e enviando até o final de julho para a CNBB, para que seja feita uma síntese e enviada à Secretaria do Sínodo, no Vaticano – este material poderá ajudar na formulação de ações pastorais no âmbito brasileiro. Até 31 de julho, serão recebidas as respostas dos jovens pelo e-mailsynodos@cnbb.org.br

terça-feira, 20 de junho de 2017

Exposição Eucarística no Santuário da Divina Misericórdia

 Na manhã desta quinta-feira (15/06) quando celebramos a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus, os crismandos da Iniciação Cristã de Jovens após a Santa Missa e a Procissão com o Santíssimo Sacramento fizeram uma Exposição Eucarística à comunidade de fiéis.
A Exposição Eucarística ocorreu no salão paroquial, sendo formada por 10 grupos com diferentes temas sobre a Eucaristia, como por exemplo a Última Ceia, a Solenidade de Corpus Christi, A Santa Missa e suas partes, os Milagres Eucarísticos, os Santos com particular devoção a Eucaristia, assim como movimentos da Igreja que difundem a fé na Eucaristia como o Movimento Eucarístico Jovem (MEJ). Os jovens começaram a se preparar com 1 mês de antecedência, estudando e pesquisando, além de vivenciarem aos domingos a Eucaristia na Santa Missa.
Foi uma manhã de muita partilha, oração e amor à Jesus Eucarístico. Esperamos que cada vez mais o Espírito Santo incendeie nossos corações com um profundo amor à Eucaristia, fonte e ápice da vida cristã.
“A exposição eucarística foi um experiência única que me fez aprender mais e conhecer coisas novas, fez com que eu me interessasse ainda mais sobre alguns assuntos que eu não conhecia muito bem. Foi muito bom poder compartilhar isso com toda a comunidade e com os meus amigos da crisma, é um tipo de atividade que você aprende mais se divertindo. Já quero a próxima” – Isabella Jame, crismanda.
“A exposição eucarística foi uma ótima experiência para mim como catequista, mas acredito que principalmente para os crismandos. Tive a oportunidade de conversar com vários deles e pude ouvir o testemunho que a partir do trabalho eles aumentaram a fé e o entendimento deles sobre a eucaristia. Então sinto que como catequista fiz meu papel, de ajudá-los a enxergar Cristo naquilo que professamos como nossa fé, e eles, a partir dessa exposição, viverão com mais intensidade a santa comunhão” – Bruna Manhães, catequista.

Exposição Eucarística no Santuário da Divina Misericórdia

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Novo formato de catequese busca preparar namorados para a vida matrimonial


Em Florianópolis (SC) e no estado, o arcebispo e membro da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Wilson Tadeu Jönck, juntamente com assessores da Comissão Nacional da Pastoral Familiar, estão implementando uma nova uma metodologia de catequese pré-matrimonial, tendo formado cerca de 300 agentes, em Palhoça e Camboriú.
“Estamos investindo para que a formação não seja feita apenas em cursos, mas no acolhimento e preparação dos noivos para a vida matrimonial, em períodos mais próximos ao casamento. A gente espera muito desta iniciativa”, disse dom Wilson.
Trata-se de uma experiência já vivenciada pelo casal Karina e André Parreira, da Pastoral Familiar, na diocese de São João del-Rei (MG). No processo vivenciado por eles, a preparação dos noivos para a vida matrimonial é feita na forma de acolhimento em 11 encontros, seis meses antes do casamento.
Dois agentes de pastoral recebem, em seu lar, até quatro casais de noivos ou namorados, com quem realizam os aprofundamentos com enfoque nas orientações e na doutrina da Igreja. “Trata-se de uma forma comprovada de catequese pré-matrimonial com formação sólida em pequenos grupos”, disseram os assessores.
Amoris Laetitia
Esta experiência está traduzindo o que o papa Francisco pede em sua exortação Amoris Laetitia: a iniciação ao sacramento do Matrimônio, com momentos personalizados e não apenas palestras. “Trata-se duma espécie de ‘iniciação’ ao sacramento do matrimônio, que lhes forneça os elementos necessários para poderem recebê-lo com as melhores disposições e iniciar com uma certa solidez a vida familiar”, diz a exortação.
Segundo o casal Parreira: “os encontros frequentes dos agentes com os noivos, em um clima de oração, diálogo e amizade, dão tempo para eles absorverem os ensinamentos da Igreja e criam vínculos com os agentes e com a própria paróquia”.
Fonte: http://cnbb.net.br/novo-formato-de-catequese-pre-matrimonial-busca-preparar-casais-de-namorados-para-a-vida-conjugal/

Site do Vaticano promove a participação dos jovens em Sínodo

A CNBB recebeu correspondência assinada pelo Cardeal  Lorenzo Baldisseri, ex Núncio Apostólico no Brasil e atual secretário geral do Sínodo dos Bispos informando sobre o lançamento nesta quarta-feira, 14 de junho, de um siwebsite (http://youth.synod2018.va) destinado à preparação da 15ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo com o tema: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.
Dom Baldisseri diz, na carta, que esta plataforma na internet deve promover uma ampla participação de todos os jovens. Com o website, os jovens receberão informações e vão poder também interagir no caminho da preparação para o Sínodo. “Isto será possível, entre outras modalidades, através de um outro questionário online que se encontrará no site”, esclarece. As respostas deste último questionário que será disponibilizado na internet serão consideradas pela consulta que a Secretaria Geral do Sínodo está fazendo em toda a Igreja, no mundo inteiro.
O secretário geral do Sínodo pede ainda que as conferências espiscopais criem espaços de partilha de todas as iniciativas dos jovens em vista de preparação do Sínodo em nível paroquial, diocesano e nacional. Ele garante que os responsáveis pelo novo site estarão atentos a essas partilhas e deverão cuidar de leva-las ao conhecimento de outros jovens em outras partes do mundo. Nesta partilha, diz o secretário, podem ser enviados documentos, notícias, artigos, vídeos e fotos.
Fonte: http://cnbb.net.br/sinodo-dos-bispos-cria-site-para-promover-a-participacao-dos-jovens/

terça-feira, 13 de junho de 2017

CNBB estimula Jornada de Oração pelo Brasil por ocasião da Festa do Corpus Christi

O Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) após refletir sobre a realidade do Brasil em sua última reunião, dias 30 e 31 de maio, está convidado a todos para um momento de oração pelo Brasil, a ser realizada em todas as comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país, no dia 15 de junho, data em que a Igreja celebra o Corpus Christi.
Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos prestem esse serviço ao país, num momento de tantas incertezas, corrupção e injustiças, numa data tão simbólica em que a Igreja celebra a presença singela, próxima, alimentadora e esperançada de Jesus na Eucaristia.
Um dos trechos da oração, encaminhada a todos os bispos do país pelo Consep,  pede: “Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana”.
Veja a íntegra da oração:
JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL
 Dia de “Corpus Christi”15 de junho de 2017
 A verdadeira paz começa no seu coração
Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, para que dê a paz ao Brasil e ao mundo inteiro. “Reconhecemos a necessidade de rezar constantemente pela paz, porque a oração protege o mundo e o ilumina. A paz é o nome de Deus”(Papa Francisco)
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar, para nos ajudar a construir a justiça e a paz, em nosso país.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejam atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos!
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos artesãos da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vosso filho Jesus está no meio de nós, no Santíssimo Sacramento, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas. Seguindo o exemplo de Maria, queremos permanecer unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo. Amém!
(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)
Fonte: http://cnbb.net.br/cnbb-estimula-uma-jornada-de-oracao-pelo-brasil-por-ocasiao-do-proximo-corpus-christi/

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Papa Exorta Jovens a Mudar o Mundo

PAPA EXORTA JOVENS A MUDAR O MUNDO
O mundo pode mudar se abrirmos o coração aos outros, jamais responder ao mal com o mal. Foi a exortação do Papa aos cerca de seis mil jovens da experiência educacional cristã “Graal” e “Os Cavaleiros”, recebidos por Francisco na Sala Paulo VI, no Vaticano.
Falando espontaneamente, ou seja, sem texto, e respondendo às perguntas de três jovens, o Pontífice ressaltou que não há respostas diante do sofrimento das crianças, mas que somente se pode olhar para o Crucifixo e rezar.
Milhares de jovens acolheram com afeto e entusiasmo o Santo Padre na Sala Paulo VI, cujo encontro foi vivido em clima de grande festa. Com a naturalidade que lhe é própria, Francisco dialogou com os jovens, respondendo em particular às perguntas de três deles.
Dirigindo-se à jovem Marta que lhe confiara seu receio de passar para o ensino médio, Francisco ressaltou que a vida é “um contínuo bom-dia e até a próxima”. Afirmou também que se não se aprende a despedir-se bem, jamais aprenderá a encontrar novas pessoas.
Não se pode acomodar-se no sofá, retomou, por ter medo de mudar, correndo o risco de fechar o horizonte da vida. Daí a exortação a vencer o medo de crescer e de mudar e a aceitar o desafio de alargar o horizonte, de fazer o caminho com novas pessoas.
Para mudar o mundo é preciso abrir o coração aos outros e não responder ao mal com o mal. Assim o Papa respondeu à pergunta de Giulia sobre como poder mudar o mundo. Em primeiro lugar, disse o Santo Padre, é preciso ter consciência de que ninguém possui a “varinha mágica” para mudar o mundo. Em seguida, evidenciou o coração como o motor de uma autêntica mudança:
“O mundo muda abrindo o coração, ouvindo os outros, recebendo os outros, partilhando as coisas. E vocês podem fazer o mesmo. Se você tem um companheiro, um amigo, uma amiga, um colega de escola, uma colega de escola de quem você não gosta, que é um pouco antipática. Se você vai fofocar sobre aquela pessoa, porque esta é assim e assim. Se, ao invés, você releva – ‘Não gosto, mas não digo nada’ –, como é aquela pessoa? Brava. Entenderam! Mudar o mundo com as pequenas coisas de todos os dias, com a generosidade, com a partilha, criando essas atitudes de irmandade.”
Em seguida, o Santo Padre pediu aos jovens que jamais respondam ao mal com o mal, e que não respondam nem mesmo aos insultos. Jesus, recordou Francisco, nos pede que rezemos por todos, inclusive pelos nossos inimigos. Desse modo, rezando por todos, retomou, “se pode mudar o mundo”.
Em seguida, foi a vez de Tanio, jovem búlgaro adotado, que contou sua comovente história de sofrimento perguntando a Francisco como se pode acreditar no Senhor diante da dor que atinge as crianças.
O Papa disse que não é possível encontrar explicações racionais para o sofrimento de uma criança. Dirigindo-se a Tanio disse que é possível encontrar alguma explicação “no amor daqueles que lhe querem bem e lhe apoiam”:
“Sinceramente, lhe digo, e você entenderá bem isso: quando na oração faço a pergunta ‘por que as crianças sofrem?’, habitualmente faço essa pergunta quando vou aos hospitais das crianças e depois saio – e lhe digo a verdade – com o coração, não diria destruído, mas muito compadecido, o Senhor não me responde. Apenas olho para o Crucifixo. Se Deus permitiu que Seu Filho sofresse assim por nós, deve haver algo ali que tenha um sentido. Mas, querido Tanio, não posso explicar-lhe o sentido. Você o encontrará: mais adiante na vida ou na outra vida. Mas explicações, como se explica um teorema matemático ou uma questão histórica, não lhe posso dar nem eu nem ninguém.”
“Não posso lhe explicar isso”, retomou o Papa com sinceridade. E concluiu agradecendo a Tanio pela pergunta porque, observou, “é importante que vocês, rapazes e moças”, comecem “a entender essas coisas, porque isso os ajudará a crescer bem e a seguir adiante”.

Fonte: Rádio Vaticano