quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Igreja se prepara para iniciar o Ano do Laicato

“Sabeis que a doutrina do sacerdócio comum dos fiéis, tão amplamente desenvolvida pelo Concílio, ofereceu ao laicato a ocasião providencial de descobrir sempre mais a vocação de todo o batizado ao apostolado e o seu necessário compromisso, ativo e consciente, com a tarefa da Igreja. Isto é consolador, e devemos ser os primeiros a nos alegrar com esta colaboração do laicato e a encorajá-la” (Homilia do Papa João Paulo II, no Maracanã).
Durante a primeira visita ao Brasil, em junho de 1980, o então Papa João Paulo II já destacava a necessidade de estimular o protagonismo dos leigos para que esses assumissem a missão evangelizadora como parte da Igreja.
Quase 40 anos depois do discurso de São João Paulo II, a Igreja se prepara para vivenciar o Ano do Laicato – que terá início no dia 26 de novembro, na Solenidade de Cristo Rei, e findará na mesma data, em 2018 –, tendo como tema: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino”, e como lema: “Sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-14).

Documento 105 da CNBB
Agora, o anúncio do Ano do Laicato está sob a luz do pedido do Papa Francisco, de fazer crescer “a consciência da identidade e da missão dos leigos na Igreja”.
O intuito geral como Igreja é celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos no Brasil, assim como aprofundar a identidade, vocação, espiritualidade e missão, e testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade.
Além disso, o Ano do Leigo pretende dinamizar o estudo e a prática do Documento 105 da CNBB sobre “Cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade”, bem como demais arquivos do Magistério, em especial do Papa Francisco, sobre o Laicato, e estimular a presença e a atuação dos cristãos leigos como “sal, luz e fermento” na Igreja e na sociedade.

Igreja em saída
O vigário episcopal para a Caridade Social, cônego Manuel Manangão, explicou a importância desse período para a Igreja. “Esse ano já é esperado há muito tempo, porque, apesar da Igreja sempre lidar com a realidade do leigo também atuando na ação evangelizadora, de alguma maneira, nos últimos 20 anos, constatou-se uma espécie de esfriamento na ação laical. Talvez, por uma questão de ‘clericalização’, a Igreja colocou nas mãos dos padres muito do processo de decisão. A partir disso, o leigo ficou muito distante da dimensão de ação dentro da sociedade”, comentou.
Ainda segundo o cônego, a consequência do esfriamento na ação laical é a falta de renovação das lideranças. “Temos muitos leigos atuando, disso não há dúvidas. Porém, no conjunto geral das pastorais sociais, por exemplo, não temos grandes nomes. Com isso, não há renovação das lideranças, elas estão envelhecidas. São pessoas que trabalham, militam na área da ação social e das pastorais há mais de 40 anos. Ao mesmo tempo, as pessoas que chegam ainda estão, de certa forma, ‘cruas’, com pouca visão do que é a Igreja”, frisou.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

4º Seminário de Comunicação aborda “simplificação dos meios, o uso e a acessibilidade” das redes

“Simplificação dos meios, o uso e a acessibilidade” foi o tema apresentado pelo assessor da Comissão Episcopal para Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Padre Antônio Xavier, na noite desta terça-feira, 7 de novembro, durante a abertura do 4º Seminário de Comunicação, que será realizado até o dia 10, no Centro de Estudos e Formação do Sumaré, no Rio de Janeiro. 
Logo após a abertura oficial do seminário e apresentação do tema realizada pelo arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, juntamente com o vigário episcopal para a Comunicação Social e Cultura da Arquidiocese, Cônego Marcos William, Padre Antônio proferiu a primeira conferência do encontro recordando a história da Igreja com a comunicação e realizando um panorama dos dias atuais com o advento da cultura digital. 
“Abordamos nessa primeira palestra exatamente a caminhada que a Igreja fez em relação aos meios de comunicação e, ao mesmo tempo, apresentamos um pouco do cenário em que vivemos hoje com tantas mudanças trazidas pela cultura digital e por toda essa revolução tecnológica às vezes chamada de quarta revolução industrial. A partir disso, expomos e refletimos um pouco sobre temáticas como o vício digital, as diferenças entre alguém que está online e alguém que está realmente disponível para uma conversa ou algo assim, um discernimento mais apurado diante do entusiasmo pela tecnologia que às vezes gera certa ansiedade, que são provindas desse meio, mas ao mesmo tempo toda a abordagem positiva em relação ao crescimento, utilização dos meios digitais para a saúde, para a educação e para tantas outras abordagens”, explicou o sacerdote.
Partindo da afirmação que “a evolução da tecnologia é tão inerente quanto a evolução da humanidade”, padre Antônio apresentou a linha do tempo das revoluções industriais destacando que hoje “vivencia-se uma grande variedade de itens tecnológicos capazes de facilitar a vida e os relacionamentos e impulsionar a produtividade”.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

DNJ 2017

Casa São Francisco de Sales, no Riachuelo. Missa presidida por D. Paulo Romão.

DNJ 2017
Clique na seta para passar as fotos

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Homenagem a Nossa Senhora Aparecida

A coroação teve início com os jovens entrando com a bandeira do Brasil em punho (desfile) pedindo bênçãos à padroeira do Brasil.


Montamos cenários e levamos a comunidade a viver acontecimentos da época, no final participamos da missa celebrada pelo Padre Nivaldo Alves.









A Paróquia  recebeu muitos visitantes das 07 às 22 horas. 

Paróquia São José – Barros Filho

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Uma bela experiência em torno da Palavra de Deus

Celebração da entrega da Palavra de Deus com os jovens e adultos
Na Quaresma, eles fizeram o Rito de Entrada com assinalação dos sentidos.
Deixamos para o mês de setembro a entrega da Palavra. Fizemos uma campanha de doação de bíblias e no último domingo fizemos uma "Festa da Palavra de Deus".
A celebração eucarística foi seguida de estudo da 1Ts.
Ao final, fizemos um almoço comunitário.

(Paróquia Santa Rita – Largo de Santa Rita – Centro)

terça-feira, 26 de setembro de 2017

CNBB recebe condecoração por ocasião dos 10 anos do Projeto Lectionautas

Em comemoração aos 10 anos do Projeto Lectionautas, o Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebeu em sua última reunião, na tarde da quarta-feira, 20 de setembro, representantes da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), entidade idealizadora do projeto.
Ao dar início a sessão, o presidente da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB, dom José Antonio Peruzzo enfatizou que nesses 10 anos o projeto já desenvolveu resultados “muito bonitos em termos de aproximação do povo da Palavra de Deus”.
Na sequência, após se apresentar aos que ali estavam no auditório, o Secretário de Comunicação, Ação Social e Arrecadação da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), Erni Seibert anunciou a entrega da condecoração que marca os 10 anos do projeto à presidência da CNBB. A honraria foi entregue pelo diretor executivo da SBB, reverendo Rudi Zimmer ao vice-presidente da CNBB, dom Murilo Krieger.
“É um grande prazer estar aqui e celebrar esses 10 anos com esta placa. A Sociedade Bíblica do Brasil agradece a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pela parceria e realização no Brasil do projeto Lectionautas, que tem incentivado os jovens a ler, viver e compartilhar a palavra de Deus”, afirmou o diretor executivo da SBB.
Na ocasião, dom Peruzzo recordou que o projeto é voltado especialmente para os jovens e disse ainda que estava comovido com as experiências apresentadas por eles a partir da Leitura Orante e do Projeto Lectionautas. Após sua fala, o bispo convidou a todos a seguir os quatro degraus da Leitura Orante da Bíblia a partir do texto de Lucas (5,1-11), finalizando assim a reunião.

O Projeto
O projeto Lectionautas, iniciativa das Sociedades Bíblicas Unidas (SBU) em parceria com o Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam), completou 10 anos de atuação. Baseado no método da Lectio Divina, leitura orante da Bíblia, tem por objetivo promover a comunhão com Deus a partir de quatro passos: leitura, meditação, oração e contemplação.
No Brasil, o projeto é resultado de uma parceria entre a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB). Além de capacitar jovens líderes católicos para que ensinem outros jovens a ler a Bíblia com o método da Lectio Divina, a iniciativa também aproxima a juventude da Bíblia Sagrada e de seus ensinamentos em torna a Palavra de Deus. Como celebração de uma década do projeto na América Latina, várias atividades e capacitações foram feitas em diferentes partes do país.

Fonte: http://cnbb.net.br/cnbb-recebe-condecoracao-por-ocasiao-dos-10-anos-do-projeto-lectionautas/

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Na Audiência, Papa se dirige aos jovens: viva, ame, sonhe e acredite

Viva, ame, sonhe e acredite: a Audiência Geral desta quarta-feira (20/09) do Papa Francisco foi diferente.
A tradicional catequese deu lugar a uma “conversa imaginária” com um jovem ou com qualquer pessoa aberta ao aprendizado. Retomando o tema das catequeses precedentes – a esperança – o Pontífice inovou ao falar da “educação à esperança”, com uma série de exortações.
A primeira delas é “não se renda às trevas”. O primeiro inimigo a combater não está fora de você, mas dentro. Portanto, não dê espaço aos pensamentos negativos; a luta que conduzimos aqui não é inútil, ao final da existência não nos espera o naufrágio: em nós palpita algo de absoluto. “Deus não desilude. Tudo nasce para florescer numa eterna primavera”, disse Francisco, que citou o diálogo entre o carvalho e a amendoeira. O carvalho pediu à amendoeira que falasse de Deus, e ela floresceu.
E o Papa exortou: “Onde quer que estiver, construa! Se estiver no chão, levante-se! Se estiver sentado, coloque-se em caminho! Se o tédio o paralisa, realize obras de bem! Se estiver desmoralizado, peça que o Espírito Santo possa preencher o seu vazio.”
O Pontífice prosseguiu convidando a atuar a paz em meio aos homens e a não ouvir a voz de quem espalha ódio e divisão. Por mais diferente que sejam, as pessoas foram criadas para viverem juntas: “ame os seres humanos. Cada criança que nasce é a promessa de uma vida que, mais uma vez, se demonstra mais forte do que a morte”.
“Jesus nos entregou uma luz que brilha nas trevas: proteja-a. Esta única chama é a maior riqueza confiada a sua vida.”
Outra exortação dirigida aos jovens é sonhar: “Sonhe, não tenha medo de sonhar, sonhe um mundo que ainda não se vê, mas que certamente chegará”. Os homens que cultivaram esperanças são também os que venceram a escravidão e promoveram melhores condições de vida sobre a terra.
“Seja responsável por este mundo e pela vida de cada homem.” Toda injustiça contra um pobre é uma ferida aberta. A vida não acaba com a sua existência, neste mundo virão outras gerações.
Outro convite é pedir a Deus o dom da coragem. “O nosso inimigo mais insidioso nada pode contra a fé. Se um dia o medo o tomar, pense simplesmente que Jesus vive em você. Tenha sempre a coragem da verdade”, lembrando-se porém que não é superior a ninguém, levando no coração os sofrimentos de toda criatura.
Cultive os ideais – aconselhou ainda o Papa –; viva por algo que supere o homem. Se errar, levante-se: nada é mais humano do que cometer erros. O Filho de Deus não veio para os saudáveis, mas para os doentes.
“Deus é seu amigo. Aprenda com a maravilha, cultive o estupor. Viva, ame, sonhe, acredite. E, com a graça de Deus, jamais se desespere.”

Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/09/20/na_audi%C3%AAncia_geral,_o_papa_se_dirige_aos_jovens/1337829

5º Simpósio sobre Saúde e Espiritualidade

Dúvidas ligar para 2134-5406 - CRER-INTO.
Inscrições também podem ser feitas pelo site: https://www.into.saude.gov.br/

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Diálogo, uma das riquezas na preparação ao Sínodo, diz jovem brasileiro

Durante cinco dias especialistas e jovens dos cinco continentes estiveram reunidos no Auditório da Cúria Geral dos Jesuítas em Roma para debater a situação juvenil ao redor do mundo, em preparação à XV Assembleia Geral do Sínodo 2018 dedicada aos jovens.
Debates e trabalhos em grupo seguiram-se às diversas palestras proferidas por especialistas de diversas  procedências. Cada sessão era dedicada a um tema, enriquecido com duas palestras: Os jovens e a identidade; os jovens e o trabalho e as migrações; os jovens e a alteridade; os jovens e a tecnologia e os jovens e a transcendência.
Entre os jovens brasileiros presentes no encontro estava Lucas Galhardo, representando a Pastoral Juvenil e o Departamento Juvenil do CELAM. Ele nos falou sobre a riqueza das atividades desenvolvidas ao longo da semana e destacou a promoção do diálogo como uma das riquezas nesta preparação ao Sínodo:
“Foi uma atividade riquíssima, riquíssima! Pudemos ver que no mundo partilhamos de realidades iguais, mas também tem diferenças devido aos diferentes países, diferentes regiões, diferentes culturas. Ficou evidente que o jovem realmente tem uma força tremenda, que o jovem tem uma capacidade de mudança impressionante e que a juventude de todo o mundo carrega este anseio de um mundo melhor, de possibilitar uma Igreja cada vez mais próxima a todos que chega, que consiga tocar o máximo de pessoas possível, porque sabemos e temos a certeza que a Igreja tem uma mensagem muito bonita, muito rica, muito necessária para o mundo de hoje.
A mim fica um grande exemplo este seminário, pois foi muito bonito ver estudiosos, professores, alguns mais velhos do que nós, outros nem tanto, mas são mais experientes em alguns assuntos, mais experientes sobre a juventude, foi muito bonito partilhar do conhecimento e da experiência destas pessoas, com nós jovens. Foi muito bonito de se ver esta comunhão, às vezes as ideias se confrontavam, às vezes as ideias se agregavam uma à outra, e tudo no final é bonito de ver esta comunhão e ver a riqueza e o valor que este tipo de atividade traz.
Então por isto que eu acho que este processo do Sínodo que vem se construindo com esta abertura de diálogo ao jovem e o contato com a Igreja, com os mais velhos, com os mais experientes, com os estudiosos, etc, com todo o mundo, esta promoção do diálogo universal que é a grande riqueza e o grande exemplo que este Sínodo, este processo do Sínodo tem a deixar a todos nós.
Me lembrei muito nestes dias do que o Papa Francisco disse aos voluntários no fim da Jornada em Cracóvia em 2016: conversem com seus avós, conversem com os mais experientes. Acho que essa é a grande riqueza, o grande exemplo que este Sínodo está dando e que deve servir de exemplo para todos os nossos lugares, as nossas dioceses, os nossos trabalhos em nossos movimentos, comunidades, congregações. Então eu acho que está é a grande riqueza que este Sínodo está deixando”.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/6158/dialogo-uma-das-riquezas-na-preparacao-ao-sinodo-diz-jovem-brasileiro

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Escola Mater Ecclesiae oferece curso sobre a Teologia do Corpo

Aproveite essa oportunidade para conhecer a Teologia do Corpo.
Curso de dois meses, oferecido pela Escola Mater Ecclesiae (outubro e novembro, quinta-feira, 18h30-20h), no Núcleo Glória, que fica na Rua Benjamin Constant, 23. Investimento - 40,00 mensais. Inscreva-se pelo telefone no cartaz, e-mail ou pelo link a seguir e ajude na divulgação: https://goo.gl/forms/xn3zoyBmAAfjhKlX2

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Papa Francisco: jovens, mantenham viva a alegria

O Papa Francisco saudou e abençoou o povo colombiano da sacada do Palácio Cardinalício, em Bogotá, nesta quinta-feira (07/07). “Com grande alegria, os saúdo e agradeço a calorosa recepção”, disse o Papa aos cerca de vinte e dois mil jovens presentes na Praça Bolívar.

Paz
Citando um trecho do Evangelho de Lucas que diz: “A paz esteja nesta casa”, o Papa sublinhou:
“Hoje, entro nesta casa que é a Colômbia, dizendo-lhes: «A paz esteja com vocês!» Essa era a forma de saudação de todo judeu e também de Jesus. Com efeito, quis vir aqui como peregrino de paz e esperança, e desejo viver esses momentos de encontro com alegria, dando graças a Deus por todo o bem que realizou nesta nação e na vida de cada pessoa.”
“Venho também para aprender; sim, aprender com vocês, com a sua fé e fortaleza perante a adversidade”, disse Francisco, ressaltando que os colombianos vivem momentos difíceis, mas que o Senhor está sempre com eles. O Papa os encorajou a continuar buscando e desejando a paz, aquela paz autêntica e duradoura.

Alegria
“Vejo aqui muitos jovens que vieram de toda parte do país. Para mim é sempre motivo de alegria encontrar-me com os jovens. Digo-lhes neste dia: mantenham viva a alegria, sinal do coração jovem que encontrou o Senhor”, frisou o Papa.
Francisco convidou os jovens a não terem medo do futuro e a sonharem alto. Disse que os jovens têm “uma sensibilidade especial para reconhecer o sofrimento dos outros”.

Disponibilidade
“O voluntariado do mundo inteiro nutre-se de milhares de jovens como vocês que são capazes de disponibilizar o seu tempo, renunciar a comodidades, a projetos centrados em si mesmos, para se deixarem comover pelas necessidades dos mais frágeis e dedicar-se a eles. Mas também pode acontecer que tenham nascido em ambientes onde a morte, o sofrimento e a divisão penetraram tão profundamente que lhes deixaram nauseados e anestesiados: deixem-se ferir e mobilizar pelo sofrimento de seus irmãos colombianos! E a nós, os mais velhos, ajudem-nos a não nos acostumarmos ao sofrimento e ao abandono”.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Encontro da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos do Vicariato Oeste

Aconteceu no CIEP Oswaldo Aranha, em Magalhães Bastos, no dia 03 de setembro.
Pregação feita pelo Pe. Sílvio Barros da Paróquia Nossa Senhora de Fátima (Paciência).



sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Mais sacramentos do Crisma

Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora (Jacarezinho)
6ª forania do Vicariato Norte
(Crisma realizado na Paróquia Nossa Senhora das Graças em Maria da Graça)
36 Jovens e Adultos



Paróquia São Vicente de Paulo (Vicente de Carvalho)
5ª forania do Vicariato Suburbano


quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Crisma na Paróquia Nossa Senhora do Divino Amor

No último domingo, dia 27 de agosto, dia do catequista, o bispo auxiliar da arquidiocese, Dom Joel Portella, presidiu a Eucaristia e deu o Sacramento do Crisma a 120 jovens e adultos, na Paróquia Nossa Senhora do Divino Amor, em Irajá.


A celebração teve início às 18h, teve como concelebrantes o Padre Rogério Félix, pároco; o Padre Thiago Faria, vigário paroquial; e contou com os serviços dos diáconos Adriano, Edmilson e Crisônio.

Na homilia, o bispo afirmou que em cada celebração de Crisma, ele recorda a própria, pois, como ele disse: "Quando alguém confirma sua fé, toda a igreja confirma também. Todos saímos de alguma maneira marcados pelo amor, e cada um de nós é chamado a descobrir esse amor e responder como Pedro."
No ofertório, os crismandos, seus padrinhos e os catequistas ofereceram alimentos para a assistência aos menos favorecidos da comunidade.
Ao final da celebração, o celebrante concedeu bênção especial aos catequistas presentes. 


Fotos: Pascom Divino Amor

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/6086/crisma-na-paroquia-nossa-senhora-do-divino-amor

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Lançamento sobre Teologia do Corpo

Já está a venda a 2ª Edição do livro Comentário à Teologia do Corpo de São João Paulo II, do Diácono Wagner Augusto Moraes dos Santos, lançado pelo Instituto Superior de Ciências Religiosas da Arquidiocese do Rio de Janeiro.
Concedido o imprimatur pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio, Dom Antônio Augusto Dias Duarte, o compêndio se propõe a comentar as catequeses de São João Paulo II sobre a Teologia do Corpo, que fundamentava segundo a filosofia e a teologia o significado do corpo humano e a sua sexualidade, através de argumentos que visam explicar a doutrina da Igreja, acerca do celibato, castidade matrimonial, ato conjugal, a relação entre homem e mulher, dentre outros temas.
O autor é diácono da mesma Arquidiocese, graduado em filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e em física pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, além de mestrando em teologia pela PUC-Rio.
O valor da obra é R$ 20,00 (vinte reais) e pode ser adquirido diretamente na sede do Instituto Superior de Ciências Religiosas, através do Telefone 2292-3132 Ramal 380 ou email: iscr@arquidiocese.org.br.

Fonte: https://iscrarqurio.wordpress.com/2017/08/24/lancamento-sobre-teologia-do-corpo/

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Seminário de Ideologia de Gênero na PUC-Rio

Com o intuito de esclarecer os fiéis sobre as implicações da ideologia de gênero, à luz do Magistério da Igreja, o Programa de Liderança Católica (Move) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) realizará o Seminário de Ideologia de Gênero, no dia 19 de agosto, de 14h às 19h, no auditório Padre José de Anchieta, na PUC-Rio. O evento será conduzido pelo bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio Dom Antonio Augusto Dias Duarte, que abordará a ideologia de gênero e sua perspectiva histórica, através da análise da gênese do feminismo - da 1ª à 3ª geração - e da história das ideias do mundo moderno I e II. 
Segundo o reitor da Igreja Sagrado Coração de Jesus da PUC e responsável pelo Programa de Liderança Católica (Move), padre Alexandre Paciolli, o tema foi escolhido a partir de uma reunião com o arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, que junto ao grupo observou a necessidade de abordar o assunto dentro da universidade. 
“A reunião com Dom Orani concretizou o que Deus já havia plantado no meu coração e no coração dos jovens: a importância de promover eventos de formação abertos ao público. A PUC, enquanto referência de formação e liderança em vários campos, aglutina pessoas com um forte desejo de mudança e melhoria social, a partir do cristianismo. Desta forma, a ideia do seminário é trazer essas pessoas para perto, para que conheçam a fundo um tema importante para a nossa fé e amplamente discutido nos dias de hoje. E por ser um evento aberto, muitos fiéis irão se beneficiar com esse tesouro”, ressaltou.
O Move é um programa de liderança católica composto por jovens universitários, que têm o objetivo de aprofundar os conhecimentos na Sagrada Escritura e no Magistério da Igreja Católica. O grupo é responsável por organizar eventos de formação e missões de evangelização, além de trabalhar com iniciativas sociais. Planeja um segundo seminário na universidade com o tema: “Medicina e vida”. 

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/6022/seminario-de-ideologia-de-genero-na-puc-rio


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Padre Leandro Lenin: ‘O trabalho realizado em conjunto sempre dá mais frutos’

Por ocasião do Dia do Padre, na memória de São João Maria Vianney, 4 de agosto, apresentamos a vida e ministério do jovem padre Leandro Lenin Silva Tavares Cardoso.
Após cinco anos de intenso ministério na Arquidiocese do Rio de Janeiro, ele embarcou, no dia 14 de julho, para uma nova missão: cursar mestrado e doutorado na Universidade de Navarra, em Pamplona, na Espanha. A dedicação e o amor a Deus são características que sempre remeterão à lembrança do jovem sacerdote, que segue realizando as vontades de Cristo em sua vida.

O despertar vocacional
O amor pela vocação sacerdotal surgiu ainda na adolescência, quando a família frequentava a Paróquia São Benedito, em Pilares, onde a disponibilidade e o serviço realizado pelo então pároco, padre Luis Carlos Oliveira, despertavam no jovem o desejo de também servir a Deus cada dia mais e melhor.
O florescer da vocação veio durante a mudança da família para o bairro do Recreio. Na Paróquia Imaculada Conceição, o pároco, padre Edney Gouvêa, hoje bispo da Diocese de Nova Friburgo, foi essencial na caminhada do jovem.
Nesse período, uma pergunta se fazia presente: “‘Por que o padre nunca falta à missa e eu, por vezes, falto?’. Essa era uma grande questão para mim. É curioso como a disponibilidade dos sacerdotes me tocava de modo curioso”, argumentou.
A proximidade com a Igreja era vista com bons olhos pelos pais, Marisa e Jorge Tavares, que, apesar de não serem presentes na vida comunitária, sempre participavam das celebrações.
“Certa vez, ainda nos meus 14 anos, minha mãe perguntou se era isso mesmo o que eu queria. Neguei. Achava muito cedo para dizer alguma coisa tanto para ela quanto para mim mesmo. Sentia-me atraído pela ideia, mas ainda não sabia se era realmente isso”, contou.
Até que chegou o período de estudos, o tão sonhado vestibular. Estudar sempre fez parte da vida do jovem Leandro, o qual era muito incentivado pelos pais. Tal esforço resultou em recompensa: passou para o curso de engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nessa época, era um jovem comum, dando passos em direção ao futuro, namorando e vivendo.
A vocação ainda era uma realidade presente nas conversas familiares, mas não tão forte como antes. “Eu queria muito passar, porque a ideia do estudo estava mais na minha cabeça do que a de ser padre. Mas assim que passei, tive a sensação do dever cumprido. Estava satisfeito. Porém, foi aí que o tema da vocação voltou com muita força”, recordou.

“A primeira melhor noite de sono da minha vida”
Para isso, era preciso resolver algumas questões: a primeira era sobre quais seriam seus diretores espirituais, o que foi fácil de resolver, uma vez que os padres Luis Carlos e Edney marcaram a vida do jovem. A segunda era sobre a namorada, que resistiu por algum tempo, mas que logo foi vencida.
A terceira e mais difícil eram os pais. “Duas coisas me passavam na mente: a sensação da certeza de que era isso mesmo o que eu queria, mas também a de me passar por mentiroso, uma vez que neguei e escondi a minha vocação deles. Imaginei que eles fossem ficar avessos a essa ideia, o que realmente aconteceu, pois viram eu me lançar mais longe nos estudos”, ressaltou.
Sobre esse período, o sacerdote recordou que “não foi fácil, foi bem dolorido, embora fosse um tempo cheio de expectativas e alegrias. Tranquei a faculdade no quarto período, e entrei no seminário em 2004. Carregava a perspectiva espiritual de servir a Jesus com alegria, ao mesmo tempo em que tinha no coração o pesar da saída conturbada de casa. Entrar no seminário foi a primeira melhor noite de sono da minha vida, porque eu estava no lugar que eu sempre deveria estar”, lembrou.
Oito anos depois do ingresso no Seminário Arquidiocesano de São José, veio a ordenação sacerdotal, que aconteceu no dia 14 de abril de 2012, às vésperas da Oitava de Páscoa. Mas, Deus ainda havia reservado outra surpresa: “No meio de tudo isso, Deus me deu como presente a conversão dos meus pais. Então, eles retornaram a fé de maneira muito intensa, e tive o apoio do meu pai naquilo que ele dizia não entender. Não pude ter presente melhor do que esse. O tempo de seminário me mostrou o que é a Igreja: quanto mais a gente serve, mais a gente se encontra na vocação”, finalizou.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

JMJ Panamá 2019: lançado site oficial

            O site oficial da Jornada Mundial da Juventude no Panamá 2019 já pode ser acessado desde 31 de julho.
            Disponível em cinco línguas – espanhol, português, francês, inglês e italiano – o portal apresenta em sua homepage um cronômetro com a contagem regressiva em tempo real para o início do evento: dias, horas, minutos e segundos.
            A data escolhida para o lançamento do site não é mera casualidade, pois coincide – como observou o Arcebispo José  Domingo Ulloa – com o aniversário do anúncio por parte do Papa Francisco na Polônia da escolha do Panamá como sede da Jornada Mundial da Juventude.
            Uma imagem que sintetiza as várias realidades paisagísticas da nação – das montanhas à costa, das antigas igrejas aos modernos arranha-céus, das pontes ao famoso Canal do Panamá que une dois Oceanos – acompanha o tema mariano escolhido para o evento: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra." (Lc 1,38).
            A vídeo-mensagem do Papa Francisco divulgada no Domingo de Ramos deste ano e um convite para conhecer o país completam as seções principais do novo site, que na intenção dos organizadores serve para estabelecer contato e informar os jovens de todo o mundo até a Jornada que se realizará de 22 a 27 de janeiro de 2019.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5989/jmj-panama-2019-lancado-site-oficial


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Papa aos jovens brasileiros: não tenham medo de lutar contra a corrupção

O Papa Francisco enviou, uma carta aos jovens brasileiros no encerramento do projeto Rota 300, que se encerrou dia 29 de julho com uma grande festa no Santuário Nacional de Aparecida (SP). A iniciativa celebrou os 300 anos do encontro da imagem de Aparecida, no Rio Paraíba do Sul (SP).
No texto, Francisco afirma que Maria é um sinal de esperança e que conhece os desafios vividos pelos jovens. Além disso, o papa estimula a juventude a seguir com o espírito missionário.
“Caros amigos, em meio às incertezas e inseguranças de cada dia, em meio à precariedade que as situações de injustiça criam ao redor de vocês, tenham uma certeza, - escreve o Papa -, Maria é um sinal de esperança que lhes animará com um grande impulso missionário. Ela conhece os desafios em que vocês vivem. Com sua atenção e acompanhamento maternos, lhes fará perceber que não estão sozinhos”.
O Santo Padre recordou na sua mensagem a história dos pescadores pobres, que depois de uma pesca sem grandes resultados, no rio Paraíba do Sul, lançaram mais uma vez as suas redes e foram surpreendidos com uma imagem partida de Nossa Senhora, coberta de lama. Primeiro acharam o corpo, logo em seguida a cabeça. “Como comentei aos Bispos brasileiros em 2013, - escreve ainda Francisco -, o fato traz em si um simbolismo muito significativo: aquilo que estava dividido, volta à unidade, como o coração daqueles pescadores, como o próprio Brasil colonial, dividido pela escravidão, que encontra sua unidade na fé que aquela imagem negra de Nossa Senhora inspirava”.
Francisco convida então os jovens a deixarem que seus corações sejam transformados pelo encontro com Nossa Mãe Aparecida. “Que Ela transforme as “redes” da vida de vocês – redes de amigos, redes socias, redes materiais e virtuais -, realidades que tantas vezes se encontram dividas, em algo mais significativo: que se convertam numa comunidade! Comunidades missionárias “em saída”! Comunidades que são luz e fermento de uma sociedade mais justa e fraterna”.
Recordando ainda a sua mensagem à Assembleia do CELAM em 2017, o Pontífice pede aos jovens que “não tenham medo de arriscar-se e comprometer-se na construção de uma nova sociedade, permeando com a força do Evangelho os ambientes sociais, políticos, econômicos e universitários! Não tenham medo de lutar contra a corrupção e não se deixem seduzir por ela! Confiantes no Senhor, cuja presença é fonte de vida em abundância, e sob o manto de Maria, vocês podem redescobrir a criatividade e a força para serem protagonistas de una cultura de aliança e assim gerar novos paradigmas que venham a pautar a vida do Brasil”.
O Santo Padre finaliza a sua mensagem com uma invocação: “Que Nossa Senhora, que em sua juventude soube abraçar com coragem o chamado de Deus em sua vida e sair ao encontro dos mais necessitados, possa ir à frente de vocês, guiando-lhes em todos os seus caminhos!”

Leia a carta na íntegra:

Arquidiocese do Rio abre inscrições para comitiva oficial da JMJ Panamá 2019

“A Jornada Mundial da Juventude nos ajuda a experimentar, de modo intenso, a sabedoria de Salomão”, destacou o bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Joel Portella Amado, durante a celebração em ação de graças pelos quatro anos da JMJ Rio2013, e um ano da JMJ Cracóvia, que foi realizada no último domingo, dia 30 de julho, no Santuário São Judas Tadeu, no Cosme Velho.
A Santa Missa também marcou o início das inscrições para o grupo oficial da Arquidiocese do Rio, que participará da JMJ em janeiro de 2019, no Panamá. A comitiva da Cidade Maravilhosa contará com a presença do arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, bispos auxiliares, sacerdotes, religiosos e fiéis, e realizará a pré-jornada em Guadalupe, no México.
Em sua homilia, Dom Joel destacou que "ainda que vivenciadas em povos diferentes, as Jornadas nos ajudam a viver de um modo intenso a nossa fé".
“O que é experimentado nas JMJ's tem uma força tamanha que nos impulsiona a voltar para casa com uma vontade imensa de salvar o mundo. A Jornada Mundial da Juventude também nos dá algo que é destacado na primeira leitura de hoje, a sabedoria de Salomão, onde o Senhor se aproxima dele e diz: ‘pede o que você quiser, e eu dou?’. E para a alegria do Senhor, Salomão não pensou nele mesmo, mas nas outras pessoas e pediu sabedoria para conduzir o povo. E é isso que nós assistimos nas Jornadas, o exercício de pensar nos outros, assim como aconteceu na jornada do Rio de Janeiro, quando acolhemos os peregrinos em nosso Estado, em nossas casas”, destacou.

Do Rio de Janeiro ao Panamá
Há exatamente quatro anos a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, juntamente com o mundo inteiro, celebrava a 28ª JMJ. Precedida pela Semana Missionária nas Dioceses do Brasil, a JMJ Rio2013 foi realizada entre os dias 23 e 28 de julho de 2013, na Cidade Maravilhosa. Também há um ano, peregrinos de diversas nacionalidades, em especial, a comitiva do Rio, se reuniram para celebrar a JMJ, mas desta vez em Cracóvia, na Polônia, entre os dias 26 a 31 de julho de 2016.
Com vagas limitadas, as inscrições para o grupo oficial da Arquidiocese do Rio que participará da JMJ Panamá estão sendo realizadas pelo telefone (21) 2460-1581 (Fátima Nascimento) ou pelo e-mail grupos@milessisturismo.com.br.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5982/arquidiocese-do-rio-abre-inscricoes-para-comitiva-oficial-da-jmj-panama-2019

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos

No dia 6 de agosto, Festa da Solenidade da Transfiguração do Senhor, a Igreja motiva os fiéis a se unirem ao Dia Internacional de Oração pelos Cristãos Perseguidos.
Serão muitas as iniciativas das comunidades pelo Brasil. No Rio de Janeiro, o Cardeal Orani João Tempesta celebrará missa, às 17h, no Cristo Redentor, com a presença de representantes das Igrejas Orientais.
O presidente da Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) no Brasil, frei Hans Stapel, com o apoio da CNBB, escreveu uma carta aos párocos do país pedindo comunhão à causa. Os fiéis podem se unir à intenção de várias formas; às paróquias é sugerido colocar a intenção na oração dos fiéis; aos grupos, pastorais e famílias, a sugestão é rezar o Terço de Nossa Senhora, um momento de adoração ou mesmo a oração pessoal, nas intenções de toda pessoa que sofre por viver sua fé.
De acordo com estatísticas do Center for Study of Global Christianity, em 2016, um cristão foi morto a cada seis minutos, simplesmente por professar a sua fé. O Oriente Médio e o norte da África continuam como regiões onde a perseguição é mais cruel.
Para aprofundar essa realidade, a ACN publica a cada dois anos o Relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo. A 13ª edição do documento, com dados de junho de 2014 a junho de 2016, mostra a situação e a vivência do direito à expressão da fé particular em 196 países, inclusive o Brasil.
Em março deste ano, no vídeo com suas intenções de oração mensal, o Papa Francisco lembrou a realidade dos que são perseguidos por sua fé, e questionou: “quantos de vocês rezam pelos cristãos que são perseguidos?”
O pontífice motivou os fiéis: “Animem-se a fazer isso comigo, para que experimentem o apoio de todas as Igrejas e comunidades, por meio da oração e da ajuda material”.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5976/dia-de-oracao-pelos-cristaos-perseguidos


terça-feira, 25 de julho de 2017

A ‘controvérsia’ sobre os irmãos de Jesus

“Mais controverso é o episódio do Evangelho de Mateus que alude aos ‘irmãos de Jesus’. No fim do século IV, São Jerônimo, autor da “Vulgata” – a tradução latina das Escrituras que por séculos foi a única autorizada pela Igreja Católica – , cravou a ideia de que a palavra grega seria vaga e, assim, poderia designar ‘primos’. Não, esclarece Lourenço na introdução, adelphoi significa apenas ‘irmãos’. O tema é especialmente delicado para a devoção católica a Virgem Maria: se Jesus tinha irmãos, sua mãe obviamente não se manteve sempre virgem.” (texto da revista “Veja”)
De tempos em tempos, alguém fica intrigado com a afirmação contida nos evangelhos sobre “os irmãos e as irmãs” de Jesus. Estes são citados em dois episódios particulares: a família de Jesus em Mt 12,46-50, cujos paralelos se encontram em Mc 3,31-35; Lc 8,19-21 (Jo 7,3), e a visita de Jesus a Nazaré em Mt 13,53-58, cujos paralelos se encontram em Mc 6,1-6a; Lc 4,16-30.
Um olhar atento para o uso e o significado do termo “irmão”, em grego ἀδελφός, que ocorre 38 vezes só no Evangelho Segundo Mateus, permite tecer diferentes considerações quanto ao tipo de vínculo ou de parentesco carnal ou espiritual. Vejamos alguns exemplos:
Mt 1,2 é a primeira ocorrência, e menciona que Jacó gerou Judá e seus irmãos (Ἰούδανκαὶτοὺςἀδελφοὺςαὐτοῦ). Ora, basta ver Gn 29,15–30,25 para se descobrir que os irmãos de Judá não foram todos filhos da mesma mãe, pois Jacó gerou filhos, tanto através de Lia (Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar, Zabulon e Dina) como de sua escrava Zelfa (Gad e Aser), e através de Raquel (José e Benjamim) e de sua escrava Bala (Dã, Neftali). Não obstante isso, o evangelista usou o mesmo termo grego “irmãos” (ἀδελφοὺς). São todos filhos do mesmo pai Jacó (cf. Gn 42,13), todos são irmãos de Judá, mas não são todos filhos das mesmas mães.