terça-feira, 20 de junho de 2017

Exposição Eucarística no Santuário da Divina Misericórdia

 Na manhã desta quinta-feira (15/06) quando celebramos a Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus, os crismandos da Iniciação Cristã de Jovens após a Santa Missa e a Procissão com o Santíssimo Sacramento fizeram uma Exposição Eucarística à comunidade de fiéis.
A Exposição Eucarística ocorreu no salão paroquial, sendo formada por 10 grupos com diferentes temas sobre a Eucaristia, como por exemplo a Última Ceia, a Solenidade de Corpus Christi, A Santa Missa e suas partes, os Milagres Eucarísticos, os Santos com particular devoção a Eucaristia, assim como movimentos da Igreja que difundem a fé na Eucaristia como o Movimento Eucarístico Jovem (MEJ). Os jovens começaram a se preparar com 1 mês de antecedência, estudando e pesquisando, além de vivenciarem aos domingos a Eucaristia na Santa Missa.
Foi uma manhã de muita partilha, oração e amor à Jesus Eucarístico. Esperamos que cada vez mais o Espírito Santo incendeie nossos corações com um profundo amor à Eucaristia, fonte e ápice da vida cristã.
“A exposição eucarística foi um experiência única que me fez aprender mais e conhecer coisas novas, fez com que eu me interessasse ainda mais sobre alguns assuntos que eu não conhecia muito bem. Foi muito bom poder compartilhar isso com toda a comunidade e com os meus amigos da crisma, é um tipo de atividade que você aprende mais se divertindo. Já quero a próxima” – Isabella Jame, crismanda.
“A exposição eucarística foi uma ótima experiência para mim como catequista, mas acredito que principalmente para os crismandos. Tive a oportunidade de conversar com vários deles e pude ouvir o testemunho que a partir do trabalho eles aumentaram a fé e o entendimento deles sobre a eucaristia. Então sinto que como catequista fiz meu papel, de ajudá-los a enxergar Cristo naquilo que professamos como nossa fé, e eles, a partir dessa exposição, viverão com mais intensidade a santa comunhão” – Bruna Manhães, catequista.

Exposição Eucarística no Santuário da Divina Misericórdia

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Novo formato de catequese busca preparar namorados para a vida matrimonial


Em Florianópolis (SC) e no estado, o arcebispo e membro da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Wilson Tadeu Jönck, juntamente com assessores da Comissão Nacional da Pastoral Familiar, estão implementando uma nova uma metodologia de catequese pré-matrimonial, tendo formado cerca de 300 agentes, em Palhoça e Camboriú.
“Estamos investindo para que a formação não seja feita apenas em cursos, mas no acolhimento e preparação dos noivos para a vida matrimonial, em períodos mais próximos ao casamento. A gente espera muito desta iniciativa”, disse dom Wilson.
Trata-se de uma experiência já vivenciada pelo casal Karina e André Parreira, da Pastoral Familiar, na diocese de São João del-Rei (MG). No processo vivenciado por eles, a preparação dos noivos para a vida matrimonial é feita na forma de acolhimento em 11 encontros, seis meses antes do casamento.
Dois agentes de pastoral recebem, em seu lar, até quatro casais de noivos ou namorados, com quem realizam os aprofundamentos com enfoque nas orientações e na doutrina da Igreja. “Trata-se de uma forma comprovada de catequese pré-matrimonial com formação sólida em pequenos grupos”, disseram os assessores.
Amoris Laetitia
Esta experiência está traduzindo o que o papa Francisco pede em sua exortação Amoris Laetitia: a iniciação ao sacramento do Matrimônio, com momentos personalizados e não apenas palestras. “Trata-se duma espécie de ‘iniciação’ ao sacramento do matrimônio, que lhes forneça os elementos necessários para poderem recebê-lo com as melhores disposições e iniciar com uma certa solidez a vida familiar”, diz a exortação.
Segundo o casal Parreira: “os encontros frequentes dos agentes com os noivos, em um clima de oração, diálogo e amizade, dão tempo para eles absorverem os ensinamentos da Igreja e criam vínculos com os agentes e com a própria paróquia”.
Fonte: http://cnbb.net.br/novo-formato-de-catequese-pre-matrimonial-busca-preparar-casais-de-namorados-para-a-vida-conjugal/

Site do Vaticano promove a participação dos jovens em Sínodo

A CNBB recebeu correspondência assinada pelo Cardeal  Lorenzo Baldisseri, ex Núncio Apostólico no Brasil e atual secretário geral do Sínodo dos Bispos informando sobre o lançamento nesta quarta-feira, 14 de junho, de um siwebsite (http://youth.synod2018.va) destinado à preparação da 15ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo com o tema: “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.
Dom Baldisseri diz, na carta, que esta plataforma na internet deve promover uma ampla participação de todos os jovens. Com o website, os jovens receberão informações e vão poder também interagir no caminho da preparação para o Sínodo. “Isto será possível, entre outras modalidades, através de um outro questionário online que se encontrará no site”, esclarece. As respostas deste último questionário que será disponibilizado na internet serão consideradas pela consulta que a Secretaria Geral do Sínodo está fazendo em toda a Igreja, no mundo inteiro.
O secretário geral do Sínodo pede ainda que as conferências espiscopais criem espaços de partilha de todas as iniciativas dos jovens em vista de preparação do Sínodo em nível paroquial, diocesano e nacional. Ele garante que os responsáveis pelo novo site estarão atentos a essas partilhas e deverão cuidar de leva-las ao conhecimento de outros jovens em outras partes do mundo. Nesta partilha, diz o secretário, podem ser enviados documentos, notícias, artigos, vídeos e fotos.
Fonte: http://cnbb.net.br/sinodo-dos-bispos-cria-site-para-promover-a-participacao-dos-jovens/

terça-feira, 13 de junho de 2017

CNBB estimula Jornada de Oração pelo Brasil por ocasião da Festa do Corpus Christi

O Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) após refletir sobre a realidade do Brasil em sua última reunião, dias 30 e 31 de maio, está convidado a todos para um momento de oração pelo Brasil, a ser realizada em todas as comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país, no dia 15 de junho, data em que a Igreja celebra o Corpus Christi.
Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos prestem esse serviço ao país, num momento de tantas incertezas, corrupção e injustiças, numa data tão simbólica em que a Igreja celebra a presença singela, próxima, alimentadora e esperançada de Jesus na Eucaristia.
Um dos trechos da oração, encaminhada a todos os bispos do país pelo Consep,  pede: “Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana”.
Veja a íntegra da oração:
JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL
 Dia de “Corpus Christi”15 de junho de 2017
 A verdadeira paz começa no seu coração
Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, para que dê a paz ao Brasil e ao mundo inteiro. “Reconhecemos a necessidade de rezar constantemente pela paz, porque a oração protege o mundo e o ilumina. A paz é o nome de Deus”(Papa Francisco)
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar, para nos ajudar a construir a justiça e a paz, em nosso país.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejam atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos!
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos artesãos da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vosso filho Jesus está no meio de nós, no Santíssimo Sacramento, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas. Seguindo o exemplo de Maria, queremos permanecer unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo. Amém!
(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)
Fonte: http://cnbb.net.br/cnbb-estimula-uma-jornada-de-oracao-pelo-brasil-por-ocasiao-do-proximo-corpus-christi/

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Papa Exorta Jovens a Mudar o Mundo

PAPA EXORTA JOVENS A MUDAR O MUNDO
O mundo pode mudar se abrirmos o coração aos outros, jamais responder ao mal com o mal. Foi a exortação do Papa aos cerca de seis mil jovens da experiência educacional cristã “Graal” e “Os Cavaleiros”, recebidos por Francisco na Sala Paulo VI, no Vaticano.
Falando espontaneamente, ou seja, sem texto, e respondendo às perguntas de três jovens, o Pontífice ressaltou que não há respostas diante do sofrimento das crianças, mas que somente se pode olhar para o Crucifixo e rezar.
Milhares de jovens acolheram com afeto e entusiasmo o Santo Padre na Sala Paulo VI, cujo encontro foi vivido em clima de grande festa. Com a naturalidade que lhe é própria, Francisco dialogou com os jovens, respondendo em particular às perguntas de três deles.
Dirigindo-se à jovem Marta que lhe confiara seu receio de passar para o ensino médio, Francisco ressaltou que a vida é “um contínuo bom-dia e até a próxima”. Afirmou também que se não se aprende a despedir-se bem, jamais aprenderá a encontrar novas pessoas.
Não se pode acomodar-se no sofá, retomou, por ter medo de mudar, correndo o risco de fechar o horizonte da vida. Daí a exortação a vencer o medo de crescer e de mudar e a aceitar o desafio de alargar o horizonte, de fazer o caminho com novas pessoas.
Para mudar o mundo é preciso abrir o coração aos outros e não responder ao mal com o mal. Assim o Papa respondeu à pergunta de Giulia sobre como poder mudar o mundo. Em primeiro lugar, disse o Santo Padre, é preciso ter consciência de que ninguém possui a “varinha mágica” para mudar o mundo. Em seguida, evidenciou o coração como o motor de uma autêntica mudança:
“O mundo muda abrindo o coração, ouvindo os outros, recebendo os outros, partilhando as coisas. E vocês podem fazer o mesmo. Se você tem um companheiro, um amigo, uma amiga, um colega de escola, uma colega de escola de quem você não gosta, que é um pouco antipática. Se você vai fofocar sobre aquela pessoa, porque esta é assim e assim. Se, ao invés, você releva – ‘Não gosto, mas não digo nada’ –, como é aquela pessoa? Brava. Entenderam! Mudar o mundo com as pequenas coisas de todos os dias, com a generosidade, com a partilha, criando essas atitudes de irmandade.”
Em seguida, o Santo Padre pediu aos jovens que jamais respondam ao mal com o mal, e que não respondam nem mesmo aos insultos. Jesus, recordou Francisco, nos pede que rezemos por todos, inclusive pelos nossos inimigos. Desse modo, rezando por todos, retomou, “se pode mudar o mundo”.
Em seguida, foi a vez de Tanio, jovem búlgaro adotado, que contou sua comovente história de sofrimento perguntando a Francisco como se pode acreditar no Senhor diante da dor que atinge as crianças.
O Papa disse que não é possível encontrar explicações racionais para o sofrimento de uma criança. Dirigindo-se a Tanio disse que é possível encontrar alguma explicação “no amor daqueles que lhe querem bem e lhe apoiam”:
“Sinceramente, lhe digo, e você entenderá bem isso: quando na oração faço a pergunta ‘por que as crianças sofrem?’, habitualmente faço essa pergunta quando vou aos hospitais das crianças e depois saio – e lhe digo a verdade – com o coração, não diria destruído, mas muito compadecido, o Senhor não me responde. Apenas olho para o Crucifixo. Se Deus permitiu que Seu Filho sofresse assim por nós, deve haver algo ali que tenha um sentido. Mas, querido Tanio, não posso explicar-lhe o sentido. Você o encontrará: mais adiante na vida ou na outra vida. Mas explicações, como se explica um teorema matemático ou uma questão histórica, não lhe posso dar nem eu nem ninguém.”
“Não posso lhe explicar isso”, retomou o Papa com sinceridade. E concluiu agradecendo a Tanio pela pergunta porque, observou, “é importante que vocês, rapazes e moças”, comecem “a entender essas coisas, porque isso os ajudará a crescer bem e a seguir adiante”.

Fonte: Rádio Vaticano

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Retiro para crismandos na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro

Aconteceu no último sábado, 27, o encontro de preparação dos jovens que receberão o sacramento do Crisma no domingo de Pentecostes, as 10h, na Catedral Metropolitana de nossa arquidiocese.
Estiveram presentes 101 jovens e adultos com seus respectivos padrinhos, que após serem preparados em suas comunidades,  receberão o sacramento reunidos com representantes de vários vicariatos.
Destacamos o momento de Adoração ao Santíssimo Sacramento, conduzido pelo Pe. Vicente, capelão da Mitra, que fez uma bela reflexão sobre o valor da vida e do quão importante é defendê-la, assim como a necessidade de conversão diária e de adesão a Jesus. Suas palavras ecoaram durante todo o decorrer do encontro.

A equipe do segmento de Jovens e Adultos agradece a acolhida do Pe. Cláudio, muito gentil e carinhoso, fechando nosso encontro com palavras dedicadas aos padrinhos e nos abençoando, agradecemos também aos catequistas e jovens que colaboraram, muito generosamente, com doações para as obras assistenciais da nossa Catedral.

Veja algumas fotos:





quinta-feira, 25 de maio de 2017

Convivência da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos reúne 150 jovens e adultos em Anchieta

No último domingo, dia 21, aconteceu o primeiro encontro de convivência da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos da 1ª Forania do Vicariato Suburbano. O evento, realizado na Paróquia de Nossa Senhora das Dores e São Judas Tadeu de Anchieta, reuniu 150 jovens e adultos catequizandos de seis paróquias da região.
O tema do encontro foi “Família: experiência de comunhão”, e o lema foi inspirado em recente homilia do Santo Padre, o Papa Francisco:“cuidar uns dos outros”. E, para nortear as reflexões do dia, foi escolhida uma passagem do Evangelho de São Mateus (Mt 7, 24-28).
Foi um domingo típico do Senhor: alegre, reluzente e com muita explosão de entusiasmo, tanto dos participantes quanto da equipe organizadora. E vale destacar a participação dos catequistas e coordenadores paroquiais da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos, imprescindível para a realização do evento.
A convivência foi repleta de atividades de formação e espiritualidade: das 8 às 17h aconteceram palestras, oficinas, refeições partilhadas, plenário e a conclusão com a missa celebrada pelo vigário forâneo, Padre Gilmar que, junto com o pároco anfitrião, Padre Daniel, acompanhou e apoiou o evento desde o princípio.
“Concluo afirmando que estou muito feliz com o acolhimento e a participação de todos os meus irmãos catequistas, principalmente as lideranças, que acolheram o projeto e o colocaram em prática. Lutaremos para continuar firmes e animados, para que outros eventos aconteçam, porque este é o nosso objetivo, interagir e integrar as nossas comunidades, para caminharmos em só direção dentro do processo catecumenal de iniciação cristã de jovens e adultos de nossa Arquidiocese”, afirmou o catequista Hans, coordenador forâneo e um dos organizadores do evento.  Que venham os próximos!


 






sexta-feira, 19 de maio de 2017

Pastoral promoverá vigília pelos mortos de Aids

A epidemia da Aids é uma realidade desde a década de 1980. Muitas pessoas, organizações e setores da sociedade empenham esforços, há anos, com a finalidade de contribuir na lutar contra a epidemia. Para dar visibilidade a essa causa, a Pastoral DST/Aids da Arquidiocese do Rio de Janeiro promoverá, no próximo  domingo, 21 de maio, na Paróquia Cristo Redentor, em Laranjeiras, às 18h00, a Vigília pelos mortos de Aids, com o tema “Tantas vidas não podem se perder”. 
A vigília pelos mortos de Aids é um movimento internacional que, desde 1983, faz memória das pessoas falecidas com HIV e se envolve no enfrentamento da epidemia. Anualmente, o evento é realizado no terceiro domingo de maio, sob a liderança de organizações sociais e religiosas de centenas de países. Este ano deseja-se mobilizar comunidades de todo o mundo para apoiar o futuro das pessoas que vivem com HIV.
Para  o coordenador arquidiocesano da Pastoral DST/AIDS, diácono Bernardo Rangel Tura, a vigília é uma oportunidade de fazer memória das vítimas da doença e manifestar a solidariedade da Igreja com os doentes e suas famílias, reforçando a luta contra o preconceito e a discriminação e garantir acesso ao diagnóstico precoce e tratamento da doença:
"Fazer memória e rezar pelas pessoas que fizeram parte de nossa história e faleceram com Aids manifesta solidariedade às famílias que perderam seus entes busca transformar essa memória em esperança e fortalece o compromisso de vencer a epidemia. Cuidar do presente significa defender os direitos das pessoas com HIV, lutar contra o preconceito e a discriminação, garantir acesso ao diagnóstico e ao tratamento, incentivar o diagnóstico precoce para o HIV", afirmou. 
Segundo relatório divulgado pelo Ministério da Saúde em novembro de 2016, mais de 827 mil pessoas vivem com HIV/Aids no Brasil e, a cada ano, 41,1 mil casos novos da doença são detectados.
A Pastoral da Aids é um serviço ligado à Igreja Católica que busca promover a vida saudável, incentivar o cuidado de si e dos outros, evangelizar, humanizar relações e superar preconceitos, discriminação e exclusão. Informações sobre o trabalho da pastoral e de como ajudar, poderão ser obtidas diretamente com o coordenadora arquidiocesano da pastoral, diácono Bernardo Rangel, pelo telefone: (21) 98799-3380. (SP-Arq. Rio)
Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/05/19/rio_pastoral_dst_aids_promover%C3%A1_vig%C3%ADlia_pelos_mortos__aids/1313304

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Romaria da Juventude deixa o convite para sermos missionários



A Romaria Nacional da Juventude se encerrou neste domingo, mas deixou o desejo nos jovens de ao voltarem para casa serem “sal na terra e luz no mundo”. Em sua homilia, durante a missa de envio, o presidente da Comissão Episcopal para a Juventude, Dom Vilson Basso, lançou a juventude o desafio de serem corajosos e criativos.
Em suas palavras, o bispo de Imperatriz (MA) destacou que é preciso que sejamos protagonistas na sociedade, em nome da esperança. Ele acrescentou que essa é a hora e a vez da juventude. “Queremos levar a missão, a formação, escutar aos jovens e pedir ao espirito de Deus por onde caminhar na evangelização da juventude de nosso país”.
Juventude Missionária
Ao longo do ano, diversas atividades devem instigar os jovens a terem um coração missionário. Dom Vilson anunciou que de 22 a 29 de julho a juventude de todo país é convidada a viver uma experiência missionária nas dioceses banhadas pelo rio Paraíba do Sul, em preparação ao encerramento do projeto Rota 300.
Outra atividade para este ano é o 2º Encontro de Revitalização da Pastoral Juvenil que traçará diretrizes para os trabalhos da Comissão. Por último, a Missão Jovem na Amazônia, que este ano acontece em Caxias do Maranhã, reunindo jovens de todas as partes do país para levarem a Boa Nova a região.]
Fonte: http://www.a12.com/jovens-de-maria/noticias/detalhes/romaria-da-juventude-deixa-o-convite-para-sermos-missionarios

terça-feira, 2 de maio de 2017

Manhã de Formação anima catequistas de Jovens e Adultos do Vicariato Suburbano

  No último sábado, dia 29 de abril, aconteceu a Manhã de Formação para Catequistas de Jovens e Adultos da Iniciação Cristã do Vicariato Suburbano. O evento, acolhido pela Paróquia São Tiago de Inhaúma, reuniu mais de 50 catequistas, vindos de diferentes paróquias e capelas, todos motivados pelo propósito comum de evangelizar e formar os jovens e adultos que buscam iniciar uma vida cristã.

  Com a participação e colaboração dos seminaristas Renato e Rafael, do Seminário Arquidiocesano São José, os participantes tiveram a oportunidade de, em um clima alegre e fraterno, aprofundar seus conhecimentos e tirar dúvidas sobre o processo catecumenal de iniciação à vida cristã, além de refletir também sobre a vocação de catequista. O seminarista Renato destacou a sintonia do evento com a 55ª Assembleia Geral dos bispos da CNBB, que vai até o dia 4 de maio em Aparecida e tem como tema principal a Iniciação à Vida Cristã. Ao final do evento, os catequistas realizaram atividade em grupos, onde tiveram a oportunidade de trocar experiências e discutir questões relacionadas aos desafios da evangelização e catequese de jovens e adultos em um cenário de mudança de época.

  Aproveitamos para agradecer o apoio da equipe da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos da Paróquias São Brás e São Tiago de Inhaúma na recepção, infraestrutura e na animação, e a generosidade do Pároco, Padre Alexandro Tarquino, em abrir as portas da Paróquia para os catequistas de jovens e adultos do Vicariato Suburbano.

Veja algumas fotos:

segunda-feira, 17 de abril de 2017

“… Homem e mulher os criou…”



No nosso último texto, entendemos porque devemos retornar ao “princípio”. Os fariseus ao interrogarem Jesus a respeito da unidade e indissolubilidade do matrimônio (Mt 19) vão até Moisés para justificar suas atitudes. Cristo, porém, vai além e os reconduz ao princípio no plano da criação narrado no livro do Gênesis. Cristo mostra que o próprio profeta apenas permitiu a carta de divórcio por causa da dureza dos corações, mas, continua Ele, no “princípio” não era assim. Os fariseus parecem convictos ao afirmarem seus fundamentos, mas Cristo vai às origens, e não permite que a discussão fique apenas no âmbito legalista. Mais uma vez Ele apela para que o coração endurecido do homem seja transformado.
No diálogo com os fariseus, Jesus menciona duas passagens do livro do Gênesis. O primeiro questionamento é: “Não lestes que desde o princípio o Criador os fez homem e mulher? ”. Este tema é tratado em Gn 1,1 – 2,4, que relata a criação em sete dias. Esta narração, denominada de eloísta, porque provém da nominação de Deus como Eloim, apresenta estrutura teológica com fortes implicações metafísicas e éticas. O traço teológico é percebido ao não se comparar o homem com qualquer outra criatura, mas apenas com Deus: “Deus criou o homem a sua imagem, à imagem de Deus ele o criou”. O relacionamento da criatura com o criador é privilégio do homem, e só dele. Logo, o homem não pode ser reduzido ao “mundo”, às outras obras da criação, tanto que o próprio Deus ordena que subjugue e domine sobre a terra. E, ainda vai além, depois de os abençoar, dizendo que sejam fecundos e se multipliquem. Assim, este primeiro texto é direto e objetivo ao tratar da criação do homem e da mulher, e da unívoca relação entre eles.
No mesmo diálogo com os fariseus, Jesus faz menção à segunda passagem do Gênesis: “Então, o homem deixará pai e mãe, se unirá a sua mulher, e os dois serão uma só carne”. Ela corresponde a Gn 2, 4 – 25. Este texto é conhecido como javista, pois refere-se ao tratamento de Deus com Javé (Iahweh), cujas características antropomórficas são marcantes, como por exemplo “plasmou” o homem, “insuflou” em suas narinas. Essa narração apresenta característica subjetiva, psicológica, pois o homem chega à autoconsciência ao conhecer o mundo, e ao autoconhecimento quando se descobre como pessoa. O texto javista traz os ensinamentos da nudez original (“…estavam nus…), da inocência original (“… e não se envergonhavam…”) até chegar à arvore do conhecimento do bem e do mal, que leva o homem ao pecado original, ao seu estado de pecaminosidade.
Mergulhando na realidade da criação, Deus nos mostra a beleza da complementariedade do homem e da mulher. Ao afirmar que os dois serão uma só carne, Jesus mostra a grandeza e a profundidade desta união indicando como caminho único possível para que ela reflita a imagem e semelhança de Deus. O homem foi criado para a mulher, e a mulher foi criada para o homem. Tanto que, no texto javista, ao declarar que “não é bom que o homem esteja só”, Deus cria a mulher para ser a companheira do homem. Deus não cria um objeto, um animal ou mesmo outro homem, mas cria a mulher (“carne da minha carne, ossos dos meus ossos”) para ser a complementação ideal para o homem.
Homens e mulheres não são simplesmente diferentes, mas distintos. A diferença pode levar até mesmo à contradição, mas a distinção leva à complementariedade. E é exatamente desse caráter complementar – que envolve a pessoa por inteiro, corpo e alma – que vem a beleza do dom recíproco de si, capaz de procriar, de gerar nova vida.
Assim, Cristo reafirma seu convite para que o homem possa voltar e viver a sua inocência original, mesmo que a tenha perdido, assinalando que o caminho começa pelo coração puro do princípio.
(Texto: Tatiana e Ronaldo de Melo)
Fonte: https://teologiadocorpoarqrio.wordpress.com/2017/04/12/homem-e-mulher-os-criou/

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Formação de Líderes Jovens


“Que ninguém despreze tua jovem idade. Quanto a ti, sê para os fiéis modelo na palavra, na conduta, na caridade, na fé, na pureza” (I Timóteo, capítulo 4, 12)
Jovem, qual é o seu chamado? Qual o seu papel dentro da Igreja?  Como Deus chamou o jovem Timóteo, Ele também nos chama, não temos como aceitar o chamado sem mudar de vida. Lembre-se: Deus nos chama e quer nossa entrega por completo.
Inspirada pela carta escrita por São Paulo ao jovem Timóteo, a Formação de Líderes Jovens apresentará o exemplo de um jovem chamado a evangelizar pelo mundo comentando as orientações dadas por São Paulo a Timóteo. Convidamos você a participar desse encontro e aprofundar mais sobre a Igreja Católica, a entender o protagonismo da juventude a importância da entrega pessoal a Deus,  da Palavra e do estudo da fé cristã, além de conhecer o programa da Teologia do Corpo.
O encontro ocorrerá no dia 7 de maio de 2017 (domingo) na paróquia São João Batista em Botafogo (Rua Voluntários da Pátria, 287). O encontro terá inicio às 9h e encerrará com a missa às 18h.
Não fique de fora! Garanta a sua vaga, clique aqui e faça a sua inscrição.

Fonte: https://teologiadocorpoarqrio.wordpress.com/2017/04/09/vem-ai-formacao-de-lideres-jovens/

Oração Oficial da JMJ Panamá 2019


sexta-feira, 7 de abril de 2017

Jornada Diocesana da Juventude: “O Todo-Poderoso fez em Mim maravilhas”

No Domingo de Ramos, além da abertura da Semana Santa e do encerramento da Campanha da Fraternidade com a Coleta Nacional da Solidariedade, nós comemoramos também a Jornada Mundial da Juventude anual em âmbito (arqui)diocesano, e que, por isso, leva o nome de Jornada Diocesana da Juventude. O Papa, a cada ano nos envia o tema para ser aprofundado nesse domingo. A cada três anos (aproximadamente) ocorrem as Jornadas Mundiais da Juventude (em âmbito internacional).
Eis alguns elementos presentes na mensagem do Papa Francisco aos jovens por ocasião desta XXXII Jornada Mundial (Diocesana) da Juventude. O Santo Padre começa sua mensagem fazendo uma lembrança do encerramento da XXXI Jornada Mundial da Juventude ocorrida em Cracóvia, na Polônia, e onde foi anunciado que o próximo país a acolher a JMJ será o Panamá, em 2019.
No Panamá, o tema central será a respeito da Virgem Maria. Nessa bela caminhada, vai nos acompanhar a Virgem Maria, Aquela que todas as gerações chamam Bem-Aventurada (cf. Lc 1,48). O Papa pediu aos jovens: “sempre vivas na jovem Mulher de Nazaré, aparecem claramente expressas nos temas escolhidos para as próximas três JMJ. Neste ano (2017), refletiremos sobre a fé de Maria, quando disse no Magnificat: “O Todo-Poderoso fez em Mim maravilhas” (Lc 1, 49). O tema do próximo ano (2018) – “Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus” (Lc 1, 30) – far-nos-á meditar sobre a caridade, cheia de coragem, com que a Virgem acolheu o anúncio do anjo. A JMJ de 2019 inspirar-se-á nas palavras “Eis a serva do Senhor, faça-se em Mim segundo a tua palavra” (Lc 1, 38), a resposta de Maria ao anjo, cheia de esperança” (Retirado do site:http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/youth/documents/papa-francesco_20170227_messaggio-giovani_2017.html. Último acesso em: 01/04/2017).
A presente mensagem do Papa, “O Todo-poderoso fez em Mim maravilhas” (Lc 1, 49), traz presente alguns subtítulos: 1- O nosso tempo não precisa de “jovens-sofá”, 2- O Todo-poderoso fez em Mim maravilhas, 3- Ser jovem não significa estar desconectado do passado, 4- Como permanecer conectado, seguindo o exemplo de Maria, 5- Fidelidade criativa para construir tempos novos.
1- O nosso tempo não precisa de “jovens-sofá”
O Papa aqui reflete o Evangelho de Lucas, quando Maria, depois de ter acolhido o anúncio do anjo respondendo “sim” à vocação de Se tornar mãe do Salvador, levanta-Se e vai, apressadamente, visitar a prima Isabel, que está no sexto mês de gravidez (cf. 1, 36.39). Maria é o exemplo para todos os jovens, pois ela, enquanto jovem, vai até a casa de sua prima e se coloca à disposição para ajudá-la, ou seja, Maria não é acomodada. “Maria não é daquelas pessoas que, para estar bem, precisam dum bom sofá onde ficar cômodas e seguras. Não é uma jovem-sofá! (Cf.Discurso na Vigília, Cracóvia, 30/VII/2016). Vendo que servia uma mão à sua prima idosa, Ela não perde tempo e põe-Se imediatamente a caminho”. (Retirado do site:http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/youth/documents/papa-francesco_20170227_messaggio-giovani_2017.html. Último acesso em: 01/04/2017).
2- O Todo-Poderoso fez em Mim maravilhas
Aqui vemos a atitude de Maria no Cântico do Magnificat (Lc 1,46-55). “O cântico duma jovem cheia de fé, consciente dos seus limites, mas confiante na misericórdia divina. Esta mulher corajosa dá graças a Deus, porque olhou para a sua pequenez e também pela obra de salvação que realizou no povo, nos pobres e nos humildes. A fé é o coração de toda a história de Maria. O seu cântico ajuda-nos a compreender a misericórdia do Senhor como motor da história, tanto a história pessoal de cada um de nós como a da humanidade inteira”. (Retirado do site:http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/youth/documents/papa-francesco_20170227_messaggio-giovani_2017.html. Último acesso em: 01/04/2017).
3- Ser jovem não significa estar desconectado do passado
Fazer memória do passado é útil também para acolher as intervenções inéditas que Deus quer realizar em nós e através de nós. E ajuda a abrir-nos para sermos escolhidos como seus instrumentos, colaboradores dos seus projetos salvíficos. Também vós, jovens, podereis fazer maravilhas, assumir responsabilidades enormes, se reconhecerdes a ação misericordiosa e omnipotente de Deus na vossa vida”. (Retirado do site:http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/youth/documents/papa-francesco_20170227_messaggio-giovani_2017.html. Último acesso em: 01/04/2017).
4-  Como permanecer conectado, seguindo o exemplo de Maria
O exemplo de Maria une bem ação e oração. Por isso, devemos olhar para ela e ver o exemplo de cristã. Mulher que rezou na vida, em vida e com a vida. Este deve ser o exemplo para todos os jovens.
5- Fidelidade criativa para construir tempos novos
O Papa pediu aos jovens para não se perderem na cultura imediatista que temos. “Não vos deixeis enganar! Deus veio ampliar os horizontes da nossa vida, em todas as direções. Ele ajuda-nos a dar o devido valor ao passado, para melhor projetar um futuro de felicidade: mas isto só é possível, se se viverem experiências autênticas de amor, que se concretizam na descoberta da vocação do Senhor e na adesão a ela. E isto é a única coisa que nos torna verdadeiramente felizes”. (Retirado do site:http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/youth/documents/papa-francesco_20170227_messaggio-giovani_2017.html. Último acesso em: 01/04/2017).
Aqui na cidade do Rio de Janeiro, a Jornada Arquidiocesana da Juventude acontecerá no sábado, como de praxe, neste ano, dia 8 de abril, e terá como tema aquele que o Papa escolheu: “O Poderoso fez para mim coisas grandiosas” (Lc 1, 49). Este tema para recordar que neste ano no Brasil, de modo muito especial, estamos celebrando os 300 anos do encontro da imagem da “Mãe Aparecida” nas águas do Rio Paraíba. A concentração será às 13h30min na entrada da Catedral, na Av. Chile, no Centro da cidade, onde o cônego Cláudio dos Santos, que é pároco, acolherá os jovens. A bênção dos ramos será dada no início do evento. Em seguida, os jovens seguirão em procissão pelas ruas do Centro até a Igreja da Candelária, onde irei presidir a Santa Missa. Haverá, também, animação e pregações.
Dirijo um convite muito especial a todas as expressões jovens de nossa Arquidiocese e a todos os jovens que nesta cidade caminham, para participar desse momento, com um belo testemunho pelas ruas centrais da cidade, dirigindo-se à casa de Maria, Candelária, para celebrarmos a Missa por ocasião da XXXII Jornada da Juventude, agradecendo ao Senhor pelas maravilhas que faz na vida de nossa juventude e nos dispondo a continuar sendo sinais de Cristo no mundo de hoje.
Que abramos nossos corações e vida a Cristo, sem medo! Peçamos a Maria que nos leve ao Seu Filho, Nosso Salvador. Que este dia seja repleto de graça e paz. Deus abençoe a todos!

Aurtor: Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

Fonte: http://arqrio.org/formacao/detalhes/1715/jornada-diocesana-da-juventude-o-todo-poderoso-fez-em-mim-maravilhas

terça-feira, 4 de abril de 2017

Intenções do Papa Francisco de Mês de Abril fala sobre os Jovens

Oremos: Pelos Jovens, para que saibam responder com generosidade à própria vocação, considerando seriamente também a possibilidade de se consagrarem ao Senhor no sacerdócio ou na vida consagrada.



Cruz peregrina da JMJ será entregue aos jovens do Panamá no Domingo de Ramos (09/04)

No Domingo de Ramos, no próximo 9 de abril, será celebrada a 32ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em nível diocesano. No Vaticano, 200 pessoas de várias dioceses do Panamá, de países da América Central e do México estarão reunidos para a entrega da Cruz Peregrina e do ícone de Nossa Senhora pelas mãos dos jovens poloneses de Cracóvia.
Como de tradição, a entrega acontece durante a Santa Missa presidida pelo Papa, às 10h, na Praça São Pedro. Em preparação ao domingo, os jovens poloneses e latino-americanos irão participar de um congresso durante a semana com o tema: “De Cracóvia ao Panamá. O Sínodo em Caminho com os jovens”. O evento, organizado pelo Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, começa nesta quarta-feira (5) para analisar os resultados da JMJ da Polônia e para refletir sobre o futuro dos jovens católicos na sociedade atual.
Para o sábado, 8 de abril, está previsto um encontro com o arcebispo do Panamá, José Domingo Ulloa Mendieta, que vai apresentar as principais características da JMJ de 2019, a organização do evento e os aspectos pastorais. A reunião da manhã será concluída com a celebração de uma missa, ao meio-dia. No final da tarde, os participantes se encontrarão na Basílica de Santa Maria Maggiore, em Roma, para a Vigília Mariana.
Durante a noite, tanto os jovens na Itália quanto os jovens no Panamá estarão reunidos em oração, em Vigília pela entrega da Cruz Peregrina e do ícone mariano da JMJ. Da América, às 3 horas da manhã de domingo, 9 de abril, eles estarão acompanhando ao vivo, direto do Vaticano, a entrega dos símbolos da Jornada que serão recebidos por 25 jovens do Panamá, um de cada país da América Central e um do México. (AC) 
Fonte: http://br.radiovaticana.va/news/2017/04/03/cruz_peregrina_da_jmj_ser%C3%A1_entregue_aos_jovens_do_panam%C3%A1_/1303242

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Formação: Catequese Quaresmal 4

Nesta quarta catequese, tendo como pano de fundo a juventude, é importante aprofundar sobre a Eucaristia e a importância que os jovens devem dar a este Sacramento. O sinal básico deste Sacramento é a comunhão de mesa: pão e vinho são repartidos, a palavra da última ceia de Jesus convida: “Tomai e comei, (...) bebei” (Mt 26,26s). A Eucaristia cristã, a “Ceia do Senhor” (1 Cor 11, 20), tem sua origem no cear em Israel, que une os participantes entre si e com Deus; na ceia de Jesus com os apóstolos, que eram sinais realizadores de Seu convite para o reino de Deus e de Sua pró-existência (sua existência a favor de outros); e de Sua nova vinda, que os discípulos fizeram “ao partir do pão” (Lc 24,35). Porém se transforma também no sacrifício de louvor, incruento, que se atualiza a cada celebração. Na Eucaristia celebramos o tríduo pascal!
Na última Ceia de Jesus, em face da morte iminente, se concentrou na experiência de Sua ressurreição e de Sua nova vinda, que os discípulos fizeram “ao partir do pão” (Lc 24,35). Desde a aliança do Sinai até a congregação da comunidade na experiência pascal, a Ceia sempre é sinal de aliança: a aliança de Deus com os homens se realiza quando homens se aliam entre si. No comer e beber em comum se recebe a vida, celebra-se a aliança que possibilita a vida.
No Novo Testamento, a comunhão de mesa é o ato de Jesus por várias vezes referido nos Evangelhos. Ele é entendido por amigos e inimigos. Para uns é um ato convidativo, para outros é motivo de escândalo e inimizade por causa dos comensais com os quais Jesus se envolve. Com a parábola do pai misericordioso (cf. Lc 15,11-32), Jesus justifica Sua comunhão de mesa com os pecadores, e com o convite para o banquete, com o qual termina a parábola, tenta convencer os justos a se alegrarem com o retorno do perdido. No relato da Última Ceia, por um lado é ceia de despedida: resumo da vida e, ao mesmo tempo, testamento comprometedor para os discípulos; por outro lado, ela aponta, como todas as comunhões de mesa de Jesus, para o futuro escatológico.
A iniciação cristã encontra seu ápice no Santíssimo Sacramento da Eucaristia. Com efeito, as ações litúrgicas da iniciação vão ordenadas a significar e produzir a união íntima do cristão com Cristo e com a Sua missão. A destinação para essa missão, que se recebe no Batismo, no qual o batizado fica marcado indelevelmente com o sinal de Cristo, reforça-se na plenitude do Espírito Santo, que nos é dada no Sacramento da Confirmação. Mas a Eucaristia, ao estabelecer a comunhão entre a pessoa do cristão e o seu Senhor, morto e ressuscitado, coloca-O diretamente no seio da vida divina. A Eucaristia não é só participação na graça, mas na própria fonte da graça.
A Eucaristia é sacrifical, sacramento da morte e da ressurreição, porque ela é o corpo de Cristo, “corpo entregue”, Ele se torna presente no instante da realização da salvação, corpo entregue e glorificado, a fim de que a Igreja se torne um só corpo com Ele na realização da salvação. A Eucaristia é o Sacramento da presença de Cristo, e é sacrifical em razão dessa presença. A Eucaristia é o sacramento do sacrifício de Cristo, por que, por ela, Cristo se doa à Igreja em Seu único sacrifício, em Sua morte e Sua ressurreição, nas quais foi eternizado. Ele se doa a ela, a fim de que ela celebre com Ele o único sacrifício. A Eucaristia é o corpo de Cristo no ato redentor, dado à Igreja para que se torne aquilo que ela recebe: o corpo de Cristo no ato redentor. Assim, salva em Cristo e com Ele, ela participa na salvação do mundo           .
Quanto aos jovens, vejo em nossas paróquias vários movimentos e pastorais juvenis que dedicam algum tempo para adoração ao Santíssimo Sacramento, ou ainda, quantos grupos de jovens que acontecem nos finais de semana têm o encontro e depois o ápice é a celebração da Santa Missa. Em minhas visitas, tenho notado uma maior participação dos jovens nas Santas Missas. A Igreja precisa sempre viver a máxima: “Jovem, evangeliza jovem”. Temos muitos grupos, movimentos, encontros em que a celebração Eucarística como centro de tudo, também se converge tanto para os trabalhos sociais como para tempos de conversão.
Por isso, o tempo de oração que fortalece o trabalho faz com que os jovens dediquem sempre um tempo para adorar o Senhor, pois precisamos de jovens adoradores. Nesse sentido, convido-os para fazerem parte dos adoradores do Santuário da Adoração Perpétua na nossa Igreja Matriz da Paróquia de Santana, no centro da cidade. Esses que adoram o Senhor são também os Jovens que vão levar ao mundo a Palavra do Senhor. E como temos precisado dessa Palavra num mundo em que a falta de Deus tem gerado o esfriamento na fé e obnubilado a razão de tantos! E, por isso, surgem várias coisas: a violência, o mundo das drogas, a prostituição, a criminalidade e tantos outros problemas.
Jovens, vocês podem ter um coração Eucarístico e levar ao mundo a semente da Palavra do Senhor, que é: a paz, o amor e a misericórdia através do testemunho de vida de cada um!

Aurtor: Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro

Fonte: http://arqrio.org/formacao/detalhes/1711/os-jovens-e-a-eucaristia-catequese-quaresmal-4