Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Novos membros integram o Setor Juventude



No dia 17 de dezembro foram escolhidos novos membros para integrar a coordenação do Setor Juventude da Arquidiocese do Rio de Janeiro da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Realizada no Edifício João Paulo II, na Glória, a reunião foi dirigida pelo assessor eclesiástico de setor, padre Renato Martins. São Eles: Márcio dos Anjos, da Congregação Mariana, Diogo Rocha, da Comunidade Shalom, e Juliana Fernandes, da Pastoral da Juventude.

De acordo com o padre Renato, a escolha objetiva fortalecer a coordenação do setor, que tem a função de reunir todos os segmentos juvenis atuantes na arquidiocese.

“A função do Setor Juventude na arquidiocese é congregar todas as expressões jovens, independente do movimento de que participam, respeitando a espiritualidade e identidade de cada um”, afirmou padre Renato.

Ele disse ainda que o trabalho com os jovens precisa ser cada vez mais articulado, em vista da Jornada Mundial da Juventude. Para 2012 já estão programados alguns eventos em âmbito arquidiocesano. Entre eles, o Folia com Cristo, no dia 5 de fevereiro, que vai acontecer na Avenida Presidente Vargas, no Centro. O outro é a Jornada Arquidiocesana da Juventude, no Domingo de Ramos.

“Fico feliz por seu escolhida como representante da juventude de nossa arquidiocese. Há uma gama imensa de carismas, que precisam ser integrados. O desafio é justamente proporcionar essa unidade. Temos muito que fazer. O ano de 2012 é dedicado à juventude e temos pela frente a organização de uma jornada e a visita do papa”, disse Juliana.

O trabalho dos jovens escolhidos será, entre as muitas atividades, organizar as vigílias da juventude, um pedido do arcebispo, que deve ser realizado mensalmente na Igreja de Sant’Ana, na intenção da JMJ.

“Nosso objetivo é articular a juventude nas paróquias e nos vicariatos, para que todos estejam animados para a JMJ e a visita do Papa Bento XVI à nossa cidade. A visita do Papa é uma grande motivação para que os jovens estejam mais inseridos na vida da Igreja”, frisou Márcio.

Testemunho de Fé

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Curso para Introdutores



            A Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhaúma realizou, no último dia 11/12 um curso para Introdutores. O evento foi ministrado por membros de Comissão Arquidiocesana, à convite do Pároco Márcio Sérgio Oliveira de Queiroz.

            As palestras proferidas por Irmã Lucia Imaculada, Maria Helena Sette Câmara e Joice Coopper trataram dos seguintes temas:

a) Iniciação Cristã e Pastoral de Conjunto
b) O Tempo do Pré-Catecumenato
c) O Papel do Introdutor

            Estiveram neste dia de formação cerca de 30 agentes de várias pastorais que refletiram a participaram de trabalhos em grupo sobre a importância da figura do introdutor no Processo Catecumenal, que vem sendo assumido gradativamente pela Iniciação Cristã de jovens e adultos desta paróquia.

Abaixo, algumas fotos deste dia:



quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

O Introdutor


Modelo em Lc 24,13-35



Jesus fez/faz...
v.15 Se aproxima e caminha junto
Introdutor faz...
- Procura usar linguagem acessível;
- Se interessa pela vida do outro, mas com respeito à sua privacidade;
- Procura não colocar barreiras se mostrando o mais sábio ou o mais santo;
- Procura perceber o nível de fé e de  conhecimento da pessoa, para não apresentar um anúncio evangelizador nem tão além ou tão aquém do que ela precisa receber.


Jesus fez/faz...
v.17-21 Ouve as suas expectativas e o que pensam a seu respeito
Introdutor faz...
- Usa o diálogo e não o discurso; evangeliza conversando e não, com palestra;
- Procura perceber qual a idéia de Deus que a pessoa possui; o que pensa ou já sabe sobre Jesus.
- Procura perceber os motivos que a levaram a se aproximar ou, a querer os Sacramentos.
- Procura perceber tudo isto conversando sobre os fatos da vida e não fazendo um interrogatório formal.


Jesus fez/faz...
v.24 Cada um precisa de sua experiência pessoal
Introdutor faz...
- Intercede para que o Espírito Santo dê à pessoa uma experiência pessoal da presença de Jesus em sua vida;
- Ensina a orar; incentiva a oração espontânea, convida para a oração comunitária, sobretudo para a Missa.
- Tem consciência de que esta experiência pessoal do encontro com Cristo que vive no meio de nós é fundamental para que ela continue firme na fé e queira seguir o Caminho.


Jesus fez/faz...
v.27 Usa as passagens da Escritura que se referem a Ele mesmo (anuncia Jesus)
Introdutor faz...
- Anuncia Jesus usando as passagens da Bíblia que se referem a Ele como o Caminho, a Verdade e a Vida; como o Senhor e Salvador; como o Deus Conosco...


Jesus fez/faz...
v. 32 São as Escrituras que fazem arder  o coração
Introdutor faz...
- Sabe que suas palavras passam e que só a Palavra de Deus não passará, por isso sempre usa, pelo menos, uma passagem da Escritura;
- Medita e convida à meditação de um versículo bíblico, procurando perceber se há compreensão sobre o mesmo ou se requer explicação.
- Faz e ensina a fazer a leitura orante da Palavra de Deus.


Jesus fez/faz...
v.28 Dá liberdade de escolha, faz que vai adiante.
Introdutor faz...
- Não coage; intimida ou induz a pessoa a tomar uma decisão;
- Não promete o “Céu”(não haverá mais problemas), nem o inferno para forçá-la a uma decisão.
- Respeita suas opções; sua religiosidade e não impõe, mas propõe a fé cristã.


Jesus fez/faz...
v.29 Eles tomam sua decisão livre e pedem:"Fica conosco"
Introdutor faz...
- Procura perceber e avalia, junto com o simpatizante, sobre suas disposições em querer seguir e passar para a próxima etapa.
- Esta decisão de livre adesão é fundamental no processo e esta adesão deve ser refletida não só pelas palavras, mas pelo propósito de conversão.


Jesus fez/faz...
v.31 O reconhecem no pão (Eucaristia) depois de terem ouvido as Escrituras
Introdutor faz...
- Evangeliza, procurando mostrar que a Missa é nossa principal oração, pois nela, Jesus vem ao nosso encontro na Palavra , na Eucaristia, na assembleia reunida.


Jesus fez/faz...
v.33 Saem em missão. Sua primeira missão é retornar à própria comunidade.
Introdutor faz...
- Sabe que ninguém deve sair a evangelizar por conta própria, mas sempre vinculado à comunidade dos Apóstolos, à Igreja.
-Procura e respeita a orientação do pároco; do Bispo; dos documentos da Igreja...


Jesus fez/faz...
v.48 Jesus os convida a serem testemunhas.
Introdutor faz...
- Evangeliza não só com as palavras, mas partilhando a sua própria vida; sua caminhada de fé.


Jesus fez/faz...
v. 49 Jesus promete a força do alto.
Introdutor faz...
- Reconhece e invoca o Espírito Santo como o principal agente da evangelização. Invoca para si e para o simpatizante, pois sabe que este precisará contar com a Sua força para aderir de fato à vida cristã.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Bem-Aventuranças dos Jovens

João Paulo II


Bem aventurados os jovens sábios,
porque serão também ouros e coração e simples de espírito:
eles anunciarão a Paz!

Bem-aventurados os jovens humildes,
porque eles saberão acolher a verdade
escondida no coração de todas as pessoas
que encontrarem ao longo do caminho!

Bem-aventurados os jovens pobres,
porque terão o olhar sempre voltado para Deus
e vencerão com esperança suas lutas neste mundo!

Bem-aventurados os jovens que fazem da caridade
uma lei do seu coração, porque, amando sem reservas,
encontrarão a coragem de obedecer a profetas e santos!

Bem-aventurados os jovens que temem o Senhor,
porque não temerão inimigo algum na terra,
seja pequeno ou grande!

Bem-aventurados os jovens pacíficos,
porque serão vistos como herdeiros da terra de Deus!
Porque a eles todos, será dada por herança
A terna bem-aventurança!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

JMJ no Rio será de 23 a 28 de julho de 2013



A data da próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) foi confirmada na manhã desta terça-feira, 13 de dezembro, pelo Pontifício Conselho para os Leigos (PCL), em Roma: será de 23 a 28 de julho de 2013. O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, divulgou a novidade por meio de seu twitter.

De acordo com a postagem no twitter de Dom Orani, outro assunto tratado com o Pontifício Conselho foi a escolha da logomarca da JMJ Rio2013, que já havia passado por uma análise não conclusiva, mas que agora foi escolhida e será divulgada oportunamente.

Segundo informações do Arcebispo da Cidade Maravilhosa, no final de fevereiro de 2012 uma comissão do PCL virá ao Rio e de 28 de março a 1º de abril do mesmo ano haverá uma reunião geral em Roma, na qual os organizadores da última JMJ, em Madri, também estarão presentes.

Uma comissão do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ — composta pelo presidente da comissão e Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, por dois Bispos Auxiliares do Rio Dom Antonio Augusto Dias Duarte e Dom Paulo Cezar Costa, pelo Monsenhor Joel Portella Amado, da coordenação geral, e pelos Padres Márcio Queiroz, responsável pela Comunicação, e Renato Martins, responsável pelos Atos Centrais — está em Roma desde a última segunda-feira, 12, para este encontro com o Pontifício Conselho para os Leigos. Até a data da Jornada, as duas equipes — o Comitê Central, que é o Pontifício Conselho para os Leigos, em Roma, e o Comitê Organizador Local, no Rio de Janeiro — estarão trabalhando em unidade para garantirem que a Jornada seja bem sucedida.

Portal

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Texto para Reflexão



Meu Bambu amado!
Narrador: Conta uma lenda chinesa que existia um lindo e maravilhoso jardim, situado no oeste da aldeia, no meio de um grande reino. O Senhor deste jardim costumava passear por lá diariamente, quando o calor do dia era mais forte. Havia neste jardim um bambu de aspecto nobre. Era o mais bonito entre todas as árvores e o Senhor tinha uma admiração especial por este bambu. Ano após ano, esse bambu crescia e tornava-se cada vez mais lindo e grandioso. Mas o bambu não era feliz. Sentia no seu íntimo que estava lhe faltando algo importante. Certo dia, o Senhor muito preocupado, aproximou-se da sua árvore querida e o bambu, com grande veneração, abaixou a cabeça. O Senhor disse-lhe:

Senhor: Meu querido bambu, estou precisando de ti.
Narrador: Ao bambu pareceu ter chegado o dia especial, o dia para o qual havia nascido. Com grande alegria, mas baixinho, o bambu respondeu:
Bambu: Senhor, estou pronto. Feze de mim o que quiseres.
Senhor: Bambu, para servir-me de ti, é necessário abater-te.
Narrador: A voz do Senhor era séria. O bambu ficou assustado, muito assustado.
Bambu: Abater-me, Senhor, depois que me tornaste a árvore mais linda de seu jardim? Não, por favor, não! Usa-me para sua alegria, mas, por favor não me abatas.
Senhor: Meu querido bambu, se eu não Puder abater-te, não poderei usar-te.
Narrador: A voz do Senhor tornou-se ainda mais séria. No jardim então, fez-se um grande silêncio. O vento não soprava mais, os passarinhos não cantavam mais. Vagarosamente, o bambu abaixou mais sua cabeça maravilhosa. Depois suspirou:
Bambu: Senhor, se não podes usar-me sem que me abatas, então faze de mim o que quiseres.
Senhor: Meu querido bambu, não devo somente abater-te, mas também cortar suas folhas e ramos.
Bambu: Senhor, não faças isto comigo. Deixa-me pelo menos as folhas e os ramos!
Senhor: Se não queres que te corte, também não poderei usar-te.
Narrador: Então o sol se escondeu e os passarinhos, ansiosos, voaram para longe. O bambu tremeu e já sem voz disse:
Bambu: Senhor, então corta-me as folhas e os ramos!
Senhor: Meu querido bambu, tenho que fazer mais, ainda. Devo racha-te em duas partes e arrancar teu coração. Se não conseguir fazer isto, também não poderei usar-te.

Narrador: O bambu não conseguiu mais falar. Abaixou sua linda cabeleira até o chão. Assim o Senhor do jardim abateu o bambu, cortou os ramos, tirou as folhas, rachou-o em duas partes e arrancou dele o coração. Em seguida, levou-o à fonte de água fresca, próximo dos campos secos. Ali, delicadamente, o Senhor dispôs o querido bambu no chão. Uma extremidade do tronco foi ligada à fonte de água, outra foi virada para o campo seco. A fonte jorrava água, a água passava através do bambu oco e chegava alegre para o campo que havia esperado bastante tempo. Em seguida, foi plantado o arroz. Os dias passaram, a semente cresceu e o tempo da colheita chegou. Assim, o maravilhoso bambu tornou-se realmente uma grande bênção de vida e doação. E a sua alegria dói imensa...

Narrador: Moral da história:
Todos: Que todos nós possamos ser em nossos grupos, comunidade, paróquias, Dioceses e, quem sabe no mundo, este bambu que se esvaziou de si para o bem comum..., para animar missionária e catequeticamente nossa Igreja, assumindo de verdade o processo de Iniciação á Vida Cristã!