Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Inscrições para II Jogos Arquidiocesanos terminam em março

No clima de preparação para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que acontecerão no Rio de Janeiro em 2016, a Pastoral do Esporte da Arquidiocese do Rio convida os fiéis das paróquias e comunidades para participar do II Jogos Arquidiocesanos, que acontecerão de maio a setembro deste ano.
Na primeira etapa vicarial serão oferecidas as modalidades: Atletismo (corrida de 100m, corrida de 400m e salto em distância), Futsal, Vôlei de Quadra, Vôlei de Praia e Tênis de Mesa. Os vencedores vão disputar a etapa final Arquidiocesana, entre os meses de agosto e setembro.
Segundo o assistente eclesiástico da Pastoral do Esporte, Padre Marcus Vinícius Antunes da Trindade, São Sebastião, padroeiro do Rio de Janeiro e também dos atletas será um estímulo a mais para os esportistas cariocas.
“Cada atleta poderá contar com um intercessor que foi muito valente e corajoso em defender a sua fé, e terá esse belo exemplo para encontrar força em meio às adversidades e desafios. Que cada atleta alimentado pela sua fé em Deus também possa chegar bem em suas competições”, afirmou o sacerdote.
Após o cadastro no site, os responsáveis pelas delegações que representarão as Paróquias ou as Comunidades de Vida/Aliança receberão um e-mail com o Termo de Adesão aos II Jogos Arquidiocesanos onde o pároco ou superior da Instituição Arquidiocesana deverá assinar junto com o Responsável pela Delegação, e depois retornar de forma digitalizada por e-mail à Pastoral do Esporte. A partir de então será liberado uma senha para que o Responsável pela Delegação faça a inscrição dos atletas por modalidade na competição.
As inscrições, que tiveram início no dia 20 de janeiro, podem ser feitas até o dia 22 de março, no site: www.pastoraldoesporterio.org.br.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/inscricoes-para-ii-jogos-arquidiocesanos-terminam-em-marco-55363/

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Os jovens e a Vida Consagrada

Brasília, 1º de Fevereiro de 2015.

Caros párocos e demais responsáveis pela evangelização da juventude no Brasil.

“Ele será um sinal de contradição” (Lc 2, 34)

No Templo, no dia em que Jesus é apresentado, Simeão profetisa que aquele Menino que veio como “Luz para iluminar as nações” se tornará, por isto, “sinal de contradição”. Também o jovem, pelo seu jeito dinâmico de ser nesta fase da vida, carrega em si esta marca que, quando bem entendida e valorizada, traz benefícios para todos. É importante reconhecer isto e garantir-lhe condições de seu desenvolvimento sadio.
“Nunca percam a esperança e a utopia, vocês são os profetas da esperança, são o presente da sociedade e da nossa amada Igreja e por sobre todo são os que podem construir uma nova Civilização do Amor. Joguem a vida por grandes ideais. Apostem em grandes ideais, em coisas grandes; não fomos escolhidos pelo Senhor para coisinhas pequenas, mas para coisas grandes!” Com estas palavras o Papa Francisco se dirigiu à Pastoral da Juventude em seu 11º. Encontro Nacional, que aconteceu em Manaus, no final do mês passado, com a presença de jovens de todas as partes do país. Mensagem animadora a todos os jovens e, ao mesmo tempo, questionadora aos adultos responsáveis pela sua vida, educação e evangelização. Se, por um lado, a decisão por uma vida significativa depende do próprio jovem, por outro, exige dos adultos e das estruturas eclesiais condições favoráveis para uma alegre e consistente resposta.
Por isso, nos perguntamos:
“Nossas comunidades paroquiais e os projetos juvenis estão se empenhando para ajudarem os jovens a não perderem ‘a esperança e a utopia’ e a se tornarem verdadeiros ‘profetas do presente’? Ou temos perdido ricas ocasiões de formação de líderes para a Igreja e para a sociedade? O que se faz urgente renovar em nossa oferta às novas gerações para que as mesmas se sintam mais atraídas, corresponsáveis e capacitadas na construção da Civilização do Amor?”
“Além disso, o que estamos fazendo de concreto para que os jovens sejam incentivados a pensar e a apostar ‘em grandes ideais, em coisas grandes’, como expressou o Papa?” Não dá para ignorar que neste pedido do Papa Francisco há um forte convite vocacional aos jovens: “fomos escolhidos pelo Senhor para coisas grandes”! A pastoral juvenil é, intrinsicamente, pastoral vocacional, ou não é “pastoral”! Em seu bojo, todo serviço aos jovens deve se tornar um apelo cativante, possível e concreto de seguimento a Jesus Cristo, nas mais variadas vocações. “A dinâmica pastoral paroquial tem se debruçado neste assunto, buscando com criatividade novas formas de vivência da cultura vocacional no meio da juventude?”