Manhã de Formação ICJA

Manhã de Formação ICJA

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Réveillon da Paz promete animação e oração

Com fortes momentos de oração e shows de banda e DJ, o Réveillon da Paz é a oportunidade ideal para quem quer aproveitar a companhia de familiares e amigos em um clima de tranquilidade e animação. A programação da festa começa às 22h no dia 31 de dezembro, com a Santa Missa, e segue até às 5h do primeiro dia do ano de 2016 na Praia de Botafogo. A entrada é gratuita.
O grande diferencial do Réveillon da Paz é a virada de ano em Adoração ao Santíssimo Sacramento, seguida de bênção do sacerdote. A programação segue pela noite com muita música e descontração. Quem deseja todo o clima de "festa na praia" pode levar cangas, cadeiras para aproveitar a areia. Haverá venda de bebida e comidas, mas também pode ser levado de casa.
“O Réveillon da Paz é uma oportunidade de iniciar o ano novo aos pés do Senhor, cercado de amigos e família. Uma festa com muita música, animação e oração em um ambiente praiano, onde todos se unem para pedir paz ao mundo e as bênçãos de Deus para o ano que começa”, destacou o organizador do evento, Julio César.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/3925/reveillon-da-paz-promete-animacao-e-oracao

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Papa confidencia aos jovens a sua maneira de ler a Bíblia

O prefácio de uma Bíblia voltada ao público jovem, escrito pelo Papa Francisco, foi publicado na revista dos jesuítas “La Civiltà Cattolica”. O Papa afirma no texto amar a sua velha Bíblia e que esta foi “testemunha” de sua alegria e foi “banhada” por suas lágrimas: “É o meu inestimável tesouro. Vivo dela e por nada no mundo me desfaria dela”. Francisco dá várias sugestões aos jovens em como usá-la, ao mesmo tempo em que confidencia a eles como lê a sua “velha Bíblia”.
Francisco iniciou o texto afirmando que os jovens se surpreenderiam com a aparência de sua Bíblia, velha e usada, mas que por nada faria menos dela pois ela o acompanhou em “metade” de sua vida. Em seguida, recordou as perseguições aos cristãos no mundo na atualidade, afirmando com certa ironia, que “evidentemente a Bíblia é um livro extremamente perigoso, causa tanto risco, que, no entanto, em certos países, quem possui uma é tratado como se escondesse no armário bombas ao alcance da mão”.
O Papa chama a atenção para o fato de que muitas vezes os cristãos consideram a Bíblia como uma simples obra-literária e chegou a fazer referências às palavras de Mahatma Gandhi que afirmava: “Aos cristãos foi confiado um texto com quantidade de dinamite suficiente para fazer explodir em mil pedaços a civilização inteira, para colocar de cabeça para baixo o mundo e levar a paz a um planeta devastado pela guerra, mas o tratam como se fosse uma simples obra literária, nada além disto”.
Contrastando esta abordagem do texto sagrado, Francisco recorda que a Bíblia não é uma seleção de histórias antigas e bonitas, mas “pela Palavra de Deus, a luz veio ao mundo e nunca mais se apagou. Acolhamos o tesouro sublime da Palavra revelada!”.
“Vocês têm entre as mãos, portanto, algo de divino, um livro como fogo, um livro no qual Deus fala. Por isto, recordem-se: a Bíblia não é feita para ser colocada em uma prateleira, mas é feita para ser levada na mão, para ser lida frequentemente, a cada dia, quer sozinho como acompanhados”, escreveu o Papa aos jovens.
Francisco sugere aos jovens a leitura conjunta da Bíblia, assim como se vai acompanhado ao shopping ou praticar esportes, propondo também que a leiam “ao ar livre, mergulhados na natureza, no bosque, na beira do mar, de noite à luz de velas. Vocês fariam uma experiência forte”. E questiona: “Ou quem sabe vocês têm medo de parecerem ridículos diante dos outros?”
O Papa explica que a Palavra de Deus, para mostrar a sua força e transformar a nossa vida, deve ser meditada e lida em profundidade, pois através dela “Deus está me falando”.  E confidencia como lê a sua velha Bíblia: “Frequentemente a pego, a leio um pouco, depois a deixo de lado e me deixo olhar pelo Senhor. Não sou eu que olho para ele, mas Ele que olha para mim, colocando assim na escuta do Senhor. Às vezes Ele não fala: e então não ouço nada, somente vazio, vazio, vazio…. Mas, paciente, permaneço lá e o espero assim, lendo e rezando. Rezo sentado, porque me faz mal ficar de joelhos. Às vezes, rezando, até mesmo adormeço, mas não tem problema: sou como um filho próximo ao seu pai, e isto é aquilo que conta”.
Ao concluir, enfatizou: “Vocês querem me fazer feliz? Leiam a Bíblia”.
O prefácio foi escrito para uma Bíblia dirigida aos jovens. A ideia da obra é de Thomas Söding, professor do Novo Testamento na Universidade de Bochu, e por longos anos membro da Comissão Teológica Internacional da Santa Sé. Pai de três filhos, sentia a necessidade de oferecer aos jovens uma possibilidade de acesso à Bíblia que fosse atraente. Assim, entrou em contato com Georg Fisher (Universidade de Innsbruck) e Dominik Markl (Pontifício Instituto Bíblico, em Roma), jesuítas austríacos e professores de Antigo Testamento, convidando-os a colaborar com o projeto. Após a ampla divulgação do catecismo para jovens Youcat, os autores convidaram a Youcat Foundation (Augsburg), junto com a Katholische Bibelanstalt (Stuttgart), para colaborar com o projeto.
Confira o texto na íntegra:

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Papa em sua Catequese: Jovens o que querem fazer das suas vidas?

O Papa Francisco falou sobre sua recente viagem à África na Audiência Geral desta quarta-feira, na Praça de São Pedro. Por sua vez, convidou os jovens a pensar em sua vocação e sobre a possibilidade de o Senhor os chamar para ser missionários e evangelizar em qualquer lugar do mundo.
Os missionários são “homens e mulheres que deixaram tudo, a pátria, desde jovens e se foram, em uma vida de muito trabalho, às vezes dormindo sobre a terra, toda a vida”, disse Francisco.
Em seguida, contou uma anedota que lhe ocorreu na República Centro-Africana: “Em um momento encontrei em Bangui uma religiosa italiana, via-se que era anciã: ‘Quantos anos tem?’, perguntei-lhe. ‘81’. ‘Ah, não muito… dois a mais do que eu, não muito’. Estava com uma menina e a menina, em italiano, chamava a freira de ‘vovó’. 81 anos e estava ali desde que tinha 23 ou 24 anos. Toda a vida. E, como ela, muitos. ‘Mas eu não sou daqui, sou do país vizinho, do Congo, mas vim em canoa com esta menina’”.
“Assim são os missionários, valentes. ‘E o que você faz, irmã?’. ‘Eu sou enfermeira e depois estudei um pouco e me tornei parteira, ajudei a nascer 3.280 crianças”.
“Uma vida inteira pela vida dos outros. Como ela, existem tantos outros, religiosos, padres, missionários que ‘queimam’ suas vidas para anunciar Jesus Cristo. Isto é muito bonito”.
O Papa continuou improvisando: “Eu gostaria de dizer uma coisa aos jovens… há poucos porque a natalidade na Europa parece que é um luxo. Natalidade 0%, natalidade 1%. Mas, me dirijo aos jovens: pensem no que farão de suas vidas, pensem nesta religiosa e em tantas como ela, que deram a vida e muitos morreram ali. A missionariedade não é fazer proselitismo, porque esta irmã me disse que até os muçulmanos vão até elas porque sabem que as freiras são boas enfermeiras que curam bem e não fazem catequese para convertê-los, a não ser testemunho, e a quem quiser, dão catequese. Testemunho: esta é a grande missionariedade heroica da Igreja, anunciar Jesus Cristo com a própria vida”.
“Dirijo-me aos jovens: o que pensam, o que querem fazer com sua vida? É o momento de pensar e pedir ao Senhor que te faça sentir a vontade dele, mas não excluam por favor esta possibilidade de ser missionários para levar o amor, a humanidade, a fé a outros países. Não para fazer proselitismo, isso o fazem outros que procuram outra coisa. A fé se prega primeiro com o testemunho e depois com a palavra, lentamente”.
Na catequese, o Pontífice relembrou os três países do continente africano que visitou durante seis dias, Quênia, Uganda e República Centro-Africana, de onde retornou a Roma na segunda-feira, 30 de novembro.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Visita dos jovens do Santuário da Divina Misericórdia ao Lar das Senhoras Cegas

Neste domingo, solenidade de Cristo Rei, os pré-catecúmenos do Santuário da Divina Misericórdia (Vila Valqueire) visitaram o Sodalício da Sacra Família em Jacarepaguá, um lar para idosas que estão perdendo ou já perderam a visão. A experiência foi incrível e emocionante. Cristo verdadeiramente reinou nos corações dos jovens e das senhoras.
Chegamos por volta das 9:00 e fomos muito bem recebidos pelas irmãs que cuidam desta obra tão linda. As senhoras tomavam “banho de sol” e se encheram de alegria quando perceberam a visita dos jovens. Aos poucos íamos chegando, conversando e rindo, claro, com as histórias que elas contavam.
Foi uma manhã inesquecível para todos. Cada gesto, cada palavra, cada sorriso, tudo era sinal de Cristo que estava ali presente. No domingo passado tínhamos trabalhado no nosso encontro o trecho da carta de São Tiago que falava sobre “a fé e as obras”. Ontem, vivemos literalmente isso: as obras, a caridade, o amor que reflete a nossa fé no Cristo ressuscitado.
Seria muito bom que mais jovens, neste Ano da Misericórdia que chega, realizassem esse ato de amor e misericórdia. Saímos de lá preenchidos com uma alegria que não encontramos em qualquer lugar, só onde Ele realmente está presente e derramando suas graças sobre nós. Viva Cristo Rei!

(Lucas Henrique)






quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Os Jovens também acreditam na Família

Tatiana e Ronaldo de Melo
Núcleo de Formação e Espiritualidade da Pastoral Familiar da Arquidiocese do Rio

A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUC-RS realizou uma pesquisa com mil e quinhentos jovens, entre 18 e 34 anos, em todas as regiões do país. O principal objetivo desta pesquisa foi saber o que os jovens pensam atualmente sobre diversos assuntos, como por exemplo a família. Muito se fala a respeito do modo de vida das pessoas nesta faixa etária no que diz respeito ao presente e principalmente em relação ao futuro. O resultado da pesquisa se mostrou surpreendente para os seus realizadores, mas para quem acredita na juventude, como nós acreditamos, pode ver a comprovação do seu desejo profundo de compromisso e responsabilidade.
Dentre as várias perguntas feitas aos jovens estavam: “Como você vê a família? O que você quer para o futuro?”. É possível perceber que são assuntos simples e diretos. Temas muitas vezes tidos como de pouco interesse, mas que através das respostas mostraram que são, de fato, questões que não passam desapercebidas dadas as suas importância e atualidade.
Do total dos entrevistados, 67,1% se declararam solteiros e 32,9% estarem namorando. Logo, a pesquisa não foi feita com pessoas que já tenham constituído suas próprias famílias, mas ao contrário, todos os participantes apenas trazem as experiências e motivações vividas nas suas famílias de origem. E, mesmo assim, foi possível constatar como a comunidade familiar é, efetivamente, importante e desejada pela grande maioria, pois 88,1% dos entrevistados disseram que ela é fundamental ou muito importante, contra apenas 11,9% que afirmaram ser irrelevante ou pouco importante. Não se pode negar a expressividade do resultado desta pesquisa.
A proteção especial para a unidade familiar é lei e não pode ser ignorada. Na Constituição Federal de 1988, apenas à criança, ao adolescente e ao jovem (CRFB/88, art. 227), e à própria família (CRFB/88, art. 226) é garantida e determinada proteção especial. Para nenhum outro tipo de categoria de pessoas há previsão dessa especial proteção, ou seja, há uma determinação da lei suprema do Brasil, envidar todos os esforços para garantir a constituição, a manutenção e o bem-estar dos mais vulneráveis e da família.
Ainda sobre a pesquisa, como consequência natural da influência e da importância da família na formação do ser-humano, os atributos como o amor (74,7%), o respeito (72,7%) e o diálogo (52,4%) aparecem como fundamentais e essenciais. Mais uma vez, é possível constatar aquilo que é dito e repetido pela Igreja. Demonstra como a Igreja, como boa mãe, cuida de salvaguardar as necessidades mais fundamentais dos seus filhos.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Universidades Renovadas

No dia 7 de novembro, o ministério Universidades Renovadas, da Renovação Carismática Católica, realizou na PUC-Rio seu primeiro encontro arquidiocesano.
O tema do encontro foi: "Estai sempre prontos a dar razão da vossa esperança a todo aquele que a pedir" (1Pd 3,15b), e contou com a presença de 140 pessoas.
Na programação, teve adoração ao Santíssimo conduzida pelo padre Antônio José, pregações e apresentação do espetáculo “O Canto das Irias”, da Comunidade Shalom, além de diversos estandes vocacionais. A missa foi celebrada pelo Cardeal Dom Orani João Tempesta e concelebrada pelo bispo auxiliar Dom Paulo Cezar Costa, animador do Setor Universidades, e pelo padre Waldecir Gonzaga, reitor da Igreja da PUC.
“É fundamental o testemunho de vocês junto aos que estudam junto, que partilham situações angustiantes e têm ao lado alguém que reza, alguém que encontrou Jesus Cristo e pode dizer uma palavra que dê esperança”, disse Dom Orani durante a homilia. O ministério realizará um pós-encontro no dia 28 de novembro, às 13h, na Quinta da Boa Vista, aberto também a quem não foi ao encontro.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé, pág. 4

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Jovens em missão pela saúde

Um trabalho de assistência social e espiritual dos jovens da Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, às crianças e jovens do Hospital Municipal Miguel Couto, no bairro da Gávea, na Zona Sul da cidade – essa é a motivação da Pastoral da Saúde dos Jovens de Cristo (PSJC), que completou dois anos em outubro. Uma missa de ação de graças pelo aniversário foi celebrada no dia 18 de outubro, presidida pelo pároco, monsenhor Manuel Moreira Vieira.
Idealizado por Mara Vasconcellos, que atua como coordenadora, o grupo conta com 40 jovens voluntários entre 18 e 34 anos, sendo 10 em treinamento, e que participam com muito amor, alegria, espiritualidade e compromisso. O projeto tem como dirigente espiritual o pároco, monsenhor Manuel, e como orientadora espiritual a religiosa Anastácia Serva de Maria, ministra dos enfermos.

Semear a fé
O grupo surgiu com o objetivo de que voluntários jovens pudessem ajudar, com a mesma linguagem, outros jovens e crianças internados na unidade. Segundo a coordenadora Mara Vasconcellos, o grupo tem o intuito de semear a fé em Cristo aos pacientes, familiares e acompanhantes, em diversos casos sob a tutela do Estado; evangelizar os que ainda não conhecem Cristo; e propagar a alegria que vai muito além de um sorriso, a alegria da alma.
“Queremos ser presença, dando a mão ao paciente e à família, no momento de maior fragilidade humana. A fé precisa ser propagada e sedimentada. Fazemos a oração de mãos dadas para sentir que Cristo está com eles firme e forte. Rezamos a oração do Pai Nosso, mostrando a presença de Jesus nos unindo como irmãos. Toda a enfermaria, incluindo médicos, enfermeiros, pacientes e familiares rezam juntos”, disse.

Bons frutos
Além do dirigente, da orientadora espiritual e da coordenadora, cada jovem tem uma função na estrutura da pastoral.
Desde outubro de 2013, a Pastoral da Saúde dos Jovens de Cristo cresceu em mais de 400 visitas realizadas. Para a coordenadora Mara, o que de melhor aconteceu foi o envolvimento e a entrega de jovens pela pastoral, realmente tocados com o dom do Espírito Santo.
“Para trabalhar é preciso ter esse dom, porque lidamos com crianças e familiares no momento da mais profunda fragilidade humana, que é a doença atingindo o seio familiar, algumas vezes desestruturando-o. A família não consegue, materialmente, sair desse momento, mas, espiritualmente, a pastoral fortalece e reconstrói. A fé move montanhas e salva. E o jovem deve saber que tem um caminho, que não é deixar de ser alegre, mas saber que existe uma oportunidade de servir a Cristo. A gente espera que ainda tenhamos mais jovens assim. Pretendemos que o grupo de hoje estimule a formação de outros jovens em hospitais, para que possam entender que realmente têm o apoio do nosso melhor amigo, que é Jesus”, disse.
A coordenadora Mara Vasconcellos pode ser encontrada no telefone 98358-0109 e e-mail marasmithvasconcellos@hotmail.com.

Foto: Leonardo Santos

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/3803/jovens-em-missao-pela-saude

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Fórum sobre jovens privados de liberdade

A sexta edição do Fórum para tratar da questão dos adolescentes e jovens privados de liberdade, realizado pela Arquidiocese do Rio, será no dia 11 de novembro, no Edifício João Paulo II, na Glória. Uma das pautas será o início da assistência religiosa no Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase), que em 2015 completa 18 anos de atividade.
O fórum tem como objetivo reunir autoridades da área da aplicação das medidas socioeducativas para os jovens que cometem atos infracionais, a fim de proporcionar um debate sobre a situação desses jovens.
“Nossa intenção é encontrar ideias e propostas para humanizar o sistema socioeducativo. Hoje vivemos uma situação complicada, porque as unidades do Degase estão superlotadas e isso cria situações muito difíceis para a reeducação do jovem. Por exemplo, em um alojamento onde cabem seis meninos, de 15 a 20 jovens vivem em situação bastante desumana”, explicou o coordenador da Comissão de Assistência Religiosa ao Menor Privado de Liberdade, diácono Roberto José dos Santos.
Os participantes do fórum, convocados pelo arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, são a juíza responsável pela 2ª Vara da Infância e da Juventude, que aplica as medidas de privação de liberdade e outras medidas constantes no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), representantes da Defensoria Pública que atuam nas Varas da Infância, a juíza coordenadora das Varas da Infância do Estado do Rio de Janeiro, a OAB, o Ministério Público e a comissão arquidiocesana responsável pela assistência religiosa.
“A realização desse fórum é a colaboração que a Igreja pode dar ao reunir pessoas que têm a responsabilidade da garantia dos direitos humanos e fundamentais desses jovens que cometeram atos infracionais, mas que merecem e têm o direito de ter a oportunidade de recomeçar a própria vida”, afirmou o diácono.
Devido à proximidade do Ano Santo da Misericórdia em 2016, Dom Orani propôs o início de um trabalho de acompanhamento de jovens que deixaram o sistema socioeducativo para que, em liberdade, possam ter oportunidades e ser ajudados em todas as etapas da reintegração social.
“Estamos buscando contato com paróquias para que leigos que atuam na área da Caridade Social possam acompanhar o serviço de reintegração desses jovens à família e à sociedade”, concluiu o coordenador.

Crisma no Santuário

            No Santuário de São Sebastião, na Tijuca, houve missa do Crisma no final da tarde do dia 18 de outubro.
            A Eucaristia foi presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta e concelebrada pelo pároco frei Arles Dias de Jesus.
            Os nove crismandos foram ungidos e abençoados por Dom Orani que os convocou a seguirem a profissão de fé e a serem missionários cumprindo o compromisso renovado com Deus.

Foto: Rachel Lopes
Colaboração: Emilton Rocha

Fonte: Jornal Testemunho de Fé, pág. 8

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Beata Chiara Luce: um exemplo de santidade para muitos jovens

Na festa da beata Chiara Luce Badano, conheça mais sobre sua história e como ela tem influenciado a vida de milhares de jovens.

A vida da jovem beata italiana Chiara (Luce) Badano inspira milhares de jovens no mundo. Tendo sua memória litúrgica no dia 29 de outubro, data de seu nascimento, ela praticava esportes, gostava de viajar, fazer amigos, era amante das artes, dona de um sorriso doce, vontade de mudar o mundo e coração entregue a Jesus.
Membro do Movimento dos Focolares, Chiara estava sempre em oração e buscava encontrar “Jesus Abandonado” nos pobres, deficientes, drogados, nas pessoas que a sociedade deixava à margem e esquecia.
Aos 17 anos, durante uma partida de tênis, sentiu uma dor no ombro esquerdo, tão forte que não conseguiu segurar a raquete. Exames clínicos e internamentos revelam o triste diagnóstico: um câncer raro.
Conhecida a notícia e voltando para casa, pediu à mãe que não lhe fizesse perguntas. Passados 25 minutos de silêncio e entrega, venceu a graça: “Agora podes falar, mãe”, enquanto ao seu rosto volta o sorriso luminoso de sempre. Disse o seu sim a Jesus, e não mais voltou atrás.
Fruto dessa entrega, ela nunca desanimou perante a doença e sempre dizia “Se assim o queres, Jesus, também eu o quero”. Mesmo nos momentos de dor, acolhia e ouvia todos os que dela se aproximavam; fazia seus gestos de amor por Jesus Abandonado, embora houvesse fragilidade e o empecilho imposto pelo câncer.
Em 7 de outubro de 1990, aos 18 anos foi encontrar seu maior tesouro: Jesus Cristo. E aos jovens deixou uma mensagem de esperança e coragem: “Gostaria de lhes passar a chama como nas Olimpíadas, porque a vida é só uma e vale a pena gastá-la bem”.

Devoção
No Brasil, especialmente após a Jornada Mundial da Juventude Rio de Janeiro, na qual ela foi uma das intercessoras, a devoção à beata se espalhou. Um dos meios utilizados para disseminar a luz de Chiara foram as redes sociais. A capixaba Ilza Maria, conheceu a história de Chiara através do programa Revolução Jesus, em 2012, e logo depois leu sua biografia.
Naquele momento, a mãe passava pelo câncer e a história da jovem a ajudou caminhar com fé. “Muito do meu amadurecimento quanto à morte, sofrimento foi pela intercessão da Chiara. Quando minha mãe veio a falecer no ano seguinte, eu não sei como seria se eu não tivesse mergulhado profundamente na vida da Chiaretta, nisso, eu senti em meu coração a vontade de fazer uma fanpage, visto, que não havia uma página brasileira”, conta.
Para ela, a identificação dos jovens com a vida de Chiara se deve à sua coragem em enfrentar a doença, dando seu sim absoluto a Deus, testemunhando de que é possível ser santo nos dias de hoje e sobretudo, o amor transmitido de forma simples e profunda.
A preparação para a festa da beata aconteceu de forma intensa, através de uma novena, a mesma que é rezada no mundo todo, com a mobilização de milhares de jovens. “Tivemos a graça de uma participação intensa dos amigos devotos, que nos enviaram fotos de seus altares e de grupos que rezaram juntos a novena e hoje dia 29, algumas paróquias celebram a festa, com a Santa Missa”, diz.

Testemunhos
Passados 24 anos de sua morte, a luz de Chiara, ilumina milhares de jovens no mundo todo, que a seu exemplo encontram forças para carregar suas cruzes, serem fiéis no cotidiano e perseverarem no Evangelho.

Conheça o testemunho de alguns deles espalhados por todo o Brasil.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Seminário

O movimento Sentinelas promoverá o “Seminário de Ideologia de Gênero” no auditório da Paróquia Imaculada Conceição, no Recreio dos Bandeirantes, dia 31 de outubro, das 8h30 às 17h, na Rua Humberto Cozzo, 41.
O objetivo é conscientizar as pessoas acerca do tema, e terá como palestrantes o bispo auxiliar do Rio, Dom Antonio Augusto Dias Duarte, o médico psiquiatra Italo Marsili, entre outros.
A inscrição no valor de R$ 15,00 poderá ser realizada por e-mail: movimentosentinelas@gmail.com, e deverá contar nome completo, telefone, paróquia de origem, e-mail e data de nascimento. O pagamento poderá ser feito no local.
Informações pelo telefone 2497-9050.

Link da foto: http://www.tardecommaria.com.br/wp-content/uploads/2015/09/Dom_Antonio_e_membros_do_Movimento_Sentinela_28092015112447.png

Fonte: Jornal Testemunho de Fé, pág. 6

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Encontro Vocacional do Vicariato Oeste

Neste último domingo, 18/10, às 13h, no Centro de Convivência Padre Miguel, foi realizado o Encontro Vocacional da Iniciação Cristã de Jovens e Adultos do Vicariato Oeste. Participaram cerca de 1000 jovens e adultos que se preparam para receber os sacramentos da iniciação cristã.
Inspirados pelo tema: “Seduziste-me Senhor”, os participantes tiveram uma tarde de unidade e bênção sob a intercessão da equipe da Renovação Carismática Católica e receberam, também, orientações dos vocacionados, religiosos e da Pastoral Familiar, além de muito louvor, oração, testemunho, adoração e missa, workshops vocacionais e confissões com vários sacerdotes que lá estiveram acolhendo a todos,
Tivemos as ilustres presenças do Locutor Vinicius Lima da Rádio Catedral, testemunho de Rafael Lima, da banda Shekinah, DJ Allan Farias e também do Vereador Marcelino D' Almeida.  
A Santa Missa foi celebrada pelo Bispo Animador do Vicariato Oeste D. Paulo César e concelebrada pelo Vigário Episcopal Pe. Felipe Lima, o Assessor da Iniciação Cristã Pe. William Bernardo e do Côn. José Roberto.
A comissão Vicarial desde já agradece a todos que oraram, doaram, ajudaram e participaram, em especial, aos voluntários.


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Na busca da revolução do amor e dos valores

Neste ano de 2015, os jovens do Rio de Janeiro celebraram os 30 anos do Dia Nacional da Juventude (DNJ) e trouxeram à sua realidade, neste importante momento histórico do país, a reflexão de sua atuação como cristãos na sociedade.
Inspirados por documentos importantes do Concílio Vaticano II como “Lumen Gentium” (Luz dos povos) e “Gaudium et Spes” (Alegria e esperança), a juventude abraçou o convite de serem jovens ativos, criativos e construtores da sociedade. E participaram com grande alegria e entusiasmo, no dia 18 de outubro, do DNJ 2015 realizado pelo Setor Juventude da Arquidiocese do Rio, na Catedral Metropolitana de São Sebastião.

Transformar o mundo
O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, esteve presente no evento e ressaltou a importância do dinamismo juvenil para a transformação da sociedade.
“Este belo momento em nossa Catedral Metropolitana é uma oportunidade de reunir todas as expressões jovens da Igreja no Rio de Janeiro para celebrar o Dia Nacional da Juventude, também comemorado em todo o Brasil todos os anos. Nosso objetivo é incentivar os jovens e recordar que eles são Igreja, e que continuem se sentindo como Igreja, caminhando com o povo de Deus e experimentando as graças do Pai de poder, enquanto Igreja, ajudar esse mundo a ser transformado. Todos nós somos chamados a transformar o mundo, mas os jovens mais ainda, tendo em vista todo o seu dinamismo”, afirmou Dom Orani.

Fermento na massa
Como ocorre tradicionalmente, ao longo do dia houve pregações, oficinas, louvor, adoração ao Santíssimo e apresentação teatral, que trouxeram e trabalharam a temática do Dia Nacional da Juventude – “Juventude e sociedade” – e seu respectivo lema: “Estou no meio de vós como aquele que serve” (Lc 22, 27).
“O DNJ acontece há trinta anos e, para nós, este é o momento de congregar e reunir os jovens católicos que querem viver verdadeiramente por e para Jesus. O tema do Dia Nacional da Juventude deste ano faz uma reflexão do jovem que transforma a sociedade, que é diferente porque está inserido no mundo, na escola, na faculdade e no trabalho, mas compreende que ali e em todos os ambientes ele precisa ser luz das nações e fermento da massa. Logo, esse momento torna-se um dia de conversão, de voltar para o Senhor, de não ter medo de dizer que é católico e cristão, e de se comprometer voltando para casa e para a paróquia com o compromisso de transformar a sociedade e sua comunidade. O DNJ é este dia de celebração e tomada de consciência por parte da juventude cristã católica da nossa Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro”, concluiu padre Jorge Carreira.

Revolução do amor
Todas as comunidades, movimentos e pastorais ligados à juventude participaram de alguma forma do evento, que teve como ápice a Santa Missa presidida pelo bispo auxiliar e animador do Setor Juventude, Dom Antonio Augusto Dias Duarte. A celebração eucarística foi concelebrada pelo assistente eclesiástico do Setor, padre Jorge Carreira e outros sacerdotes da arquidiocese.
“Nós acabamos de ouvir o Evangelho (Mc 10,35-45) e ele nos apresenta Tiago e João, dois irmãos jovens que sabiam o que queriam: sentar um à direita e outro à esquerda de Jesus, quando estivessem em sua glória. Uma das coisas mais tristes é ouvir um jovem dizer: eu quero, mas não posso, não consigo e não sei se vou conseguir um dia na vida. Quando a gente começa a dizer não posso e não consigo, nós começamos a perder a força da juventude, e sem força nós não só deixamos de crescer pessoalmente como também não fazemos o papel que Deus nos confiou, de construir uma sociedade e um futuro melhor. Embora não entendamos muitas coisas da realidade, embora a gente não saiba discernir bem qual é a providência de Deus, esses dois jovens nos ensinaram uma coisa fundamental: que temos que dizer, sempre cheios de confiança e audácia, que podemos, sim, construir um mundo melhor, superar as dificuldades do ambiente e as dificuldades pessoais com o poder da liberdade que Deus nos deu. Uma liberdade que, se nós soubéssemos utilizar, faríamos a maior revolução da história da humanidade, que é a revolução do amor e dos valores”, ressaltou Dom Antonio Augusto.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/3756/na-busca-da-revolucao-do-amor-e-dos-valores 

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Diocese de Barra do Piraí/Volta Redonda realiza Concílio da Juventude

Cerca de dois mil jovens da Diocese de Barra do Piraí Volta Redonda lotaram o Pavilhão da Ilha São João, Volta Redonda no Concílio de Juventude, nos dias 3 e 4 de outubro, promovido pelo Setor Diocesano de Juventude, com o tema: “Ide sem medo para servir com amor”.
O evento teve um processo de discussões com os jovens em quatro regiões pastorais, Resende, Barra Mansa, Barra do Piraí e Volta Redonda sobre as questões sociais pertinentes a realidade da juventude: Família, Comunidade, Bairro, Sociedade, Comunicação e Educação.
O bispo diocesano Dom Francisco Biasin participou em tempo integral e assessorou em um momento falando sobre “Servir com Amor”, destacando que o serviço faz parte da dimensão evangélica da vida, observando que o jovem como ser social deve avançar o processo de mudança da sociedade.
“O próprio Jesus disse: `Eu vim para servir e não para ser servido”, e veio para dar a vida em resgate de muitos. A juventude é chamada fazer mudanças radicais na vida pessoal e na sociedade. O mundo de hoje não vai bem, com grandes injustiças e falta de esperanças que degradam a pessoa humana. O Papa Francisco chama os jovens de `semeadores de mudança´ para que façam do mundo um lugar mais justo, fraterno e solidário, não com sentimento de revolta, não conformar-se com aquilo que nos apresentam como um pacote pelos meios de comunicação social, não podemos nos conformar com as injustiças deste mundo, conforme disse o apóstolo Paulo, o cristão que se conforma com as injustiças não é cristão”, salientou Dom Francisco.
O Concílio teve a participação do assessor do Setor Juventude do Regional Leste 1, CNBB, padre André que apresentou o tema: “Ide sem medo”, encorajando os jovens a assumirem sua missão sentindo-se chamados a irem impulsionados desenvolvendo um caminho de experiência de amor de Deus.
A Comunidade Bethânia que nasceu a partir da inspiração do padre Léo, como resposta concreta a grande necessidade de combater o problema das drogas, o aumento de soropositivos, o grande número de adolescentes grávidas solteiras abandonadas, o crescente número de menores nas periferias das cidades, teve participação no Concílio.
O assessor do Setor Juventude Diocesano, padre Carlos Alberto Júnior apresentou as perspectivas dos anseios dos jovens que participaram dos pré-concílios nas regiões pastorais, observando a necessidade de manter a unidade na diversidade e a comunhão dos diferentes carismas dos trabalhos com jovens.
A Pastoral da Juventude Diocesana (PJ) fez um memória dos 30 anos do Dia Nacional da Juventude (DNJ), com música, coreografias e dança, pontuando e recordando trajetória histórica diocesana em cada munícipio. 
A banda católica Missão Resgate de Volta Redonda animou o Concílio nos intervalos e preliminares do show com a cantora Olívia Ferreira, do Rio de Janeiro.
O Concílio foi encerrado com Missa presidida por Dom Francisco com a presença de vários padres e diáconos.

Vagner Mattos, assessoria de comunicação da Diocese de Barra do Piraí Volta Redonda

Fonte: http://diocesevr.com.br/noticiasdiocese/diocese-de-barra-do-pirai-volta-redonda-realiza-concilio-de-juventude/

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Olimpíadas Catequéticas

            A catequese de jovens e adultos da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São João de Deus, em Realengo, deu início às “Olimpíadas Catequéticas” no dia 27 de setembro, com missa de abertura presidida pelo pároco Flávio Vital, que abençoou o evento e os participantes no final da celebração.
            As “Olimpíadas Catequéticas” reuniram 19 catequistas e 53 crismandos em várias atividades esportivas.

Colaboração: Francisco de Assis Freitas

Fonte: Jornal Testemunho de Fé – pág. 10

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Mensagem do Papa Francisco para a 31ª Jornada Mundial da Juventude de Cracóvia 2016

«Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia» (Mt 5, 7)

Queridos jovens!
            Chegamos à última etapa da nossa peregrinação para Cracóvia, onde juntos, no mês de Julho do próximo ano, celebraremos a XXXI Jornada Mundial da Juventude. No nosso longo e exigente caminho, temos sido guiados pelas palavras de Jesus tiradas do «Sermão da Montanha». Iniciámos este percurso em 2014, meditando juntos sobre a primeira Bem-aventurança: «Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino do Céu» (Mt 5, 3). O ano de 2015 teve como tema «felizes os puros de coração, porque verão a Deus» (Mt 5, 8). No ano que temos pela frente, queremos deixar-nos inspirar pelas palavras: «Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia» (Mt 5, 7).

O Jubileu da Misericórdia
            Com este tema, a JMJ de Cracóvia 2016 insere-se no Ano Santo da Misericórdia, tornando-se um verdadeiro e próprio Jubileu dos Jovens a nível mundial. Não é a primeira vez que um encontro internacional dos jovens coincide com um Ano Jubilar. De facto, foi durante o Ano Santo da Redenção (1983/1984) que São João Paulo II convocou pela primeira vez os jovens de todo o mundo para o Domingo de Ramos. Depois durante o Grande Jubileu do ano 2000, mais de dois milhões de jovens, provenientes de cerca 165 países, reuniram-se em Roma para a XV Jornada Mundial da Juventude. Como aconteceu nestes dois casos anteriores, tenho certeza de que o Jubileu dos Jovens em Cracóvia será um dos momentos fortes deste Ano Santo.
            Talvez algum de vós se interrogue: Que é este Ano Jubilar celebrado na Igreja? O texto bíblico de Levítico 25 ajuda-nos a compreender o significado que tinha um «jubileu» para o povo de Israel: de cinquenta em cinquenta anos, os judeus ouviam ressoar a trombeta (jobel) que os convocava (jobil) para celebrarem um ano santo como tempo de reconciliação (jobal) para todos. Neste período, devia-se recuperar uma relação boa com Deus, com o próximo e com a criação, baseada na gratuidade. Por isso, entre outras coisas, promovia-se o perdão das dívidas, uma particular ajuda a quem caíra na miséria, a melhoria das relações entre as pessoas e a libertação dos escravos.
            Jesus Cristo veio anunciar e realizar o tempo perene da graça do Senhor, levando a boa nova aos pobres, a liberdade aos prisioneiros, a vista aos cegos e a libertação aos oprimidos (cf. Lc 4, 18-19). N’Ele, especialmente no seu Mistério Pascal, realiza-se plenamente o sentido mais profundo do jubileu. Quando, em nome de Cristo, a Igreja convoca um jubileu, somos todos convidados a viver um tempo extraordinário de graça. A própria Igreja é chamada a oferecer, com abundância, sinais da presença e proximidade de Deus, a despertar nos corações a capacidade de olhar para o essencial. Nomeadamente este Ano Santo da Misericórdia «é o tempo para a Igreja reencontrar o sentido da missão que o Senhor lhe confiou no dia de Páscoa: ser instrumento da misericórdia do Pai» (Homilia nas Primeiras Vésperas do Domingo da Misericórdia Divina, 11 de Abril de 2015).

Misericordiosos como o Pai
            Este Jubileu extraordinário tem como lema «misericordiosos como o Pai» (cf. Misericordiae Vultus, 13), aparecendo associado com ele o tema da próxima JMJ. Procuremos então compreender melhor que significa a misericórdia divina.
            Para falar de misericórdia, o Antigo Testamento usa vários termos, sendo os mais significativos hesed e rahamim. O primeiro, aplicado a Deus, expressa a sua fidelidade indefectível à Aliança com o seu povo, que Ele ama e perdoa para sempre. O segundo, rahamim, pode ser traduzido por «entranhas», evocando de modo especial o ventre materno e fazendo-nos compreender o amor de Deus pelo seu povo como o duma mãe pelo seu filho. Assim no-lo apresenta o profeta Isaías: «Acaso pode uma mulher esquecer-se do seu bebé, não ter carinho pelo fruto das suas entranhas? Ainda que ela se esquecesse dele, Eu nunca te esqueceria» (Is 49,15). Um amor assim implica criar dentro de mim espaço para o outro, sentir, sofrer e alegrar-me com o próximo.
            No conceito bíblico de misericórdia, está incluída também a valência concreta dum amor que é fiel, gratuito e sabe perdoar. Neste texto de Oseias, temos um belíssimo exemplo do amor de Deus, comparado ao dum pai pelo seu filho: «Quando Israel era ainda menino, Eu amei-o, e chamei do Egipto o meu filho. Mas, quanto mais os chamei, mais se afastaram (...). Entretanto, Eu ensinava Efraim a andar, trazia-o nos meus braços, mas não reconheceram que era Eu quem cuidava deles. Segurava-os com laços humanos, com laços de amor, fui para eles como os que levantam uma criancinha contra o seu rosto; inclinei-me para ele para lhe dar de comer» (Os 11, 1-4). Apesar do comportamento errado do filho, que mereceria uma punição, o amor do pai é fiel e perdoa sempre um filho arrependido. Como vemos, na misericórdia está sempre incluído o perdão; a misericórdia divina «não é uma ideia abstracta mas uma realidade concreta, pela qual Ele revela o seu amor como o de um pai e de uma mãe que se comovem pelo próprio filho. (...) Provém do íntimo como um sentimento profundo, natural, feito de ternura e compaixão, de indulgência e perdão» (Misericordiae Vultus, 6).
            O Novo Testamento fala-nos da misericórdia divina (eleos) como síntese da obra que Jesus veio realizar no mundo em nome do Pai (cf. Mt 9, 13). A misericórdia de Nosso Senhor manifesta-se sobretudo quando Se debruça sobre a miséria humana e demonstra a sua compaixão por quem precisa de compreensão, cura e perdão. Em Jesus, tudo fala de misericórdia. Mais ainda, Ele mesmo é a misericórdia.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Halleluya Rio leva jovens da Lapa a uma experiência com Deus

O final de semana chuvoso não impediu a ação de Deus no Halleluya Rio. Onze atrações passaram pelo palco do evento nos três dias de programação da quinta edição do festival na Cidade Maravilhosa. Apenas na sexta-feira, 11 de setembro, cerca de dez mil pessoas passaram pela arena Halleluya nos Arcos da Lapa. Rosa de Saron, Ana Gabriela e Canto das Írias agitaram a primeira noite do festival.
Pela terceira vez no Halleluya Rio, Ana Gabriela disse ser uma alegria abrir a programação do festival deste ano. “Voltar para a Lapa (o Halleluya da JMJ também foi no bairro) é uma alegria maior ainda. Lugar onde os jovens se encontram. E a gente está justamente tentando encontrar esses jovens que, muitas vezes, não vão a Igreja, que não são atraídos porque não sabem que tem essa riqueza dentro da Igreja, que através da música eles podem conhecer algo novo. Então trazer essa experiência para um local onde a gente sabe que vai encontrar esse jovem, aí é que está a nossa grande expectativa e alegria”, disse.
Abrindo a segunda noite do Halleluya Rio, mesmo sob uma chuva insistente, a banda Frutos de Medjugorje animou o público com canções cheias de coreografias e motivações para oração. A segunda atração do sábado foi a cantora Suely Façanha, que entoou músicas clássicas que levantaram os cariocas e fizeram os jovens cantarem juntos. Depois foi a vez de Davidson Silva levantar a galera. Agora morador do Rio de Janeiro, Davidson disse ser uma alegria pisar no Halleluya Rio tendo a cidade como sua atual terra de missão. Ainda no sábado, os jovens participaram da Missa presidida pelo vigário episcopal para os Institutos de Vida Consagrada, Sociedades de Vida Apostólica, Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades, Dom Roberto Lopes. Durante a homilia, Dom Roberto motivou o público a fazer uma experiência profunda com a Palavra de Deus e citou a atenção da Virgem Maria nesta escuta.
Pela primeira vez no palco do Halleluya Rio, a banda Adoração e Vida encerrou a segunda noite do evento. O público foi pura animação a cantar os sucessos da banda fundada em 2005 em São José dos Campos, São Paulo. “Estar aqui no Halleluya Rio pela primeira vez é fantástico, conhecer novos irmãos, louvar com o povo que a gente ainda não tinha louvado e reencontrar alguns antigos amigos da Comunidade Shalom e outros que moram aqui. Então para a gente está sendo muito especial. Deus é maravilhoso”, afirmou o vocalista Walmir Alencar.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

DNJ 2015: edição de 30 anos do evento vai refletir a construção de uma nova sociedade

Neste ano de 2015, a juventude recebe um convite especial para as reflexões dos 30 anos de DNJ, que partem do tema da Campanha da Fraternidade: “Fraternidade: Igreja e sociedade”.
O Concílio Ecumênico Vaticano II ensina a todos a serem ativos, criativos, construtores da sociedade. Essa presença dos cristãos, jovens cristãos, na sociedade recordam dois documentos importantes do Concílio: Lumen gentium (Luz dos povos) e Gaudium et spes (Alegria e esperança). O lema do DNJ 2015, “Juventude construindo uma nova sociedade”, deseja recordar a presença dos jovens cristãos na sociedade.
Na cartilha, o Bispo Auxiliar de Brasília e Secretário Geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner destaca: “É jovem aquela, aquele que tem a força, o vigor de Deus. Deus é bondade, misericórdia, cuidado, fonte de todo o bem. É jovem a pessoa que imita Deus na generosidade fontal!”. Portanto, somos todos convidados a ser sinal de mudança.
Para celebrar o DNJ, é importante “preparar bem”. Por isso, os encontros de preparação são três e, o aprofundamento dos temas ajudará na celebração do Dia Nacional da Juventude:

1. Construindo uma nova sociedade;
2. Juventude e vida;
3. Juventude e política;

O DNJ tem como objetivo que seja um momento “missionário”. Para o mês de outubro, mês missionário, os jovens encontrarão um roteiro para ação missionária descrito na cartilha. Os missionários jovens anunciando, testemunhando a vida que Jesus nos deixou com sua vida, morte e ressurreição na Comunidade, na Igreja local.
O convite é: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate por muitos” (Mc 10,45).
A Pastoral Juvenil da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no Encontro Nacional de Revitalização, em dezembro de 2013, após a JMJ, optou por fazer um caminho de Evangelização da juventude a partir de três eixos: Missão, Capacitação e Estrutura de Acompanhamento. Esses três eixos têm seus desdobramentos nas dioceses do Brasil. Ao mesmo tempo, desenvolve-se o projeto Rumo ao 300 anos de Aparecida, em sintonia com a Igreja no Brasil com o tema: “300 anos de bênçãos: com a mãe Aparecida, juventude em missão”. É nesse rico contexto que a Igreja celebra os 30 anos do Dia Nacional da Juventude.

Faça o download do subsídio completo para seu grupo jovem:


Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/3560/dnj-2015-edicao-de-30-anos-do-evento-vai-refletir-a-construcao-de-uma-nova-sociedade

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Retiro de Espiritualidade

Clique na foto para ampliar

Você está convidado(a) para participar conosco de mais um retiro de espiritualidade inaciana pela Federação das Congregações Marianas do Rio de Janeiro.

Basta clicar no link abaixo para fazer a sua inscrição.
Não deixe para depois. 
Vagas limitadas!

Segue link para inscrições:

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Centro Loyola abre inscrições para o curso Fé e Razão no Cristianismo Medieval - Escolástica

Estão abertas as inscrições para o segundo módulo do curso Fé e Razão no Cristianismo Medieval. Nesta etapa, o professor William Batista, doutor em Comunicação Social, mestre em Filosofia e psicanalista, irá abordar a Escolástica.
As aulas oferecem uma reflexão em torno da formação do pensamento cristão na Idade Média a partir dos seus grandes pensadores, do século II ao século XIV, e discutem o confronto entre fé e razão na busca por fundamentos lógicos racionais para a fé.
Entre os principais pensadores deste período está São Tomás de Aquino. O curso terá oito encontros, sempre às segundas-feiras, das 19h às 21h, entre os dias 5 de outubro e 7 de dezembro, com aulas no Centro Cultural João XXIII, na rua Bambina, 115, em Botafogo (há estacionamento gratuito no local, que fica próximo à estação do metrô de Botafogo).
Inscritos até 5 de outubro poderão realizar o pagamento em duas parcelas de R$ 140. Para mais informações e inscrições acesse: www.clfc.puc-rio.br.

Programa:
– Características Gerais da Escolástica;
– Estudo de textos de pensadores fundamentais da Escolástica;
– São Tomás de Aquino e a Escola Tomista.