quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Seminário de Ideologia de Gênero na PUC-Rio

Com o intuito de esclarecer os fiéis sobre as implicações da ideologia de gênero, à luz do Magistério da Igreja, o Programa de Liderança Católica (Move) da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) realizará o Seminário de Ideologia de Gênero, no dia 19 de agosto, de 14h às 19h, no auditório Padre José de Anchieta, na PUC-Rio. O evento será conduzido pelo bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio Dom Antonio Augusto Dias Duarte, que abordará a ideologia de gênero e sua perspectiva histórica, através da análise da gênese do feminismo - da 1ª à 3ª geração - e da história das ideias do mundo moderno I e II. 
Segundo o reitor da Igreja Sagrado Coração de Jesus da PUC e responsável pelo Programa de Liderança Católica (Move), padre Alexandre Paciolli, o tema foi escolhido a partir de uma reunião com o arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, que junto ao grupo observou a necessidade de abordar o assunto dentro da universidade. 
“A reunião com Dom Orani concretizou o que Deus já havia plantado no meu coração e no coração dos jovens: a importância de promover eventos de formação abertos ao público. A PUC, enquanto referência de formação e liderança em vários campos, aglutina pessoas com um forte desejo de mudança e melhoria social, a partir do cristianismo. Desta forma, a ideia do seminário é trazer essas pessoas para perto, para que conheçam a fundo um tema importante para a nossa fé e amplamente discutido nos dias de hoje. E por ser um evento aberto, muitos fiéis irão se beneficiar com esse tesouro”, ressaltou.
O Move é um programa de liderança católica composto por jovens universitários, que têm o objetivo de aprofundar os conhecimentos na Sagrada Escritura e no Magistério da Igreja Católica. O grupo é responsável por organizar eventos de formação e missões de evangelização, além de trabalhar com iniciativas sociais. Planeja um segundo seminário na universidade com o tema: “Medicina e vida”. 

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/6022/seminario-de-ideologia-de-genero-na-puc-rio


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Padre Leandro Lenin: ‘O trabalho realizado em conjunto sempre dá mais frutos’

Por ocasião do Dia do Padre, na memória de São João Maria Vianney, 4 de agosto, apresentamos a vida e ministério do jovem padre Leandro Lenin Silva Tavares Cardoso.
Após cinco anos de intenso ministério na Arquidiocese do Rio de Janeiro, ele embarcou, no dia 14 de julho, para uma nova missão: cursar mestrado e doutorado na Universidade de Navarra, em Pamplona, na Espanha. A dedicação e o amor a Deus são características que sempre remeterão à lembrança do jovem sacerdote, que segue realizando as vontades de Cristo em sua vida.

O despertar vocacional
O amor pela vocação sacerdotal surgiu ainda na adolescência, quando a família frequentava a Paróquia São Benedito, em Pilares, onde a disponibilidade e o serviço realizado pelo então pároco, padre Luis Carlos Oliveira, despertavam no jovem o desejo de também servir a Deus cada dia mais e melhor.
O florescer da vocação veio durante a mudança da família para o bairro do Recreio. Na Paróquia Imaculada Conceição, o pároco, padre Edney Gouvêa, hoje bispo da Diocese de Nova Friburgo, foi essencial na caminhada do jovem.
Nesse período, uma pergunta se fazia presente: “‘Por que o padre nunca falta à missa e eu, por vezes, falto?’. Essa era uma grande questão para mim. É curioso como a disponibilidade dos sacerdotes me tocava de modo curioso”, argumentou.
A proximidade com a Igreja era vista com bons olhos pelos pais, Marisa e Jorge Tavares, que, apesar de não serem presentes na vida comunitária, sempre participavam das celebrações.
“Certa vez, ainda nos meus 14 anos, minha mãe perguntou se era isso mesmo o que eu queria. Neguei. Achava muito cedo para dizer alguma coisa tanto para ela quanto para mim mesmo. Sentia-me atraído pela ideia, mas ainda não sabia se era realmente isso”, contou.
Até que chegou o período de estudos, o tão sonhado vestibular. Estudar sempre fez parte da vida do jovem Leandro, o qual era muito incentivado pelos pais. Tal esforço resultou em recompensa: passou para o curso de engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nessa época, era um jovem comum, dando passos em direção ao futuro, namorando e vivendo.
A vocação ainda era uma realidade presente nas conversas familiares, mas não tão forte como antes. “Eu queria muito passar, porque a ideia do estudo estava mais na minha cabeça do que a de ser padre. Mas assim que passei, tive a sensação do dever cumprido. Estava satisfeito. Porém, foi aí que o tema da vocação voltou com muita força”, recordou.

“A primeira melhor noite de sono da minha vida”
Para isso, era preciso resolver algumas questões: a primeira era sobre quais seriam seus diretores espirituais, o que foi fácil de resolver, uma vez que os padres Luis Carlos e Edney marcaram a vida do jovem. A segunda era sobre a namorada, que resistiu por algum tempo, mas que logo foi vencida.
A terceira e mais difícil eram os pais. “Duas coisas me passavam na mente: a sensação da certeza de que era isso mesmo o que eu queria, mas também a de me passar por mentiroso, uma vez que neguei e escondi a minha vocação deles. Imaginei que eles fossem ficar avessos a essa ideia, o que realmente aconteceu, pois viram eu me lançar mais longe nos estudos”, ressaltou.
Sobre esse período, o sacerdote recordou que “não foi fácil, foi bem dolorido, embora fosse um tempo cheio de expectativas e alegrias. Tranquei a faculdade no quarto período, e entrei no seminário em 2004. Carregava a perspectiva espiritual de servir a Jesus com alegria, ao mesmo tempo em que tinha no coração o pesar da saída conturbada de casa. Entrar no seminário foi a primeira melhor noite de sono da minha vida, porque eu estava no lugar que eu sempre deveria estar”, lembrou.
Oito anos depois do ingresso no Seminário Arquidiocesano de São José, veio a ordenação sacerdotal, que aconteceu no dia 14 de abril de 2012, às vésperas da Oitava de Páscoa. Mas, Deus ainda havia reservado outra surpresa: “No meio de tudo isso, Deus me deu como presente a conversão dos meus pais. Então, eles retornaram a fé de maneira muito intensa, e tive o apoio do meu pai naquilo que ele dizia não entender. Não pude ter presente melhor do que esse. O tempo de seminário me mostrou o que é a Igreja: quanto mais a gente serve, mais a gente se encontra na vocação”, finalizou.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

JMJ Panamá 2019: lançado site oficial

            O site oficial da Jornada Mundial da Juventude no Panamá 2019 já pode ser acessado desde 31 de julho.
            Disponível em cinco línguas – espanhol, português, francês, inglês e italiano – o portal apresenta em sua homepage um cronômetro com a contagem regressiva em tempo real para o início do evento: dias, horas, minutos e segundos.
            A data escolhida para o lançamento do site não é mera casualidade, pois coincide – como observou o Arcebispo José  Domingo Ulloa – com o aniversário do anúncio por parte do Papa Francisco na Polônia da escolha do Panamá como sede da Jornada Mundial da Juventude.
            Uma imagem que sintetiza as várias realidades paisagísticas da nação – das montanhas à costa, das antigas igrejas aos modernos arranha-céus, das pontes ao famoso Canal do Panamá que une dois Oceanos – acompanha o tema mariano escolhido para o evento: “Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra." (Lc 1,38).
            A vídeo-mensagem do Papa Francisco divulgada no Domingo de Ramos deste ano e um convite para conhecer o país completam as seções principais do novo site, que na intenção dos organizadores serve para estabelecer contato e informar os jovens de todo o mundo até a Jornada que se realizará de 22 a 27 de janeiro de 2019.

Fonte: http://arqrio.org/noticias/detalhes/5989/jmj-panama-2019-lancado-site-oficial