Faça parte você também!

Faça parte você também!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Jovens: destinatários privilegiados da ação evangelizadora da Igreja

A evangelização da juventude foi o tema refletido, na tarde do dia 22 de novembro, na Assembleia do Regional Leste 1 da CNBB.
A exposição do tema foi aberta pelo bispo auxiliar do Rio Dom Nelson Francelino Ferreira, referencial para a Pastoral Juvenil no Regional. Junto com a equipe de coordenação dessa pastoral, ele falou aos participantes da assembleia sobre o documento 85 da CNBB – “Evangelização da Juventude: desafios e perspectivas pastorais”.
O bispo chamou a atenção sobre o fato de que não se pode falar e considerar no processo evangelizador que exista apenas uma juventude. Na verdade, afirmou, existem “juventudes”. Segundo ele, a juventude é, por própria definição, plural. E não reconhecer essa pluralidade dificulta a ação evangelizadora.
“Hoje é muito importante isso, a ponto do Documento da CNBB 85 dizer que cabe as dioceses organizarem um Setor Juventude, no qual todas as expressões de evangelização da juventude construam um projeto diocesano e cada um saia para trabalhar com seu carisma, com sua metodologia, a partir desse projeto diocesano”, disse. 

Pistas de ação
            Em seguida, o jovem Gabriel Jaste, da Pastoral da Juventude da Diocese de Duque de Caxias, expôs os principais pontos do documento 85. O texto apresenta oito pistas de ação: formação integral do discípulo, espiritualidade, pedagogia de formação, discípulos para a missão, estruturas de acompanhamento, ministério da assessoria, diálogo fé e razão e o direito à vida.
            Nesta perspectiva, um assunto de mostrou essencial: investir na formação de assessores identificados com o trabalho de evangelização dos jovens.
            “Hoje para que o Setor Juventude funcione e dê um salto de qualidade é fundamental investir na figura do assessor. O assessor é aquela pessoa que representa a Igreja e que tem uma visão bem abrangente da realidade juvenil”, pontuou Dom Nelson.
            Neste processo, um dos fatores essenciais é a maturidade do assessor, que precisa estar comprometido com o projeto diocesano de evangelização da juventude. “O assessor deve ser um sujeito de uma maturidade afetiva e com grande experiência. Ele precisa agir em favor de um projeto pastoral. Precisa gostar da juventude, acreditar na juventude e se apossar de uma boa metodologia. Porque ele não orienta uma ação evangelizadora específica, mas sim, o projeto diocesano, que foi construído por várias mãos”, ressaltou o bispo referencial da Pastoral Juvenil.

Protagonismo
            O que caracteriza o Setor Juventude é o protagonismo do jovem na ação evangelizadora. Assim, uma atitude se faz fundamental: ouvir a juventude.
            “O Documento 85 destaca que a Igreja precisa oferecer aos jovens canais de participação e envolvimento nas decisões. Precisa valorizar a participação dos jovens nos conselhos, reuniões de grupo, assembleias, equipes, processo de avaliação e planejamento”, destacou Gabriel Jaste em sua apresentação.

Formação
            O projeto diocesano da evangelização da juventude deve contemplar cinco dimensões: psico-afetiva, psico-social, mística, sociopolítico-ecológica e capacitação.
            A formação na dimensão psico-afetiva leva em conta o processo de personalização: “qual é a relação comigo mesmo?; quem sou eu?”
            A psico-social se dedica ao processo de relação com o outro. Há necessidade de descer ao nível da afetividade, de viver relações de fraternidade voltadas para o discipulado.
            A dimensão mística-espiritual corresponde à experiência de Deus. É cultivada no estudo, através de retiros, da vivência sacramental e da oração, porque não basta estudar Deus, é necessário ter uma experiência pessoal com Deus.
            Como ser social, o jovem precisa também crescer na dimensão sociopolítico-ecológica, no processo de participação-conscientização: “qual a minha relação com a sociedade ao meu redor?; podemos mudar a sociedade?”.
            Por fim, é preciso investir na capacitação, no processo metodológico: “como trabalhar?; Como me organizar através de um consistente projeto pessoal de vida?”.
            Após a exposição do tema, os grupos se reuniram para refletir e apresentar sugestões para a evangelização da juventude nas dioceses do Regional Leste 1.

Fonte: Jornal Testemunho de Fé

Nenhum comentário:

Postar um comentário