Faça parte você também!

Faça parte você também!

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Jovem baleado se recupera e está pronto para ir à JMJ

Assim como muitos jovens Brasil afora, Felipe Ramon, de 23 anos, organizou-se com os amigos para arrecadar dinheiro e ir para a Jornada Mundial da Juventude. Depois de muito trabalho e muita economia, as dificuldades foram superadas e os recursos, obtidos. Mas ainda havia outro obstáculo a superar: um tiro. No dia 13 de janeiro deste ano, bandidos invadiram sua casa e, na tentativa de assalto, ele acabou baleado no pescoço. Entrou em coma, esteve entre a vida e a morte. Mas com a força de Deus, com fé e o apoio dos amigos, está se recuperando e superando tudo – e agora faz os últimos preparativos para, sim, participar da JMJ Rio2013.
Felipe tem 23 anos. Termina neste ano, estudando agora em casa, o curso de Tecnologia em Automação Industrial na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). No final de 2012 deixou o trabalho para se preparar para um concurso e para participar da Missão 10 anos Jesus no Litoral, que trabalha na evangelização nas praias do Brasil. Ele é integrante do Ministério Jovem da Renovação Carismática Católica e atua na Paróquia Nossa Senhora do Monte Claro, na Diocese de Ponta Grossa, Paraná.
A luta de Felipe comoveu muitas pessoas, que se mobilizam para rezar por sua recuperação e para apoiá-lo. Quando a Cruz dos Jovens e o Ícone de Nossa Senhora, Símbolos da Jornada Mundial da Juventude, peregrinaram por sua diocese, ele não pôde ir até eles – então, eles foram levados até sua casa.
Confira a seguir a entrevista exclusiva com Felipe Ramon, em que ele conta como tudo aconteceu, como ele reagiu, e como está sendo sua preparação e suas expectativas em relação à Jornada Mundial da Juventude.

Jovens Conectados: o que aconteceu naquele triste dia do assalto?
Era domingo, dia 13 de janeiro, antevéspera do meu aniversário de 23 anos. O núcleo da comissão da JMJ do nosso Grupo de Oração, chamado “Coração Adorador”, havia determinado que esta fosse a data limite para que os jovens entregassem, no encontro do grupo que aconteceria aquela noite, o valor faltante da inscrição individual. Eu fiquei responsável por receber os valores. Estava tudo organizado para que no outro dia o contador depositasse o valor total na conta bancária, confirmando nossa inscrição na Jornada.
Ao término do encontro de nosso grupo de oração, voltei para minha casa. Minha irmã e meu irmão estavam na sala vendo TV e minha mãe terminava suas orações no quarto. Sentado na sala, eu finalizava a tabela financeira dos peregrinos do grupo, quando dois rapazes entraram pela janela da sala. Dando voz de assalto, mandaram que nos abaixássemos. Um deles estava armado e minha mãe, assustada, foi levada para o quarto, enquanto o assaltante insistentemente perguntava pelo dinheiro. Como minha mãe dizia que não estava encontrando o dinheiro, pedi aos assaltantes para trocar de lugar com ela, dizendo que eu sabia onde estava o que eles queriam. Em meu interior, pedia desesperadamente a Deus que nos livrasse daquilo que estava acontecendo, contudo, aparentemente procurava mostrar-me calmo diante deles. O assaltante armado levou-me então para o quarto, que já estava totalmente revirado, roupas e livros estavam espalhados pelo chão, e ele perguntava pelo dinheiro. No meu coração, eu desejava que meus irmãos e minha mãe ficassem a salvo de qualquer ameaça contra a vida e também queria preservar o valor arrecadado pelos jovens. Em minha memória se passou todo esforço que havíamos realizado. Recordei os sacrifícios que eu, aqueles 50 jovens e nossos pais, tínhamos feito naqueles últimos seis meses para arrecadar o valor que nos possibilitaria chegar à JMJ.
Disse então ao assaltante que o dinheiro não estava mais comigo, que já havia repassado para o responsável em minha paróquia. Ele não aceitou minha resposta, queria o dinheiro dizendo que estava numa caixa. Foi então que olhei para cima do guarda-roupa, tive a ideia de pegar uma lata vazia. Mostrando a ele, disse que era ali que ficava o dinheiro. Ele pediu pra que eu abrisse e nesse momento joguei-a contra o rosto dele e com a mão esquerda tentei desarmá-lo, caindo sobre ele. Nesse momento, ele disparou a arma duas vezes. Nós dois estávamos caídos, atordoados. Um dos projéteis foi para cima e em direção da porta do meu quarto, atravessando-a e batendo na parede, ricocheteou para o teto. O segundo tiro me atingiu.
Fiquei desacordado por uns 20 segundos. O outro assaltante veio ajudar o que havia atirado em mim, retirando-o de debaixo do meu corpo para que pudessem fugir. Retomando a consciência, me percebi no chão e pedi para meus irmãos me ajudarem a sentar posicionando-me contra a parede. Eu já não estava conseguindo mexer algumas partes do meu corpo. Pedi água e desmaiei novamente. Meus familiares estavam em choque e muito nervosos. Os assaltantes saíram levando apenas meu celular. Minha mãe logo ligou para um amigo meu e seu pai que são bombeiros e moram a poucas quadras de minha casa. Como eu estava com parada cardíaca, eles fizeram os procedimentos necessários para me manter com vida. Foi chamado também o Corpo de bombeiros, SAMU, e a polícia. Na ambulância, a caminho do hospital, tive a segunda parada cardíaca.
Fui levado para a Santa Casa de Misericórdia e a Providência Divina atuou nesse momento, pois todos os médicos que estavam no plantão puderam me atender, já que não havia outras emergências. Um dos médicos chamou meus pais e perguntou se queriam que fosse retirado, para a balística, o projétil que havia transpassado minha medula, segundo os primeiros exames. Minha mãe perguntou quais eram as minhas chances de sobreviver. O médico em silêncio fez um sinal negativo com a cabeça, dando a entender que eu estava a ponto de falecer. Minha mãe disse ao médico: “Salve a vida dele doutor!”. Deus estava dando a Graça de uma “Vida Nova” pra mim!

Jovens Conectados: depois de tudo o que passou, como está a recuperação?
Há cinco meses estou em processo de recuperação e reabilitação, graças a Deus. Depois de alguns dias em coma e uma semana na UTI, fiquei 27 dias na Santa Casa em Ponta Grossa, Paraná. Ao sair do hospital, fiquei apenas uma semana em minha casa e precisei ser reencaminhado ao hospital. Eu estava com uma grave infecção urinária. O normal para um organismo é ter em torno de dez mil leucócitos, mas meu exame apontava um milhão e oitocentos mil leucócitos! Eu estava com muita febre, quase entrando num quadro de septicemia, que é fatal.
Naquele dia, a Cruz da JMJ, estando em nossa diocese, foi levada até minha casa. Nosso bispo diocesano, sabendo da gravidade de minha situação, pediu à minha mãe que permitisse que eu fosse encaminhado ao hospital Bom Jesus, o qual atende os sacerdotes da diocese. Novamente a mão de Deus me resgatou! Fiquei mais um mês e dez dias ali e durante este período, Deus foi providente em tudo, inclusive dando-me a graça de uma vaga no Hospital Sarah Kubistchek de Belo Horizonte. Fui levado a esse hospital no dia 31 de abril, domingo de Páscoa. Como não perceber nisso a “Vida Nova” que Deus pode me dar?
Deus sempre tem cuidado de tudo: há pessoas que estão comigo, e rezam por mim, em todos os momentos. As passagens aéreas foram providenciadas gratuitamente; os hospitais me acolhem com muitos benefícios; aos poucos estou me reabilitando e percebendo a união que Deus possibilita em minha família.
No hospital da Rede Sarah fiquei um mês e dez dias, esse hospital é um dos melhores da América Latina na área de reabilitação e atende pelo SUS, sem nada cobrar. Ali, eu e minha mãe buscávamos, a cada dia, paciência e fé no Cristo Ressuscitado. Não imaginávamos como o dia a dia de uma reabilitação é exigente. É como a experiência da Cruz que nos ajuda na santificação de nossas almas e de todos aqueles nos quais Deus quer tocar.
Continuo em reabilitação, faço fisioterapia todos os dias com profissionais da área que doam seus serviços pela minha causa. Estou sendo tratado de algumas escaras que surgiram para poder reiniciar a hidroterapia. Três vezes por semana, faço academia para fortalecer os membros superiores, sem custo algum. Também nisto Deus tem sido providente. Ele providenciou ainda uma cama especial para que, nesta etapa da reabilitação eu tenha algumas facilidades, bem como uma cadeira de rodas especial e uma almofada que eu não teria possibilidade financeira para adquirir.
Além das coisas materiais, que são importantes para o quadro no qual me encontro, Deus, em sua infinita bondade, providencia pessoas de todos os lugares do mundo que me oferecem palavras de encorajamento, que fortalecem minha fé em Cristo e me fazem ouvir a sua voz. Ele providencia tudo e muito mais do que “pedimos e merecemos”, quando depositamos nossa força e esperança Nele. Rezo todos os dias e instantes para que Deus faça em mim a Vontade Dele em primeiro lugar e que Ele toque em minha medula e restaure todos os neurônios para que aconteçam o Milagre da Cura Física e, principalmente, o da salvação de minha alma.

Jovens Conectados: o episódio influenciou a forma como você vê o mundo, a vida, Deus?
Sem dúvida nenhuma. Aquilo que eu sempre pedia em minhas orações de entrega, Deus está fazendo! Minha intimidade com Deus aumenta a cada dia. Tenho uma certeza de vitória cada vez mais forte Nele. As pessoas sempre perguntam como estou, e eu respondo com um sorriso e com absoluta certeza de que “Com Jesus estou cada vez melhor!” Admito que sou muito fraco e por muitas vezes questionei a Deus do porquê de tudo isto. Mas me fortaleço e conforto meu coração lendo a Palavra de Deus. Como Jó, também eu às vezes não compreendo porque Deus permite o sofrimento a seus filhos. Há alguma explicação para tudo o que acontece, mas aqui na terra pode ser que não a conheçamos. Devemos estar preparados para todas as provações que Deus permite. Já me perguntei se esta condição em que me encontro é uma provação de Deus para mim e até mesmo cheguei a imaginar se seria por causa de algum pecado que cometi. Mas a Palavra de Deus nos ensina que o sofrimento nem sempre provém de nossos pecados pessoais e que não devemos adicionar o sentimento de culpa que às vezes sinto devido ao que vivo.

Jovens Conectados: que repercussões o episódio teve em sua preparação para a JMJ?
Percebo que o meu testemunho está sendo um impulso a mais para que os jovens vão “em peso” escutar a voz de Deus, através daquilo que o nosso “Pastor”, o Papa Francisco, quer proclamar para todo o mundo ouvir no Rio de Janeiro, nesta Jornada Mundial da Juventude. Mesmo tendo uma jornada intensa de trabalhos e estudos na universidade, nunca deixei de servir minha paróquia e o Movimento a que pertenço: Ministério Jovem da Renovação Carismática. Espero que outros jovens também vivam este amor à Igreja. Como tinha muitos contatos e amigos nas redes sociais, a notícia do que aconteceu comigo se espalhou e a Luz de Cristo iluminou e ilumina a vida de todos que querem receber da glória de Deus (Mt. 5-16). Alegro-me em perceber que, desde o momento em que fui para o hospital, uma juventude se “levantou” disposta a ajoelhar-se e orar a Deus no Brasil e mundo, não só pela minha vida e recuperação, mas por suas causas próprias também. Adorações, Vigílias, Cercos de Jericó, Grupos de Orações, Movimentos, Pastorais clamam pela minha recuperação. Na verdade, noto que Deus usa desta causa para chegar a tantos corações!

Jovens Conectados: O que o grupo está fazendo para poder viajar para o Rio e participar da JMJ?
Nossa paróquia encarregou os jovens de todos os eventos desde agosto do ano passado até as vésperas da Jornada. Tudo o que arrecadássemos seria em prol da inscrição e das despesas dos jovens que iriam para a JMJ. Fizemos bazares, bingos, rifas, tendas com venda de camisetas, moletons, bolos, pastéis e guaraná e agora por último, a Festa Junina da Jornada! Não nos esquecemos de nossa preparação espiritual através de adorações e missões.

Jovens Conectados: Quais são as principais dificuldades que você e seu grupo enfrentam para pode ir para a JMJ?
Primeiro foi o financeiro, e aqueles que precisam e dependem de liberação de empregos. Alguns tem o medo da primeira experiência no avião.

Jovens Conectados: Como está sendo a preparação espiritual?
Com adorações ao Santíssimo, Vigílias, intercessões, terços, retiro da pré-jornada, confissão e jejum.

Jovens Conectados: A participação na JMJ também exige certo preparo físico. Vocês estão fazendo algo nesse sentido?
Alguns estão fazendo academia. Outros iniciaram uma dieta alimentar regida por nutricionista, outros ainda optaram por correr e fazer caminhada para se preparar.

Jovens Conectados: O que você espera da Jornada Mundial da Juventude em si, lá no Rio?
Assim como disse o Papa Emérito Bento XVI, creio que a JMJ está sendo uma atualização de Pentecostes, é uma experiência de unidade! Lá no Rio vamos sentir e vivenciar momentos em que Deus tocará profundamente em nossos corações, ficaremos anestesiados por estar no meio do maior evento católico do mundo, admirados por ver como Deus é maravilhoso e perfeito! Vamos escutar a voz de Deus para a juventude através do sucessor de Pedro aqui na terra, Papa Francisco.

Jovens Conectados: Que frutos você espera colher na JMJ e levar para a sua cidade?
Acho que não só eu, mas todos os jovens voltarão para suas dioceses, cidades, comunidades, inflamados pela fé e ardentemente desejosos de anunciar um Deus tão simples em sua grandeza. Será uma manifestação do Espírito Santo impulsionando os jovens para que a Civilização do Amor aconteça! Os jovens voltarão com uma visão ampliada do que verdadeiramente é ser Igreja.

Jovens Conectados: Há algo que você gostaria de destacar com relação à preparação para a JMJ?
Enquanto eu estava no hospital, meu coração incendiava de alegria quando pedia a intercessão do Beato João Paulo II e de Nossa Senhora de Fátima. E Deus foi cada vez mais dando confirmações de que eu deveria sempre pedir a intercessão deles. Muitas pessoas me deram imagens, cartões e até levaram minha foto até o túmulo de João Paulo II. Desde muito cedo, quando eu era ainda uma criança e via o Papa João Paulo II, eu sentia no meu coração um carinho tremendo e uma força que vinha dele e que eu não sabia explicar. Foi então que ganhei duas relíquias dele. Uma de terceiro e outra de segundo grau. Mas não bastando, Deus me deixou rezando, por um dia, com uma relíquia de primeiro grau dele! E para não dizer que é coincidência e sempre é providência, a Cruz Peregrina e o ícone da Jornada Mundial da Juventude foram me visitar em minha casa!!! Agradeço a Deus por todos os momentos em que Ele se manifesta em minha vida! Peço que se for de Sua Vontade eu possa sair ao mundo inteiro fazendo missão, pregando, tocando, cantando, e dando testemunho do poder de Deus! E quem sabe a Providência Divina me ajuda a levar comigo uma relíquia de primeiro grau de João Paulo II para que nessa evangelização eu tenha como companheiro um “Peregrino do Amor” e “amigo da juventude” sempre ao meu lado.

Jovens Conectados: O que gostaria de dizer aos jovens que estão se preparando para a JMJ?
“Eu vos escrevi, meninos, porque conheceis o Pai. Eu vos escrevi, pais, porque conheceis Aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a Palavra de Deus permanece em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que há no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não vem do Pai, mas sim do mundo. Ora, o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus, permanece para sempre.” (1João 2,14-17). JOVENS! NÃO TENHAM MEDO!!!
Fonte: www.jovensconectados.org.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário